10 episodes

Podcast of the website Todo Mundo Pod - A podcast about Brazilian Portuguese and tips for foreigners / Podcast do website Todo Mundo Pod - Um podcast sobre português brasileiro para estrangeiros

Portuguese Basic Tips Portuguese Basic Tips

    • Education

Podcast of the website Todo Mundo Pod - A podcast about Brazilian Portuguese and tips for foreigners / Podcast do website Todo Mundo Pod - Um podcast sobre português brasileiro para estrangeiros

    Significado de lamber sabão, se não me falha a memória e não vejo a hora

    Significado de lamber sabão, se não me falha a memória e não vejo a hora

    Olá e seja bem-vindo ao nosso Portuguese Basic Tips 102, sobre o significado de lamber sabão, se não me falha a memória e não vejo a hora

    No podcast de hoje, nós vamos falar sobre 3 novas expressões que você precisa saber, se quer vir ao Brasil. Aqui estão elas: lamber sabão, se não me falha a memória e não vejo a hora.

    Este podcast vai ser importante para que nós compreendamos – de uma vez por todas – que, normalmente, tentar traduzir expressões de uma maneira literal não é a melhor opção que temos. Façamos um trato: vou falar um pouco sobre cada uma, mas vou explicar o real sentido delas em português do Brasil, ok?

    Visite nosso episódio anterior, chamado sentenças que estrangeiros usam de forma diferente em português

    Comecemos!

    Lamber sabão

    Essa expressão é usada por pessoas um pouco mais velhas, não pelos ‘jovens’, hoje em dia, no entanto é importante que você saiba sobre ela, porque é utilizada até na música popular brasileira.

    Veja, as pessoas normalmente dizem “vá lamber sabão”. Se tentarmos traduzir isso de uma maneira literal teremos algo como “go lick soap”, mas isso não faz nenhum sentido!

    As pessoas usam “vá lamber sabão” no Brasil significa algo como “mind your own business”.



    * Deixa eu terminar meu trabalho! Vá lamber sabão!

    * Let me finish my job and mind your own business.



    Se não me falha a memória

    Esta é usada muito, muito frequentemente aqui. Eu já falei sobre a expressão “salvo engano” neste podcast. Ambas, salvo engano e se não me falha a memória possuem o mesmo sentido: if I’m not mistaken or if memory serves me correctly.

    A segunda, se não me falha a memória, is used more frequently than salvo engano.



    * Se não me falha a memória, você prometeu que iríamos sair para jantar hoje! (If memory serves, you promised that we would go out to dinner today!)



    Não vejo a hora

    Eu não vejo a hora de lhe dizer / Aquilo tudo que decorei / Depois de um beijo que eu já sonhei / você vai sentir, mas, por favor/ Não leve a mal.

    Isso é “Os Mutantes”. Veja, eu comecei cantando: “eu não vejo a hora de lhe dizer”.

    Se tentarmos traduzir isso de uma maneira literal teremos “I can’t see the time” ou mesmo “I don’t see the time”, no entanto é melhor traduzirmos isso como “I can’t wait for it”, “I’m looking forward to it”.



    * Eu não vejo a hora de lhe dizer aquilo tudo que decorei. (I can’t wait to tell you what I memorized)

    * Eu não vejo a hora de nos casarmos logo! (I can’t wait to get married soon!)



    Torne-se membro premium para fazer o download de todas as nossas transcrições

    Clique no link e veja outras maneiras de dizer “eu não vejo a hora”

    See you soon!

    Thanks!

    Marcos Sales

    • 7 min
    Sentenças que estrangeiros falam de forma diferente

    Sentenças que estrangeiros falam de forma diferente

    Olá e seja bem-vindo ao Portuguese Basic Tips 101, sobre sentenças que os estrangeiros falam de forma diferente em português

    No podcast de hoje, nós vamos falar sobre algumas frases que os estrangeiros usam em português, mas que são diferentes da forma como nós fazemos no Brasil. Quero dizer, não são necessariamente sentenças erradas, incorretas, mas nós no Brasil não falamos dessa maneira.

    Bastante x Muitos

    Ouça:



    * Havia bastante pessoas lá!



    Eu mesmo já ouvi algumas pessoas falando assim. Isso não é correto. No Brasil, as pessoas tendem a usar “muitas”, em lugar de “bastante”. Nesse caso, especificamente, nós poderíamos gramaticalmente dizer “havia bastantes pessoas lá”. No entanto, para ser sincero com você, ninguém (ou quase ninguém) no Brasil usa “bastantes”. Aqui é mais comum dizermos “havia muitas pessoas lá” ou “havia muita gente lá”.

    Resumindo: é preferível dizer “muito ou muitos” em lugar de “bastante”.



    * Havia muita gente lá (there were a lot of people there) / Havia muitas pessoas lá .



    Ouça o nosso episódio anterior sobre quando usar eu fui e eu era em português

    Mais pequeno x Menor

    Essa aqui não é mais tão comum ultimamente. Ainda assim, às vezes, encontramos algumas pessoas dizendo “mais pequeno que”, quando deveriam usar “menor que”. O mesmo serve para “mais grande que”. A maneira correta seria “maior que”.

    Ouça:



    * A casa dele é maior que a minha (His house is larger than mine).

    * A casa dele é menor que a minha (His house is smaller than mine).



    Veja, aqui vai uma dica para você: quando estamos comparando o mesmo objeto, o mesmo sujeito, usamos “mais pequeno que” e “mais grande que”.

    Como assim?

    Ouça:



    * Minha casa é mais grande que confortável (My house is bigger than it is comfortable).



    Aqui, especificamente, estamos comparando a mesma casa: a minha casa. Neste caso, e apenas neste caso, nós utilizamos “mais grande que”.

     

    Cada dia x todo dia

    Algumas vezes, nós temos a tendência de traduzir do inglês para o português. Às vezes isso funciona; às vezes, não. Este é um dos casos. Ouça:



    * Eu vou ao trabalho cada dia ( I go to work everyday).



    Veja, nós não falamos assim. No Brasil, nós usamos “eu vou para o trabalho todo dia” ou “todos os dias”.

    No entanto, se você quer “completar” a sentença, aí, sim, pode usar “cada dia”.

    Por exemplo:



    * Eu vou para o trabalho cada dia mais cansado.



    Veja, eu fico cada vez mais cansado.

    Aqui há uma ideia de gradação: algo que se intensifica cada vez mais. Nesse caso, você poderia usar ambos: eu vou para o trabalho cada dia mais cansado ou eu vou para o trabalho todo dia mais cansado.

    Para todos os outros casos, eu sugiro que você use “todo dia” ou “todos os dias”.

    Torne-se Membro Premium e faça o download de todas as nossas transcrições

    Clique no link e aprenda mais sobre as diferenças entre “todo” e “cada”

    Valeu e até mais!

    Marcos Sales

    • 8 min
    Quando usar eu fui e eu era em português

    Quando usar eu fui e eu era em português

    Olá e seja bem-vindo ao nosso Portuguese Basic Tips 100, sobre quando usar “eu fui” e “eu era” em português

    No podcast de hoje, nós vamos falar um pouco sobre gramática da língua portuguesa: você vai saber quando usar “eu fui” e “eu era” em português.

    Há muitas pessoas que têm dúvidas sobre quando devem usar “eu fui” e “eu era” em português. Portanto hoje nós vamos explicar gramaticalmente quando se deve usar cada um dos casos e em quais situações.

    Clique no link para visitar nosso episódio anterior, sobre o significado de voz de veludo, gato e sapato e lavar roupa suja

    Primeiramente, nós temos que entender que estamos falando sobre tempos verbais em português.

    A primeira expressão “eu fui” é o verbo “ser” na primeira pessoa do pretérito perfeito do indicativo em português. A segunda (eu era), is é o verbo ser na primeira pessoa do pretérito imperfeito em português.

    E qual a principal diferença entre tempos perfeitos e imperfeitos em português?

    Bem, o pretérito perfeito tende a indicar uma ação que já foi terminada, no passado.

    Por exemplo:



    * Eu fui feliz (I was happy).



    Na frase, a ideia de felicidade ter acabado está implícita. Eu era feliz, em algum momento do passado, mas não sou mais – segundo o exemplo.

    Vamos aproveitar o fato de que estamos falando sobre pretérito perfeito para conjugar o verbo ser (to be) neste tempo verbal.

    eu    fui  ( I was)

    tu     foste (You were)

    ele ou ela foi (He or she was)

    nós  fomos  (we were)

    vós   fostes (You all were)

    eles  foram (they were)

    Por outro lado, quando falamos sobre pretérito imperfeito, estamos nos referindo a uma ação que não necessariamente está terminada. Nós estamos sobre algo que tende a ser contínuo.

    Ouça:

    Eu era feliz! (I was happy).

    Aqui nós temos uma informação sobre algo que não está necessariamente terminado. Eu ainda estou feliz ou talvez, não.

    Então a resposta para a questão inicial do podcast sobre quando usar “eu fui” ou “eu era” é: isso depende do sentido que você quer empregar à frase.

    É válido dizer que nós, brasileiros, usamos mais frequentemente “eu fui” – para ambos os casos.

    Venha comigo e repita a conjugação no pretérito imperfeito.

    Repita, por favor:

    eu    era (I was)

    tu     eras (You were)

    ele   era (He / She was)

    nós  éramos (We were)

    vós   éreis (You all were)

    eles  eram (They were)

    Torne-se membro premium e faça o download das nossas transcrições

    Clique no link e ouça mais sobre este tópico

    See you soon.

    Thanks!

    Marcos Sales

    • 8 min
    Significado de voz de veludo, fazer de gato e sapato e lavar roupa suja

    Significado de voz de veludo, fazer de gato e sapato e lavar roupa suja

    Olá e seja bem-vindo ao Portuguese Basic Tips 99, sobre o sigificado de voz de veludo, lavar roupa suja e fazer de gato e sapato

    No podcast de hoje, nós vamos falar sobre o significado de voz de veludo, lavar roupa suja e fazer de gato e sapato.

    Vamos começar!

    Voz de veludo

    No momento que escrevo este texto, uma antiga canção vem à minha mente: palavras duras em voz de veludo / e tudo muda / adeus velho mundo/ há um segundo tudo estava em paz

    Preste atenção ao início do verso: palavras duras em voz de veludo.

    O compositor quis fazer um contraponto entre a dureza das palavras faladas e a delicacia da voz que as pronunciava. Portanto, nós usamos o termo “voz de veludo” para sinalizar que estamos falando de uma “voz delicada”.

    Também é possível ouvir o termo “voz aveludada”, que significa o mesmo.



    * Aquele locutor tem voz de veludo. (That announcer has a velvet voice)

    * Ela tem a voz aveludada quando acorda. (She has a velvet voice when she wakes up)



    Visite o nosso episódio anterior sobre o singnificado de ponto sem nó, faca e queijo na mão e santo de casa não faz milagre

    Fazer de gato e sapato

    Esta expressão não tem um sentido literal. É algo que usamos mais por causa da rima interna da expressão do que por aqueles objetos a que ela se refere.

    Veja, fazer alguém de gato é sapato é o mesmo que fazer alguém de bobo. Não tem nada a ver com gatos e sapatos, na verdade. Eu acho que a melhor tradução para isso seria “to walk all over someone”.



    * Não deixe eles te fazerem de gato e sapato (Don’t let them walk all over you.)

    * Eles te fazem de gato e sapato porque você deixa. (They walk all over you because you let them do it)



    Lavar roupa suja

    Essa expressão é usada quando é necessário discutir algo que ainda não está completamente resolvido entre duas ou mais pessoas. É normalmente utilizada em uma situação dura, difícil, na que duas pessoas tentam se perdoar ou fazer as pazes.



    * Lennon e McCartney lavaram a roupa suja e voltaram a ser amigos depois do fim dos Beatles. (Lennon and McCartney made up and became friends again after the Beatles ended.)



    Nós também usamos a expressão “lavar roupa suja em público”, que seria equivalente a “airing the dirty laundry”.



    * O casal é famoso por lavar a roupa suja na internet (The couple has been known to air dirty laundry online).



    Torne-se Membro Premium e faça o download das nossas transcrições completas

    Clique no link e visite a música cuide bem do seu amor

    Valeu e até a próxima!

    Marcos Sales

     

    • 7 min
    Singnificado de ponto sem nó, faca e queijo na mão e santo de casa não faz milagre

    Singnificado de ponto sem nó, faca e queijo na mão e santo de casa não faz milagre

    Olá e seja bem-vindo ao Portuguese Basic Tips 98, sobre o significado de ponto sem nó, faca e queijo na mão e santo de caso não faz milagre

    No podcast de hoje, nós vamos falar sobre as expressões  “santo de casa não faz milagre”, “dar ponto sem nó” and “estar com a faca e o queijo na mão”.

    Sem mais demora, vamos começar!

    Clique no link e visite nosso episódio anterior sobre como falar português como brasileiro

    Estar com a faca e o queijo na mão

    Nós podemos literalmente traduzir isso como “having the knife and the cheese in hand”, mas em conversas cotidianas utilizamos isso com o significado de “ter uma grande oportunidade de fazer algo”.

    Por exemplo:



    * Cláudia tinha a faca e o queijo na mão para ser promovida no trabalho. (Cláudia had a great opportunity to get promoted in her work.)

    * Ele estava com a faca e o queijo na mão e perdeu aquele gol. (He had a great opportunity and did not score that goal).



    Dar ponto sem nó

    Essa expressão vem da “arte da costura”. Quando estamos costurando, dizemos que estamos “dando pontos” no tecido. E, claro, para que esse ponto fique fixo ao tecido, é necessário dar nós na linha. Agora que você já sabe sobre costura, vamos voltar à língua portuguesa.

    Quando dizemos que alguém “não dá ponto sem nó”, queremos dizer que ela fez algo premeditado. Ela sabia o que aconteceria de antemão.



    * Cláudia não dá ponto sem nó: ela já sabia que ele teria aquela reação. (Cláudia premeditated all this: she already knew that he would have that reaction.)

    * Ela já sabia de antemão que ele responderia isso, por isso não deu ponto sem nó. (She already knew in advance that he would answer that, so she premeditated the situation).



    Santo de casa não faz milagre

    Agora imagine a seguinte situação: eu sei que você lida com alguém que frequentemente lhe diz “eu avisei”. Em português nós dizemos “eu avisei”, “eu falei”, “eu disse”. Nossos pais usualmente dizem isso. A expressão santo de casa não faz milagre tem algo a ver com essa situação. Às vezes nossos pais dizem isso para o nosso próprio bem e, mesmo assim, nós não lhes damos ouvidos. Por outro lado, às vezes, só às vezes, outra pessoa diz a mesma coisa, mas – dessa vez – nós prestamos atenção. Bem, mas seu pai fez o mesmo! Sua mãe cansou de avisar! Enfim, quando isso acontece, dizemos que “santo de casa não faz milagre”.



    * Eu tentei lhe avisar, filho, mas santo de casa não faz milagre (I tried to warn you, son, but you didnt hear me).



    Torne-se Membro Premium e faça o download das nossas transcrições

    Clique no link e saiba mais sobre a expressão santo de casa não faz milagre

    Marcos Sales

    • 8 min
    Falando português como um brasileiro

    Falando português como um brasileiro

    Olá e seja bem-vindo ao nosso Portuguese Basic Tips 97, chamado “falando português como um brasileiro”

    No podcast de hoje, nós vamos praticar novas maneiras de dizer a mesma frase, mas de uma maneira mais peculiar, do jeito como falamos no dia-a-dia.

    Por exemplo:



    * Você sabe o que é isso? (Do you know what this is?)



    Clique no link e visite nosso episódio anterior, chamado significado de sem choro nem vela, carro na frente dos bois e bater um fio

    Agora ouça:



    * Você lá sabe o que é isso? (Do you know what this is?)



    A segunda sentença tem o mesmo significado, mas o fato de usar o termo “lá” faz a frase ter mais ênfase. Ou seja, nesse segundo caso, há realmente uma “dúvida” se “você realmente sabe o que é isso”.

    Vejamos outras maneiras de enfatizar uma frase>

    Frase normal:



    * Se ligássemos para ela, não adiantaria. (if we called her, it wouldn’t make difference.)



    Outra maneira:

    Ainda que ligássemos para ela, não adiantaria. (Even if we called her, it wouldn’t make difference).

    See: when we use “ainda que”, we emphasize the sentence, but the information remains the same



    * Veja o que eu achei! (Look what I found!)

    * Veja só o que eu achei!! (Look what I found)



    O termo “só” na sentença é o que no Brasil nós chamamos de partícula expletiva. É algo que nós podemos remover da sentença, sem nenhuma mudança de significado.

    O mesmo acontece aqui:



    * Mas como você é inteligente! (How smart you are!)



    A sentença origina poderia ser simplesmente “você é inteligente”, no entanto, no dia-a-dia, usamos “mas como você é inteligente” com mais frequência.

    Situações que introduzem uma mudança no curso daquilo que está sendo dito

    Ouça a frase:



    * Quem lhe contou isso? (Who told you that?)

    * Mas quem lhe contou isso?



    Veja a mudança de intonação na segunda sentença. Há algo se “surpresa” nisso, como se fosse algo de que você não deveria saber.



    * Quem lhe contou isso? (Who told you so?)

    * Então, quem lhe contou isso (So… how do you know that?)



    A mesma coisa: usamos “então” e isso causa uma certa suspeita.

    Próximo termo: falando nisso (by the way)



    * Falando nisso, quando você vem a minha casa? (By the way, when are you coming to my house)



    Nós também usamos “por falar nisso” ou “a propósito” com o significado de “by the way”.



    * Por falar nisso, quando você vem a minha casa? (By the way, when are you coming tom my house?).



    Veja que quando usamos “falando nisso”, nós estamos continuando com um assunto que já foi começado pela outra pessoa da conversa, o interlocutor. Eu poderia simplesmente dizer “quando você vem a minha casa?”, mas preferi dar à sentença esse “ar de continuidade”.

    Torne-se Membro e faça o download das nossas transcrições completas

    Clique no link e visite o texto sobre partícula expletiva

    Valeu e até a próxima!

    Marcos Sales

    • 8 min

Top Podcasts In Education

Listeners Also Subscribed To