1h 46 min

ClioCast #043: Da Escravidão ao Pancadão: Uma história do funk e suas relações com o racismo estrutural brasileiro ClioCast

    • Educação

"É som de preto/ de favelado/ mas quando toca/ ninguém fica parado!" Ao som desse clássico do pancadão carioca nossa bancada, formada pelo Bruno e pelo Victor, recebe o MC Camarada Janderson para traçar um panorama sócio-cultural-histórico do funk e suas relações com o racismo estrutural brasileiro, além de suas relações com outras manifestações culturais negras no Brasil. Vem com tudo e dá seu play!

Tópicos do ProgramaApresentaçãoBloco Principal: Brasil país forjado através da escravidão de milhões de africanos sequestrados e vendidos como mercadoria - Transição de modos de produção: negros enquanto lúmpen e parcela mais superexplorada da população - Projeto de branqueamento da população brasileira - Eurocentrismo - Racismo estrutural: o que é? - Repressão as práticas religiosas africanas e o sincretismo como elemento de aculturação, porém de resistência - Criminalização da cultura negra e popular é uma constante no Brasil: capoeira, medicina tradicional, religiões afro-brasileiras - Samba de partido Alto e o embranquecimento da Bossa Nova - Influências culturais do Funk: desde os tambores de candomblé ao Miami beat - Rebaixamento cultural e cafonice: Relativismo: outros temas tratam de sexualidade de forma escancarada e às vezes pejorativa e não recebem as mesas críticas que o Funk - Produção cultural de resistência: Som produzido a baixo custo - Funk e a realidade das periferias: do “proibidão” ao funk melody e comercial - Valores e sociabilidades do funk sem moralismos: Foi o funk que inventou o machismo e outras opressões? - Mídia comercial e representações hegemônicas do Funk - Análise dos pancadões e bailes de favela - Funk foi cooptado pela ideologia de mercado? - Chacinas de funkeiros nos morros cariocas - Profissionalização do Funk - É possível disputar e criar um funk anticapitalista? - Paraisópolis e repressãoSAC: Serviço de Atendimento ClioCastRolê CulturalBarraca do BeijoEncerramento
Tem algum dúvida, crítica, sugestão?Manda no nosso e-mail cliohistoriaeliteratura@gmail.com

Campanha de financiamento contínuo no CatarseGostou desse podcast? Quer ajudar o Clio a produzir mais e melhores conteúdos? Entre www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês.

Financiadores desse episódio: Alexandre Athayde, Bruno Machado, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Humberto Athayde, Karen Badolatto, Marcelo Kriiger, Natália Castilho, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Rosi Marques, Suzana Athayde
Siga o Clio nas redes sociaisInstagram: www.instagram.com/cliohistoriaeliteratura/Twitter: www.twitter.com/cliohistelitFacebook: www.facebook.com/ClioHistoriaELiteratura/

"É som de preto/ de favelado/ mas quando toca/ ninguém fica parado!" Ao som desse clássico do pancadão carioca nossa bancada, formada pelo Bruno e pelo Victor, recebe o MC Camarada Janderson para traçar um panorama sócio-cultural-histórico do funk e suas relações com o racismo estrutural brasileiro, além de suas relações com outras manifestações culturais negras no Brasil. Vem com tudo e dá seu play!

Tópicos do ProgramaApresentaçãoBloco Principal: Brasil país forjado através da escravidão de milhões de africanos sequestrados e vendidos como mercadoria - Transição de modos de produção: negros enquanto lúmpen e parcela mais superexplorada da população - Projeto de branqueamento da população brasileira - Eurocentrismo - Racismo estrutural: o que é? - Repressão as práticas religiosas africanas e o sincretismo como elemento de aculturação, porém de resistência - Criminalização da cultura negra e popular é uma constante no Brasil: capoeira, medicina tradicional, religiões afro-brasileiras - Samba de partido Alto e o embranquecimento da Bossa Nova - Influências culturais do Funk: desde os tambores de candomblé ao Miami beat - Rebaixamento cultural e cafonice: Relativismo: outros temas tratam de sexualidade de forma escancarada e às vezes pejorativa e não recebem as mesas críticas que o Funk - Produção cultural de resistência: Som produzido a baixo custo - Funk e a realidade das periferias: do “proibidão” ao funk melody e comercial - Valores e sociabilidades do funk sem moralismos: Foi o funk que inventou o machismo e outras opressões? - Mídia comercial e representações hegemônicas do Funk - Análise dos pancadões e bailes de favela - Funk foi cooptado pela ideologia de mercado? - Chacinas de funkeiros nos morros cariocas - Profissionalização do Funk - É possível disputar e criar um funk anticapitalista? - Paraisópolis e repressãoSAC: Serviço de Atendimento ClioCastRolê CulturalBarraca do BeijoEncerramento
Tem algum dúvida, crítica, sugestão?Manda no nosso e-mail cliohistoriaeliteratura@gmail.com

Campanha de financiamento contínuo no CatarseGostou desse podcast? Quer ajudar o Clio a produzir mais e melhores conteúdos? Entre www.catarse.me/clio e conheça a nossa campanha de financiamento coletivo no Catarse, a partir de R$ 5,00 você já ajuda o Clio a se manter no ar e produzir mais conteúdos para vocês.

Financiadores desse episódio: Alexandre Athayde, Bruno Machado, Gabriel Bastos, Gui Aschar, Humberto Athayde, Karen Badolatto, Marcelo Kriiger, Natália Castilho, Paula Guisard, Rosana Vecchia, Rosi Marques, Suzana Athayde
Siga o Clio nas redes sociaisInstagram: www.instagram.com/cliohistoriaeliteratura/Twitter: www.twitter.com/cliohistelitFacebook: www.facebook.com/ClioHistoriaELiteratura/

1h 46 min

Top podcasts em Educação

Duolingo
Juliana Aguilar
Brasil Paralelo | Podcast
Me Poupe!
Jader Lelis
Top Áudio Livros