368 episódios

C. H. Spurgeon nos leva a refletir sobre as maravilhas do amor de Deus. Destacando versículos bíblicos para cada dia do ano, Spurgeon os comenta de modo piedoso, submisso e encorajador, oferecendo-nos a nutrição que a nossa alma necessita.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON Ministério Fiel

    • Religião e espiritualidade
    • 4,9 • 118 avaliações

C. H. Spurgeon nos leva a refletir sobre as maravilhas do amor de Deus. Destacando versículos bíblicos para cada dia do ano, Spurgeon os comenta de modo piedoso, submisso e encorajador, oferecendo-nos a nutrição que a nossa alma necessita.

    8 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    8 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    8 de dezembro. Pessoas que não contaminaram as suas vestiduras e andarão de branco junto comigo, pois são dignas. (Apocalipse 3.4)

    Podemos entender este versículo como uma referência à justificação. "Andarão de branco junto comigo" quer dizer: tais pessoas desfrutarão de um constante senso de sua justificação pela fé. Elas entenderão que a justiça de Cristo lhes foi imputada, que todas elas foram lavadas e tornadas mais alvas do que a neve recém-caída. Este versículo também é uma referência à alegria e felicidade, pois entre os judeus as vestes brancas eram roupas usadas em feriados. Aqueles que não contaminaram as suas vestiduras terão o seu rosto sempre brilhante. Eles entenderão o que Salomão pretendia dizer com estas palavras: "Vai, pois, come com alegria o teu pão e bebe gostosamente o teu vinho, pois Deus já de antemão se agrada das tuas obras. Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes" (Eclesiastes 9.7,8). Aquele que é aceito por Deus usará as vestes brancas da alegria e felicidade, enquanto anda em comunhão agradável com o seu Senhor. Por que existem tantas dúvidas, tanta miséria e lamentação? É porque muitos crentes contaminam as suas vestiduras com o pecado e, assim, perdem a sua alegria de salvação e a reconfortante comunhão com o seu Senhor. Eles não andam de branco aqui na terra. A promessa também se refere a andar de branco antes de estar diante do trono de Deus. Aqueles que não contaminam as suas vestiduras neste mundo mais certamente andarão de branco, lá em cima, onde os exércitos vestidos em roupas brancas cantam eternos aleluias ao Deus Altíssimo. Possuirão, com certeza, gozos inconcebíveis, felicidade inimaginável, alegria desconhecida à mente humana e uma bem-aventurança que nem mesmo os maiores desejos têm sido capazes de atingir. Os "irrepreensíveis no seu caminho" (Salmos 119.1) terão tudo isso -não por mérito de boas obras, mas por graça. Eles caminharão de branco com Cristo, pois Cristo os tornou pessoas "dignas". Na bendita companhia de Jesus, tais pessoas beberão das fontes da água da vida.

    • 2 min
    7 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    7 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    7 de dezembro. Deus escolheu as coisas humildes do mundo. (1Coríntios 1.28)

    Ande pelas ruas da cidade à noite, se você ousar, e verá pecadores. Observe quando as trevas da noite chegam, o vento sopra, e o assaltante esconde-se na entrada e você verá pecadores. Vá à cadeia, e ande pelos corredores; você observará homens com faces ameaçadoras, homens que você não gostaria de encontrar à noite, e encontrará pecadores. Vá aos reformatórios, e observe aqueles que revelaram uma desenfreada depravação juvenil, e verá pecadores lá. Vá a lugares remotos onde encontrará homens primitivos, e lá haverá um pecador. Vá aonde você quiser; não terá necessidade de explorar o mundo para encontrar pecadores, pois eles são muito comuns. Você pode encontrá-los em todas as ruas de todas as cidades, vilas ou bairros. Foi por eles que Jesus morreu. Se você encontrasse o espécime mais cruel da raça humana, eu ainda teria esperança a respeito dele, porque Jesus "veio buscar e salvar o perdido" (Lucas 19.10). O amor eletivo escolheu alguns dos piores para serem tornados os melhores. Seixos do ribeiro da Graça tornam-se em jóias para a coroa real. O Senhor Jesus transforma a escória indigna em ouro puro. O amor redentor separou muitos dos piores homens para serem a recompensa da paixão de nosso Senhor. A graça eficaz chama muitos dos piores homens para assentarem-se à mesa da misericórdia. Portanto, ninguém deve sentir-se desesperado. Leitor, existe um amor que brota dos olhos lacrimejantes de Jesus e um amor que jorra daquelas feridas sangrentas. Por esse amor fiel, esse amor forte, esse amor puro e tolerante; por esse amor do Salvador, nós o exortamos a não voltar atrás, como se não houvesse nada para você. Creia em Jesus e você será salvo. Confie-Lhe a sua alma, e Ele o trará à presença de Deus na glória eterna.

    • 2 min
    6 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    6 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    6 de Dezembro. Cingido, à altura do peito, com uma cinta de ouro.(Apocalipse 1.13)

    /lUm semelhante a filho de homem" apareceu a João, na ilha de Patmos; e o discípulo amado observou que Ele estava cingido com uma cinta de ouro. Uma cinta, porque Jesus sempre esteve pronto para o serviço. Agora, diante do trono eterno, o Senhor Jesus continua seu ministério santo, vestido como um sacerdote, com "o cinto de obra esmerada" (Êxodo 28.8). Somos pessoas benditas pelo fato de que Jesus não cessou de cumprir sua obra de amor por nós, visto que uma de nossas melhores salvaguardas é que Ele vive "sempre para interceder" por nós. As vestes de Jesus nunca estão frouxas, como se o ministério dEle estivesse acabado. Ele leva avante, com diligência, a causa de seu povo.
    Uma cinta de ouro manifesta a superioridade de seu serviço, a realeza de sua pessoa, a dignidade de sua filiação e a glória de sua recompensa. Ele nunca mais clama em vão, mas roga com autoridade, tanto de um Rei quanto de um Sacerdote. Nosso Senhor apresenta a todo o seu povo um exemplo; agora não é tempo para descansar em tranqüilidade; é tempo de serviço e de luta. Temos de cingir, com mais firmeza, os nossos lombos com a cinta da verdade. Um coração que não está bem cingido com a verdade de Jesus e com a fidelidade do Espírito Santo é um coração que será facilmente emaranhado pelas coisas desta vida e apanhado em ardis de tentação. É inútil possuirmos as Escrituras, se não as cingimos ao nosso redor, como uma cinta, cercando toda a nossa natureza e mantendo em ordem cada parte de nosso caráter. "Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade" (Efésios 6.14).

    • 2 min
    5 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    5 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    5 de Dezembro. o SENHOR me mostrou quatro ferreiros. (Zacarias 1.20)

    Na visão descrita neste capítulo, o profeta viu quatro chifres terríveis. Os quatro chifres estavam se movendo de um lado para o outro, arrasando os fortes e os poderosos. O profeta perguntou: "Que é isto?"; a resposta foi: "São os chifres que dispersaram aJudá". Zacarias contemplou, diante de si, uma representação dos poderes que haviam oprimido a Igreja. Eram quatro chifres -a Igreja é atacada por todos os lados. O profeta tinha boas razões para sentir-se desanimado. Mas, de repente, apareceram diante dele quatro ferreiros. Estes eram os homens que Deus havia encontrado para despedaçar aqueles chifres. Deus sempre achará homens para fazer a sua obra, e os achará no tempo certo. O profeta não havia visto os quatro ferreiros no início de sua visão, quando não havia nada a ser realizado. Primeiramente, vieram os chifres, e, em seguida, os ferreiros. Além disso, o Senhor encontra homens suficientes. Eram quatro chifres, então, deveria haver quatro ferreiros. Deus encontra os homens certos. Não eram quatro homens com canetas para escrever, nem quatro arquitetos para elaborar planos; eram quatro ferreiros, para fazer uma obra severa. Quando os chifres se tornassem bastante desagradáveis, os ferreiros seriam encontrados. Você não precisa se inquietar a respeito da fraqueza da Igreja. Apóstolos podem vir de lugares improváveis, e profetas podem surgir das mais densas trevas da pobreza. O Senhor sabe onde encontrar seus servos. Ele tem uma multidão de homens fortes, preparados para atacar de surpresa o inimigo; e ante a ordem do Senhor, eles começarão a batalha. A batalha é do Senhor, e Ele será vitorioso. Permaneçamos fiéis a Cristo, e Ele, no seu tempo, suscitará uma defesa para nós.

    • 2 min
    4 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    4 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    4 de Dezembro. Também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo. (Romanos 8.23)

    Este gemido é universal entre os santos. É o som de um desejo, em vez do som de um desapontamento. Esperamos pelo dia quando toda a nossa humanidade, em sua trindade de corpo, alma e espírito, será livre dos últimos vestígios do pecado. Anelamos despojar-nos de nossa corrupção, fraqueza e desonra, para sermos revestidos de incorrupção, imortalidade e glória que o Senhor Jesus dará ao seu povo. Anelamos pela manifestação de nossa adoção como filhos de Deus.
    Nós gememos, mas o fazemos em nosso íntimo. Não é o gemido do hipócrita, que tem o propósito de fazer os outros acreditarem que somos crentes, porque estamos sofrendo. Conservamos nossos anelos tão-somente para o nosso Senhor. Não temos de murmurar, como Jonas ou Elias, quando disseram: "Deixa-me morrer". Não devemos suspirar e choramingar pelo fim de nossa vida, porque estamos cansados do trabalho ou porque desejamos escapar de nossos sofrimentos presentes. Devemos gemer pela glorificação, mas temos de aguardá-la com paciência, reconhecendo que o tempo do Senhor é o melhor. Aguardar implica em estar preparado. Temos de permanecer à porta, esperando o Noivo abri-la e levar-nos para Si mesmo.
    Este gemer é um teste. Podemos julgar um homem por meio daquilo pelo que ele geme. Alguns gemem por riqueza. Alguns gemem constantemente diante dos problemas da vida. No entanto, o homem que anela por Deus, sentindo-se inquieto até que seja conformado à imagem de Cristo, esse é o homem verdadeiramente bendito. Que o Senhor nos ajude a gemer pela volta do Senhor Jesus e pela ressurreição que Ele trará para nós.

    • 2 min
    3 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    3 de dezembro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    3 de Dezembro.

    Versículo do dia: Em ti não há defeito. (Cântico dos Cânticos 4.7)

    Havendo declarado sua igreja positivamente repleta de beleza, nosso Senhor confirma sua apreciação por meio de uma preciosa negação: “Em ti não há defeito”. É como se o Noivo tivesse pensado que o mundo insinuaria que Ele mencionara apenas as partes agradáveis da igreja e omitido, propositada­ mente, as características deformadas ou corrompidas. O Senhor Jesus resume tudo, declarando a beleza universal e completa da igreja, bem como a sua total ausência de mácula. Uma mancha é a menor coisa que pode deformar a beleza. Entretanto, mesmo desta pequena mancha, o crente é liberto à vista de seu Senhor. Se o Senhor Jesus houvesse dito que a igreja não tem nenhuma cicatriz severa, nenhuma deformidade horrível, nenhuma úlcera mortal, poderíamos nos admirar disso. Mas quando Ele testemunha que a igreja está livre de qualquer mancha, todas estas outras formas de aviltamento estão incluídas, e a profundidade do milagre aumenta. Se o Senhor Jesus houvesse prometido remover todas as manchas, agora mesmo ou no futuro, teríamos um motivo de regozijo eterno. No entanto, quando Ele fala sobre isto como algo que já foi realizado, quem pode conter as mais intensas emoções de satisfação e deleite? O Senhor Jesus não tem qualquer disputa com a sua esposa. Freqüentemente ela se afasta e entristece o Espírito Santo dEle. Todavia, o Senhor Jesus não permite que os erros de sua esposa afetem o seu amor. Às vezes, Ele a repreende, mas sempre da maneira mais carinhosa e com as melhores intenções. Ele a chama “querida minha” (Cântico dos Cânticos 4.1) mesmo quando ela erra. Não há qualquer recordação de nossas tolices. O Senhor Jesus não nutre pensamentos ruins sobre nós; mas, nos perdoa e ama, depois da ofensa, com a mesma afeição com que nos amava antes. Seu perdão é benéfico a nós, pois se Jesus fosse tão atento às ofensas como nós somos, como poderia Ele ter comunhão conosco? Nosso querido Esposo conhece muito bem os nossos corações insensatos para que se ofenda com nossas atitudes tolas.

    • 3 min

Opiniões de clientes

4,9 de 5
118 avaliações

118 avaliações

Pamdp ,

É incrível!

Escuto todo dia e é um alento pra alma!

danidrs ,

Deus seja louvado!

Obrigada por disponibilizar doses diárias de reflexões sobre nossa vida Cristã.

LiaSeveN ,

Herói da fé!

Que esse projeto alcance muitas almas! Que maravilhoso ter as ministrações de Spurgeon dessa forma! Louvado seja Deus pelo Ministério Fiel!

Top podcasts em Religião e espiritualidade

Você Também Pode Gostar de