367 episódios

C. H. Spurgeon nos leva a refletir sobre as maravilhas do amor de Deus. Destacando versículos bíblicos para cada dia do ano, Spurgeon os comenta de modo piedoso, submisso e encorajador, oferecendo-nos a nutrição que a nossa alma necessita.

Devocional Diário CHARLES SPURGEON Ministério Fiel

    • Cristianismo
    • 4.9 • 102 avaliações

C. H. Spurgeon nos leva a refletir sobre as maravilhas do amor de Deus. Destacando versículos bíblicos para cada dia do ano, Spurgeon os comenta de modo piedoso, submisso e encorajador, oferecendo-nos a nutrição que a nossa alma necessita.

    16 de janeiro - Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    16 de janeiro - Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    http://voltemosaoevangelho.com/blog/2015/12/devocional-charles-spurgeon

    Eu te ajudo, diz o SENHOR. (Isaías 41.14)

    Neste dia, ouçamos o Senhor Jesus falando a cada um de nós: "Eu ajudo você. Ajudá-lo é fácil para mim. Pense no que já fiz. Não o ajudei? Ora, eu o comprei com o meu sangue. Morri por você. Se já fiz as coisas maiores, não farei as menores? Falar com você é somente uma das menores coisas que posso fazer. Já fiz muito e ainda farei mais. Antes de o mundo existir, eu lhe escolhi. Fiz uma aliança em seu benefício. Por causa de você, deixei de lado a minha glória e me tornei homem. Dei a minha vida por você. E, se fiz tudo isso, certamente o ajudarei agora. Eu lhe darei aquilo que já conquistei por você. Se você precisasse de ajuda milhares de vezes, Eu a daria. Você pouco necessita em comparação com o que estou disposto a dar. Necessitar significa muito para você; dar não é difícil para mim. Ajudá-Lo? Não tema! Se houvesse uma formiga à porta de seu celeiro pedindo ajuda, não lhe arruinaria dar-lhe um punhado de seu trigo. Você não passa de um inseto à porta de minha infinita suficiência. Eu o ajudarei".

    Ó minha alma, isto não é o suficiente? Você precisa de mais força do que a onipotência da Trindade? Quer mais sabedoria do que a do Pai, mais amor do que o revelado pelo Filho e mais poder do que o manifestado nas influências do Espírito Santo? Traga até aqui a sua jarra vazia! Certamente esta fonte a encherá. Não perca tempo, junte suas necessidades e traga-as até aqui - seu vazio, suas tristezas, suas deficiências. Veja, este rio de Deus tem abundância para você. O que mais você pode desejar? Prossiga, minha alma, na força que tem. O Deus eterno é o seu ajudador!

    Não temas: Estou contigo; Oh, não te deixes desanimar! Sou o teu Deus; e só por isso, Eu continuo a te ajudar!

    • 2 min
    15 de janeiro - Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    15 de janeiro - Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    http://voltemosaoevangelho.com/blog/2015/12/devocional-charles-spurgeon/

    Faze como falaste. (2 Samuel 7.25)

    As promessas de Deus nunca foram dadas com o propósito de serem deixadas de lado. Deus tencionava que suas promessas fossem utilizadas. O ouro de Deus não é o dinheiro do avarento, mas é cunhado para que com ele sejam feitas trocas. Nada agrada mais nosso Senhor do que ver suas promessas em circulação. Ele tem prazer em ver seus filhos trazendo-as diante dele e dizendo: "Senhor, faze como falaste". Glorificamos a Deus, quando Lhe suplicamos que cumpra suas promessas. Você pensa que Deus ficará, de algum modo, mais pobre por dar-lhe as riquezas que prometeu? Você imagina que Ele ficará menos santo após dar santidade a você? Imagina que Ele ficará menos puro após limpá-lo de seus pecados? Ele disse: "Vinde, pois, e arrazoemos... ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; (Isaías 1.18).

    A fé toma posse da promessa do perdão; ela não se demora dizendo: "Esta é uma promessa preciosa, mas eu me pergunto se é verdadeira". Pelo contrário, a fé se dirige diretamente ao trono da graça e reivindica: "Senhor, aqui está a promessa. Faze como falaste". Nosso Senhor responde: "Faça-se contigo como queres" (Mateus 15.28). Quando o crente compreende uma promessa, se ele não a leva até Deus, desonra-O; mas quando ele se apressa ao trono da graça e clama: "Senhor, não tenho nada a meu favor, exceto isto: o Senhor falou", então seu desejo estará garantido. Nosso Banqueiro Celestial se deleita em pagar suas próprias notas promissórias. Não deixe a promessa enferrujar-se: Desembainhe a promessa e use-a com santa intrepidez. Não pense que Deus ficará irritado por sua persistência em relembrá-Lo de suas promessas. Ele ama ouvir o clamor de almas necessitadas. Ele se deleita em conceder favores. Ele está mais disposto a ouvir do que você está disposto a pedir. O sol não se cansa de resplandecer, nem a fonte de jorrar. Faz par te da natureza de Deus o cumprir as suas promessas. Portanto, busque o seu trono imediatamente, dizendo: "Faze como falaste".

    • 3 min
    14 de janeiro - Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    14 de janeiro - Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    http://voltemosaoevangelho.com/blog/2015/12/devocional-charles-spurgeon/

    Poderoso para salvar. (Isaías 63.1)

    A expressão "para salvar" nos fala a respeito de toda a grandiosa obra de salvação, desde o primeiro desejo santo até à santificação completa. As palavras sãomultum in parvo - muito em pouco. Na verdade, aqui temos toda misericórdia em poucas palavras. Cristo não é somente poderoso para salvar aqueles que se arrependem, mas também é capaz de fazer os homens arrependerem-se. Ele conduzirá ao céu todos aqueles que creem. Além disso, Ele é também poderoso para dar aos homens um novo coração e neles produzir a fé. O Senhor Jesus é capaz de fazer o homem que odeia a santidade vir a amá-la e constranger aquele que O despreza a prostrar-se, de joelhos, aos pés dele.

    A vida do crente é uma série de milagres realizados pelo Deus poderoso. A sarça se queima, mas não se consome. Cristo é bastante poderoso para guardar seu povo em santidade, depois de torná-los santos e de preservá-los em seu temor e amor, até consumar a existência espiritual deles no céu. O poder de Cristo não consiste em fazer discípulos e, depois, deixá-los entregues a si mesmos. "Aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus" (Filipenses 1.6). Aquele que concede o primeiro sinal de vida na alma morta, prolonga a existência divina e a fortalece até que ela irrompa separada de qualquer vínculo com o pecado e, finalmente, deixe a terra, aperfeiçoada em glória. Crente, isto deve servir-lhe de encorajamento. Você está orando por algum de seus queridos? Não pare de orar, pois Cristo é "poderoso para salvar". Você não tem poder de converter o rebelde, mas o seu Senhor é todo poderoso. Apegue-se àquele braço poderoso e instigue-o a manifestar o seu poder. A sua própria situação inquieta a você mesmo? Não tema, o poder do Senhor lhe é suficiente. Quer seja para começar a obra nos outros, quer seja para continuá-la em você, Jesus é "poderoso para salvar". A melhor prova disso é o fato de que Ele já o salvou. Milhares de misericórdias estão sobre você e o Senhor não as retirará!

    • 3 min
    13 de janeiro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    13 de janeiro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    Saiba mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2015/12/devocional-charles-spurgeon

    "Fez Josafá navios de Társis, para irem a Ofir em busca de ouro; porém, não foram, porque os navios se quebraram em Eziom-Geber." (1Reis 22.49)

    Os navios de Salomão retornaram em segurança, mas os de Josafá nunca chegaram à terra do ouro. A Providência faz prosperar a um e frustra os desejos de outro, no mesmo negócio, ao mesmo tempo. Apesar disso, o Grande Administrador é tão bom e sábio em uma época como na outra. Na lembrança deste versículo, tenhamos graça hoje, para bendizer o Senhor pelos navios quebrados em Eziom-Geber, bem como pelos navios repletos de bênçãos terrenas. Não tenhamos inveja dos mais prósperos, nem murmuremos diante de nossas perdas, como se estivéssemos sendo provados de maneira especial e singular. Semelhantemente a Josafá, podemos ser preciosos aos olhos do Senhor, embora nossos projetos findem em desapontamentos.

    A causa secreta da perda de Josafá é digna de ser observada, visto que ela é a raiz de muitos dos sofrimentos do povo do Senhor. Foi a aliança de Josafá com uma família pecaminosa e seu companheirismo com pecadores que causaram o desastre. Em 2 Crônicas 20.37, somos informados de que o Senhor enviou um profeta, para declarar: "Porquanto te aliaste com Acazias, o SENHOR destruiu as tuas obras". Esta foi uma disciplina paternal, que, parece ter abençoado Josafá, pois no verso que segue o texto deste dia, nós o encontramos recusando-se a permitir que seus servos velejassem nos mesmos barcos com os servos do rei perverso. A experiência de Josafá deve ser uma advertência para o resto do povo do Senhor, a fim de que evitem estar inequivocamente unidos com os incrédulos (ver 2 Coríntios 6.14)! Uma vida de miséria geralmente é a sorte dos que são unidos em casamento, ou em qualquer outro tipo de relacionamento, com as pessoas do mundo. Oh! Que tenhamos mais amor por Jesus e que, como Ele, sejamos santos, inculpáveis, imaculados e separados dos pecadores (ver Hebreus 7.26).

    • 2 min
    12 de janeiro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    12 de janeiro | Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    Saiba mais: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2015/12/devocional-charles-spurgeon

    "E vós, de Cristo, e Cristo, de Deus." (1Coríntios 3.23)

    Você é de Cristo. Pertence a Ele por doação, porque o Pai lhe deu ao Filho. Foi comprado por meio do sangue de Cristo, pois Ele levou em conta o preço que pagou por sua redenção. Você pertence a Cristo por dedicação, porque Ele o consagrou para si mesmo. Você pertence a Cristo por relacionamento, pois é chamado pelo nome dele, tornado um de seus irmãos e coerdeiros. Dedique-se para mostrar ao mundo, na prática, que você é o servo, o amigo, a noiva de Jesus. Quando for tentado a pecar, responda: "Não posso cometer esta grande impiedade, porque sou de Cristo". Princípios imortais proíbem o amigo de Cristo de pecar. Quando for fácil conquistar riqueza por meios pecaminosos, diga que você pertence a Cristo e afaste-se dela. Você está exposto a dificuldades e perigos? Permaneça firme no dia mau, lembrando que você pertence a Cristo.

    Você foi enviado aonde outros se assentam ociosamente, sem fazer nada? Com todas as suas forças, levante-se para a obra. Quando o suor estiver escorrendo em seu rosto e você for tentado a trabalhar vagarosamente, clame: "Não, eu não devo parar, pois sou de Cristo. Se eu não fosse comprado por sangue, seria como 'Issacar... de repouso entre os rebanhos de ovelhas' (Gênesis 49.14); mas eu sou de Cristo e não posso perder tempo". Quando a sedutora canção de prazer tentá-lo a sair do caminho da retidão, responda: "Sua música não pode me encantar, eu sou de Cristo". Quando a causa de Deus o chamar, dedique-se a ela. Quando o pobre necessitar de você, dê-lhe de si mesmo e de seus bens, porque você é de Cristo. Nunca contradiga sua profissão de fé. Sempre seja uma pessoa cujas atitudes são peculiares dos discípulos de Cristo, cujo falar é semelhante ao do Nazareno, cujo comportamento e conversa se mostram tão sugestivos do céu, que todos podem ver que você pertence ao Salvador. Que as pessoas reconheçam em você as características do amor de Cristo e seu semblante de santidade. Valioso é o seguinte argumento, e que ele seja seu: "Eu sou de Cristo".

    • 3 min
    11 de janeiro - Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    11 de janeiro - Devocional Diário CHARLES SPURGEON

    Estes não têm raiz. (Lucas 8.13)

    O minha alma, examina-te à luz deste versículo. Recebeste a Palavra com alegria. Teus sentimentos espirituais foram aguçados e uma impressão vívida foi criada. Lembra que receber a Palavra com os ouvidos é uma coisa e que receber a Jesus no íntimo é outra bem diferente. Sentimentos superficiais geralmente acompanham dureza de coração e uma intensa impressão da Palavra nem sempre é definitiva.

    Nesta parábola, a semente, em um caso, caiu no solo rochoso coberto por uma fina camada de terra. Quando a semente começou a criar raízes, seu crescimento para baixo foi obstruído pelas pedras. Por isso, ela utilizou as suas forças para empurrar as folhas a romperem, tanto quanto pudessem, em direção ao alto. No entanto, não possuindo seiva em seu interior, obtida do nutrimento das raízes, ela murchou.

    Será que este é o meu caso? Tenho feito uma exibição na carne, sem possuir uma vida interior correspondente? O crescimento excelente ocorre tanto para cima como para baixo, ao mesmo tempo. Estou arraigado em sincera fidelidade e amor para com o Senhor Jesus? Se meu coração permanece endurecido e não está sendo nutrido pela graça de Deus, a boa semente pode germinar por um tempo, mas murchará depois, visto que não pode florescer em um espírito não-quebrantado e não-santificado. Devo temer uma piedade que cresce tão rápido, que carece de firmeza, como a planta de Jonas. Tenho de avaliar o custo de seguir a Cristo. Devo sentir o poder do seu Espírito Santo; então, possuirei uma semente duradoura e permanente em minha alma. Se meu caráter permanecer obstinado como o era por natureza, o sol do julgamento queimará e meu duro coração ajudará o calor a atingir mais a semente mal coberta. Logo minha fé morrerá e meu desespero será terrível; portanto, ó Semeador celeste, ara-me primeiro e depois, coloca a verdade dentro de mim. Deixa-me produzir uma abundante safra para Ti. '

    • 2 min

Opiniões de clientes

4.9 de 5
102 avaliações

102 avaliações

Pamdp ,

É incrível!

Escuto todo dia e é um alento pra alma!

danidrs ,

Deus seja louvado!

Obrigada por disponibilizar doses diárias de reflexões sobre nossa vida Cristã.

LiaSeveN ,

Herói da fé!

Que esse projeto alcance muitas almas! Que maravilhoso ter as ministrações de Spurgeon dessa forma! Louvado seja Deus pelo Ministério Fiel!

Top podcasts em Cristianismo

Ouvintes também assinaram