18 min

Gorduras Boas e Ruins para o Cérebro Pergunte ao Psiquiatra - Dicas Sobre Saúde & Bem-Estar

    • Saúde mental

Dr. Sergio Klepacz, da Clínica TotalBalance, explica quais são as gorduras boas e ruins para o cérebro.



Neste vídeo você irá conferir:



A importância das gorduras para o cérebroQuais são as diferenças entre as gorduras boas e ruinsOs alimentos que você deve consumir e evitar para o equilíbrio emocional



Siga o programa no Instagram.



Transcrição



Bom dia. Queria abordar com vocês um tema, tentar explicar pra vocês de um jeito simplificado, tá?



Porque eu acho que a gente tem que entender as bases da coisa, e a importância de um determinado assunto. Vou falar sobre gorduras.



Bom, o que que tem que ver gordura com questões psíquicas, com o sistema emocional? Na verdade, tem tudo a ver. O cérebro, ele é feito de gordura. E eu vou explicar pra vocês que tipo de gordura, e como isso aí acontece, tá?



Vou tentar ser de um jeito sintético e simplificado, porque envolve as questões químicas, que eu não vou ficar falando muito. Então, eu vou colocar aqui. É uma aulinha sobre gorduras. Então, aqui, nós temos essa aulinha que eu vou dar sobre gorduras. Na verdade, quando a gente fala gordura, a gente fala ácido graxo, que é a mesma coisa de gordura. Então, não se espante, que vocês vão ver esse nome aqui.



Então, na verdade, a gente tem aquele preconceito contra gordura.



Gordura é uma coisa ruim, é uma coisa que afeta, deixa a pessoa gorda, etc., etc.".



Mas, na verdade, gordura não é bem assim. Gordura... existem gorduras importantíssimas, que, sem ela, a gente não teria evoluído e se transformado em Homo sapiens. Olha que interessante. Eu vou contar essa história pra vocês. Então, por que que a gordura é importante?



Porque como você pode ver, isso aqui é a célula, a membrana de um neurônio, é a parte da célula onde... que divide o exterior com o interior, ou como se fosse a pele do neurônio, e essa camadinha aqui marrom escura, aqui, e junto com essa parte mais clara, na verdade, são gorduras que ficam uma juntinho da outra, formando a chamada membrana do neurônio.



E é nessa membrana que existem esses poros, essas moléculas todas aí, que fazem todo o trabalho de excitar o neurônio, desexcitar, acalmar. Então, todos os processos mentais passam por essa... pelo impulso nervoso, na verdade. Você mexe uma mão, né, você tá acionando um impulso nervoso.



Então, esse aqui é o neurônio. Então, na verdade, é como se fosse um fio elétrico. E esse braço do neurônio chamado axônio, é que corre o chamado impulso nervoso, ou nada mais é do que uma espécie de eletricidade, que, obviamente, com uma corrente muito pequenininha, né? Com potencial muito pequenininho, mas que dá até pra medir eletricamente.



Quando a gente faz um eletroencefalograma, a gente, na verdade, tá medindo esse tipo de eletricidade que passa pelo neurônio. Então, como eu falei pra vocês, a célula do neurônio, aonde passa a eletricidade, existem... ele é feito de gordura. Então, aqui, eu tô dando um exemplo, por que que tem gorduras boas e gorduras ruins, na verdade, pro cérebro. Então, gordura saturada, -eu vou falar da gordura saturada-, que é a gordura da carne, aquela gordura quando você come uma picanha, você vai comer a gordura saturada. E aqui é a gordura insaturada ou monoinsaturada, que é a gordura que vem do peixe, aquele chamada gordura ômega 3, que seríamos, digamos assim, a gordura boa.



Então, você vê aqui, no primeiro caso, uma gordura rígida, muito bem encaixadinha uma na outra, então, o impulso nervoso não corre tão fluido, tão rápido. Já ao passo que no caso da gordura insaturada, -essa que é toda bagunçada-, mas ela é mais líquida, não é rígida, o que dá uma melhora no processo de transmissão do impulso nervoso, portanto, melhora o funcionamento do cérebro. Então, como eu tava falando pra vocês, muita gente tem preconceito a gorduras, né? Pessoas têm pânico de engordar.



"Não como gordura de j

Dr. Sergio Klepacz, da Clínica TotalBalance, explica quais são as gorduras boas e ruins para o cérebro.



Neste vídeo você irá conferir:



A importância das gorduras para o cérebroQuais são as diferenças entre as gorduras boas e ruinsOs alimentos que você deve consumir e evitar para o equilíbrio emocional



Siga o programa no Instagram.



Transcrição



Bom dia. Queria abordar com vocês um tema, tentar explicar pra vocês de um jeito simplificado, tá?



Porque eu acho que a gente tem que entender as bases da coisa, e a importância de um determinado assunto. Vou falar sobre gorduras.



Bom, o que que tem que ver gordura com questões psíquicas, com o sistema emocional? Na verdade, tem tudo a ver. O cérebro, ele é feito de gordura. E eu vou explicar pra vocês que tipo de gordura, e como isso aí acontece, tá?



Vou tentar ser de um jeito sintético e simplificado, porque envolve as questões químicas, que eu não vou ficar falando muito. Então, eu vou colocar aqui. É uma aulinha sobre gorduras. Então, aqui, nós temos essa aulinha que eu vou dar sobre gorduras. Na verdade, quando a gente fala gordura, a gente fala ácido graxo, que é a mesma coisa de gordura. Então, não se espante, que vocês vão ver esse nome aqui.



Então, na verdade, a gente tem aquele preconceito contra gordura.



Gordura é uma coisa ruim, é uma coisa que afeta, deixa a pessoa gorda, etc., etc.".



Mas, na verdade, gordura não é bem assim. Gordura... existem gorduras importantíssimas, que, sem ela, a gente não teria evoluído e se transformado em Homo sapiens. Olha que interessante. Eu vou contar essa história pra vocês. Então, por que que a gordura é importante?



Porque como você pode ver, isso aqui é a célula, a membrana de um neurônio, é a parte da célula onde... que divide o exterior com o interior, ou como se fosse a pele do neurônio, e essa camadinha aqui marrom escura, aqui, e junto com essa parte mais clara, na verdade, são gorduras que ficam uma juntinho da outra, formando a chamada membrana do neurônio.



E é nessa membrana que existem esses poros, essas moléculas todas aí, que fazem todo o trabalho de excitar o neurônio, desexcitar, acalmar. Então, todos os processos mentais passam por essa... pelo impulso nervoso, na verdade. Você mexe uma mão, né, você tá acionando um impulso nervoso.



Então, esse aqui é o neurônio. Então, na verdade, é como se fosse um fio elétrico. E esse braço do neurônio chamado axônio, é que corre o chamado impulso nervoso, ou nada mais é do que uma espécie de eletricidade, que, obviamente, com uma corrente muito pequenininha, né? Com potencial muito pequenininho, mas que dá até pra medir eletricamente.



Quando a gente faz um eletroencefalograma, a gente, na verdade, tá medindo esse tipo de eletricidade que passa pelo neurônio. Então, como eu falei pra vocês, a célula do neurônio, aonde passa a eletricidade, existem... ele é feito de gordura. Então, aqui, eu tô dando um exemplo, por que que tem gorduras boas e gorduras ruins, na verdade, pro cérebro. Então, gordura saturada, -eu vou falar da gordura saturada-, que é a gordura da carne, aquela gordura quando você come uma picanha, você vai comer a gordura saturada. E aqui é a gordura insaturada ou monoinsaturada, que é a gordura que vem do peixe, aquele chamada gordura ômega 3, que seríamos, digamos assim, a gordura boa.



Então, você vê aqui, no primeiro caso, uma gordura rígida, muito bem encaixadinha uma na outra, então, o impulso nervoso não corre tão fluido, tão rápido. Já ao passo que no caso da gordura insaturada, -essa que é toda bagunçada-, mas ela é mais líquida, não é rígida, o que dá uma melhora no processo de transmissão do impulso nervoso, portanto, melhora o funcionamento do cérebro. Então, como eu tava falando pra vocês, muita gente tem preconceito a gorduras, né? Pessoas têm pânico de engordar.



"Não como gordura de j

18 min