27 episódios

Histórias reais, de gente como a gente, para você ouvir e se inspirar enquanto da uma geral na sua cozinha. Um podcast do ter.a.pia!

Histórias para ouvir lavando louça ter.a.pia

    • Sociedade e cultura
    • 4,8 • 6 avaliações

Histórias reais, de gente como a gente, para você ouvir e se inspirar enquanto da uma geral na sua cozinha. Um podcast do ter.a.pia!

    A INFÂNCIA ROUBADA DE UMA CRIANÇA TRANS

    A INFÂNCIA ROUBADA DE UMA CRIANÇA TRANS

    A história da Naomi não é exceção à regra na vida de tantas mulheres trans e travestis no Brasil. A história da Naomi é a história de uma infância roubada, negada. Desde os 11 anos ela é violentada das piores formas apenas por expressar quem é, por não se adequar ao que esperavam dela. 

    Agredida com uma colher quente pela mãe, ameaçada na rua, abusada sexualmente por familiares e por estranhos, expulsa de casa... Não havia outra forma de sobreviver nas ruas, senão usando seu corpo como ferramenta de trabalho. Mais uma agressão, uma marca na alma. Tudo isso antes mesmo de se entender como pessoa. 

    A história da Naomi é forte, é dura, mas importante ser ouvida para podermos, enquanto sociedade, mudar esse caminho destinado a tantas outras Naomis que ainda sofrem com a discriminação e a exclusão. 

    O Histórias para ouvir lavando louça é um podcast do ter.a.pia apresentado por Alexandre Simone e Lucas Galdino. Para conhecer mais do ter.a.pia, acesse historiasdeterapia.com.  

    Edição: Felipe Dantas

    Roteiro: Luigi Madormo

    • 42 min
    CONHECI MEU MARIDO POR CAUSA DO TER.A.PIA

    CONHECI MEU MARIDO POR CAUSA DO TER.A.PIA

    A história da Lu já foi contada aqui no ter.a.pia, no ano passado, sobre a doação e amor dela para com seu filho Bento, um menino trans, e foi através dessa história de amor incondicional de uma mãe e filho que surge Roberto, um rapaz que assistiu à história e se encantou por ela. 

    Meses depois ele entra em contato com a Luciana e os dois começam a conversar sobre a vida, sobre família e sobre a causa LGBTQIA+. Esse papo despretensioso se tornou algo recorrente no dia a dia dos dois, que hoje formam um casal feliz e realizado. 

    A história da Lu com o Bento tá disponível aqui: https://facebook.com/525903814759325.

    O Histórias para ouvir lavando louça é um podcast do ter.a.pia apresentado por Alexandre Simone e Lucas Galdino. Para conhecer mais do ter.a.pia, acesse historiasdeterapia.com. 

    Edição: Felipe Dantas

    • 28 min
    MUDEI A VIDA DE 400 FAMÍLIAS ATRAVÉS DO JIU JITSU

    MUDEI A VIDA DE 400 FAMÍLIAS ATRAVÉS DO JIU JITSU

    O Rodrigo nasceu numa família humilde do interior de Minas e nunca pensou que o Jiu Jistu poderia transformar a vida dele do jeito que transformou, e que mais tarde faria ele transformar a vida outras 450 crianças em situação de vulnerabilidade social.

    Bem jovem, o Rodrigo foi convidado por um mestre de Jiu Jitsu para fazer as aulas, mas ele não tinha dinheiro para isso. Foi aí que o mentor sugeriu dele limpar o tatame após os treinos e lutas em troca das aulas. Sem nem pensar, o Rodrigo aceitou.

    A arte marcial foi tão importante nesse momento para o Rodrigo que além de um lutador, ele também cresceu como pessoa, como cidadão. Vendo seus colegas de tatame falando sobre vestibulares e faculdade - algo que ele jamais pensou que faria - e decidiu que também se tornaria um universitário, e conseguiu!

    Juntanto aqui, fazendo um bico ali ele conseguiu entrar na faculdade de engenharia e para ganhar uma bolsa de estudos, ele desenvolveu o @tatamedobem_oficial, um projeto que começou oferencendo aulas de Jiu Jitsu para as crianças do bairro dele, mas que em oito anos já transformou a vida de mais de 450 de crianças!

    Hoje o Tatame do Bem vai além das aulas de artes marciais e oferece assistência social, alimentação, aulas de informática e cursos profissionalizantes. E como o Rodrigo diz, o projeto visa transformar esses jovens campeões, mas não só dentro do tatame, como fora também!

    O Histórias para ouvir lavando louça é um podcast do ter.a.pia apresentado por Alexandre Simone e Lucas Galdino. Para conhecer mais do ter.a.pia, acesse historiasdeterapia.com.

    Roteiro: Luigi Madormo


    Edição: Felipe Dantas

    • 23 min
    PROVEI QUE SER MÃE NÃO ME LIMITA EM NADA!

    PROVEI QUE SER MÃE NÃO ME LIMITA EM NADA!

    A Giselli teve seu primeiro filho aos 15 anos. Até os 21, ela teve mais três filhos. Mas ela decidiu que não iria ser julgada por ser uma mãe solo e jovem e buscou mudar toda sua vida.

    A maternidade precoce não é algo raro no nosso país. Quantos casos a gente não conhece de crianças que acabaram virando pais de outras crianças muito cedo, né?

    E por mais que isso seja uma questão que deve ser discutida como assunto de interesse público - cada vez se faz mais urgente falar sobre educação sexual - a primeira coisa que não deve ser feita é a condenação moral.

    É importante que a gente entenda que o acolhimento emocional é essencial para que a gente deixe de enxergar a maternidade / paternidade precoce como o fim da linha de muitos jovens.  

    Um exemplo disso, é a própria Giselli que foi se ajeitando, voltou a estudar e começou a trilhar um caminho de sucesso depois que sua família a acolheu. Hoje, aos 35 anos, ela é concursada, tem sua casinha própria e cria seus filhos da melhor maneira possível!

    E mesmo que apareça uma ou outra pessoa para julgá-la, ela tira tudo de letra porque sabe que sua trajetória pode ser inspiradora para outras mães jovens e/ou solo.

    O Histórias para ouvir lavando louça é um podcast do ter.a.pia apresentado por Alexandre Simone e Lucas Galdino. Para conhecer mais do ter.a.pia, acesse historiasdeterapia.com. 

    Roteiro: Luigi Madormo 

    Edição: Felipe Dantas

    • 21 min
    MINHA MÃE TEM SÍNDROME DE DOWN

    MINHA MÃE TEM SÍNDROME DE DOWN

    Pode jogar fora todas as suposições que você teve quando leu o título desse episódio. A dona Izabel, mãe da Cris, tem Síndrome de Down, mas a história delas não é nada comum.

    Caçula de uma família de 19 irmãos, a Dona Izabel passou parte da vida sendo considerada pelos familiares como alguém que vivia "no mundo da lua", mas ninguém apontava o dedo para ela por conta disso. Era o jeitinho dela, e ponto.

    Aos 25 anos, Izabel começou a namorar com José Ribeiro, um primo de segundo grau, que morava próximo. Seis meses depois, eles decidiram se casar. Alguns dos irmãos dela não queriam deixar porque falavam que ela não era muito certa, mas a mãe dela permitiu.  

    Desde o início, tanto Izabel, quanto José queriam ter filhos, mas passaram-se 10 anos e nada deles engravidarem. Até que decidiram levá-la ao médico para descobrir o motivo.   

    E só nessa consulta, aos 35 anos de idade, que Izabel e a família descobriram que ela tinha Síndrome de Down. O médico que passou o diagnóstico lembrou que, por isso, ela não poderia ter filhos porque pessoas com trissomia do cromossomo 21 são, geralmente, inférteis.   

    Estudos apontam que metade das mulheres que possuem a alteração genética são inférteis. Entre os homens com a síndrome, a infertilidade chega a atingir 80% deles.  Mas não era o caso da Izabel. Ela veio pra quebrar essas barreiras biológicas. Ela engravidou meses depois dessa consulta, mas isso começou a gerar um desconforto na família.  

    Com a informação da síndrome, os parentes da Izabel tinham receio sobre a capacidade dela para cuidar de um bebê. Mas ela era, e é, muito determinada! E resolveu mostrar pra todo mundo que poderia cuidar da filha, sim!  

    E a síndrome, assim como nunca atrapalhou a vida da dona Izabel, também não a fazia uma mãe ruim, pelo contrário! Ela sempre foi muito amorosa e cuidadosa.   

    E para a Cris isso foi fundamental enquanto foi crescendo. Hoje, com 30 anos, ela conta com o apoio da mãe para cuidar dos seus filhos também. E a vovó Bela é a melhor vó do mundo, assim como foi a melhor mãe do mundo também!

    O Histórias para ouvir lavando louça é um podcast do ter.a.pia apresentado por Alexandre Simone e Lucas Galdino. Para conhecer mais do ter.a.pia, acesse historiasdeterapia.com.

    Roteiro: Luigi Madormo

    Edição: Felipe Dantas

    • 17 min
    FUI DEIXADA NA PORTA DOS MEUS PAIS COMO UM PRESENTE

    FUI DEIXADA NA PORTA DOS MEUS PAIS COMO UM PRESENTE

    A Mari foi colocada na porta da casa dos seus pais ainda recém-nascida, e sem titubear eles acolheram aquele pacotinho deixado como um presente para eles. 

    Crescer nessa família cheia de amor fez dela uma mulher muito forte e que entendeu com o tempo que a mulher que lhe gerou talvez tenha feito o que fez por amor. 

    O Histórias para ouvir lavando louça é um podcast do ter.a.pia apresentado por Alexandre Simone e Lucas Galdino. Para conhecer mais do ter.a.pia, acesse historiasdeterapia.com. 

    Roteiro: Luigi Madormo 

    Edição: Felipe Dantas

    • 21 min

Opiniões de clientes

4,8 de 5
6 avaliações

6 avaliações

Top podcasts em Sociedade e cultura

Você Também Pode Gostar de