31 min

Logos #3: Ayn Rand e as virtudes do egoísmo Logos Gazeta do Povo

    • News

Ayn Rand nasceu em 1905 na Rússia e emigrou para os Estados Unidos em 1926. Até sua morte, em 1982, ela escreveu obras importantíssimas, como "A Virtude do Egoísmo”, "Capitalismo: Um Ideal desconhecido", e “A Revolta de Atlas”.

Ela viveu a revolução comunista de 1917, mas escapou da pior fase da ditadura comunista, ao emigrar com apenas 21 anos para os EUA. Rand tornou-se romancista e roteirista de cinema, mas foi como filósofa que ela desenvolveu arguta capacidade de observação da realidade política e social. 

Apesar das várias críticas que recebeu por tratar o egoísmo como uma formal, e até desejável; e por desprezar o “altruísmo”, Rand continua influente até hoje. 

Dennys Xavier, professor associado de Filosofa Antiga, Política e Ética da Universidade Federal e professor do Programa de Pós-graduação em Direito (UFU) comenta o tema. Ele lançou o livro “Ayn Rand e os Delírios do Altruísmo — Breves Lições”. O professor Dennys também é coordenador do Projeto Pragmata, que pesquisa soluções liberais para a educação brasileira, especialmente de nível superior.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos! Assine: https://assinaturas.gazetadopovo.com.br/


Escolha seu app favorito e receba uma seleção com as principais notícias do dia no seu celular: leia.gp/2MTnyrS

Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais:
Facebook: www.facebook.com/gazetadopovo
Twitter: twitter.com/gazetadopovo
Instagram: www.instagram.com/gazetadopovo
Google +: plus.google.com/+gazetadopovo

Ayn Rand nasceu em 1905 na Rússia e emigrou para os Estados Unidos em 1926. Até sua morte, em 1982, ela escreveu obras importantíssimas, como "A Virtude do Egoísmo”, "Capitalismo: Um Ideal desconhecido", e “A Revolta de Atlas”.

Ela viveu a revolução comunista de 1917, mas escapou da pior fase da ditadura comunista, ao emigrar com apenas 21 anos para os EUA. Rand tornou-se romancista e roteirista de cinema, mas foi como filósofa que ela desenvolveu arguta capacidade de observação da realidade política e social. 

Apesar das várias críticas que recebeu por tratar o egoísmo como uma formal, e até desejável; e por desprezar o “altruísmo”, Rand continua influente até hoje. 

Dennys Xavier, professor associado de Filosofa Antiga, Política e Ética da Universidade Federal e professor do Programa de Pós-graduação em Direito (UFU) comenta o tema. Ele lançou o livro “Ayn Rand e os Delírios do Altruísmo — Breves Lições”. O professor Dennys também é coordenador do Projeto Pragmata, que pesquisa soluções liberais para a educação brasileira, especialmente de nível superior.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos! Assine: https://assinaturas.gazetadopovo.com.br/


Escolha seu app favorito e receba uma seleção com as principais notícias do dia no seu celular: leia.gp/2MTnyrS

Acompanhe a Gazeta do Povo nas redes sociais:
Facebook: www.facebook.com/gazetadopovo
Twitter: twitter.com/gazetadopovo
Instagram: www.instagram.com/gazetadopovo
Google +: plus.google.com/+gazetadopovo

31 min

Top Podcasts In News