13 min

Nervos em Série – Parada Cultural das Nações #1 | Grécia + Refugiados NERVOS

    • Filme e TV

Depois de um longo hiato, o nosso podcast está de volta, mas, enquanto ainda não trazemos as entrevistas costumeiras, retornamos em novo formato, inédito por aqui: o de uma série especial, chamada Parada Cultural das Nações. Como a partir de hoje começa a contagem regressiva de 80 dias para o dia 23 de julho, no qual está marcada a Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que por conta da pandemia de Covid-19 foi adiado para este ano de 2021, por que não se inspirar neste evento e fazer um desfile de delegações, só que em vez de esportivas, culturais? Se não será possível viajar para ver as Olimpíadas – e para os brasileiros, para boa parte do globo – tivemos a ideia de fazer essa volta ao mundo em 80 dias, através do cinema, da música, TV, enfim, dos destaques culturais atuais que poderiam ser os porta-bandeiras desses países.

Vamos seguir, então, a ordem da Parada das Nações, como é oficialmente chamado o tradicional desfile das delegações olímpicas nas cerimônias de abertura e encerramento, conforme será realizada nessa edição em Tóquio, para traçar um breve panorama cultural desses países e dar dicas diárias dos destaques cinematográficos, musicais ou televisivos da atualidade em cada um dos times nacionais reconhecidos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Nem sempre será possível encontrar expoentes de todas essas áreas no caso de lugares que não têm uma indústria cultural bem desenvolvida, mas vamos fazer o máximo nesta maratona olímpica. E começamos, portanto, dando um pulo na Grécia, o berço histórico das Olimpíadas e falamos também sobre os refugiados que novamente terão uma equipe própria, assim como no Rio 2016, edição passada que foi aqui no Brasil, deixou saudade e da qual emprestamos este tema da entrega das medalhas para servir de fundo dessa série especial.

Ouça no lugar que você quiser: SoundCloud | Spotify | Deezer | iTunes | Google Podcasts | Orelo | Feed | Download

Parada Cultural das Nações #1
> A partir de 9s

Grécia
> A partir de 2min50s
- Porta-bandeira: o curta-metragem Leoforos Patision / Patision Avenue (2018), de Thanasis Neofotistos
- Destaques: os cantores Giorgos Sabanis, Josephine e Stefanis
- Citados: os filmes Stella (1955) e Zorba, o Grego (1964), de Michael Cacoyannis; Desaparecido: Um Grande Mistério (1982), de Costa-Gravas; A Eternidade e Um Dia (1998), de Theo Angelopoulos; Dente Canino (2009), de Yorgos Lanthimos; Miss Violence (2013) e Não Me Ame (2017), de Alexandros Avranas; e a banda Aphrodite’s Child, e seus ex-integrantes Demis Roussos e Vangelis Papathanassiou

Time Olímpico de Refugiados
> A partir de 7min51s
- Porta-bandeira: Orquestra Mundana Refugi
- Destaques: os filmes Mundos Opostos (2015), de Christoforos Papakaliatis; A Fuga (2021), de Jonas Poher Rasmussen; El Gran Viaje al País Pequeño (2019), de Mariana Viñoles; e Human Flow – Não Existe Lar se Não Há Para Onde Ir (2017), de Ai Weiwei

Encerramento
> A partir de 10min45s

Confira a transcrição completa deste podcast no site: https://www.nervos.com.br/post/paradaculturaldasnacoes1-grecia-refugiados

*Músicas presentes no podcast: “Brazilian Fantasy (Standard Version)”, de Alexandre de Faria; “Hino da Grécia”, de Dionýsios Solomós e Nikolaos Mantzaros; “Agria Thalassa”, de Giorgos Sabanis; e “Wassa Wassa (da Quarentena)”, de Orquestra Mundana Refugif

Depois de um longo hiato, o nosso podcast está de volta, mas, enquanto ainda não trazemos as entrevistas costumeiras, retornamos em novo formato, inédito por aqui: o de uma série especial, chamada Parada Cultural das Nações. Como a partir de hoje começa a contagem regressiva de 80 dias para o dia 23 de julho, no qual está marcada a Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que por conta da pandemia de Covid-19 foi adiado para este ano de 2021, por que não se inspirar neste evento e fazer um desfile de delegações, só que em vez de esportivas, culturais? Se não será possível viajar para ver as Olimpíadas – e para os brasileiros, para boa parte do globo – tivemos a ideia de fazer essa volta ao mundo em 80 dias, através do cinema, da música, TV, enfim, dos destaques culturais atuais que poderiam ser os porta-bandeiras desses países.

Vamos seguir, então, a ordem da Parada das Nações, como é oficialmente chamado o tradicional desfile das delegações olímpicas nas cerimônias de abertura e encerramento, conforme será realizada nessa edição em Tóquio, para traçar um breve panorama cultural desses países e dar dicas diárias dos destaques cinematográficos, musicais ou televisivos da atualidade em cada um dos times nacionais reconhecidos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Nem sempre será possível encontrar expoentes de todas essas áreas no caso de lugares que não têm uma indústria cultural bem desenvolvida, mas vamos fazer o máximo nesta maratona olímpica. E começamos, portanto, dando um pulo na Grécia, o berço histórico das Olimpíadas e falamos também sobre os refugiados que novamente terão uma equipe própria, assim como no Rio 2016, edição passada que foi aqui no Brasil, deixou saudade e da qual emprestamos este tema da entrega das medalhas para servir de fundo dessa série especial.

Ouça no lugar que você quiser: SoundCloud | Spotify | Deezer | iTunes | Google Podcasts | Orelo | Feed | Download

Parada Cultural das Nações #1
> A partir de 9s

Grécia
> A partir de 2min50s
- Porta-bandeira: o curta-metragem Leoforos Patision / Patision Avenue (2018), de Thanasis Neofotistos
- Destaques: os cantores Giorgos Sabanis, Josephine e Stefanis
- Citados: os filmes Stella (1955) e Zorba, o Grego (1964), de Michael Cacoyannis; Desaparecido: Um Grande Mistério (1982), de Costa-Gravas; A Eternidade e Um Dia (1998), de Theo Angelopoulos; Dente Canino (2009), de Yorgos Lanthimos; Miss Violence (2013) e Não Me Ame (2017), de Alexandros Avranas; e a banda Aphrodite’s Child, e seus ex-integrantes Demis Roussos e Vangelis Papathanassiou

Time Olímpico de Refugiados
> A partir de 7min51s
- Porta-bandeira: Orquestra Mundana Refugi
- Destaques: os filmes Mundos Opostos (2015), de Christoforos Papakaliatis; A Fuga (2021), de Jonas Poher Rasmussen; El Gran Viaje al País Pequeño (2019), de Mariana Viñoles; e Human Flow – Não Existe Lar se Não Há Para Onde Ir (2017), de Ai Weiwei

Encerramento
> A partir de 10min45s

Confira a transcrição completa deste podcast no site: https://www.nervos.com.br/post/paradaculturaldasnacoes1-grecia-refugiados

*Músicas presentes no podcast: “Brazilian Fantasy (Standard Version)”, de Alexandre de Faria; “Hino da Grécia”, de Dionýsios Solomós e Nikolaos Mantzaros; “Agria Thalassa”, de Giorgos Sabanis; e “Wassa Wassa (da Quarentena)”, de Orquestra Mundana Refugif

13 min

Top podcasts em Filme e TV