14 episodios

Pensar é sair do óbvio e as ciências humanas podem contribuir para a construção de um mundo melhor. Este é um podcast que pretende ajudar a valorizar o instrumental das Ciências Humanas e da Filosofia como ferramentas de análise crítica da realidade. Nosso objetivo é estimular as pessoas a formarem opiniões consistentes por meio da exercício do pensamento sério e criterioso, ajudando a debater ideias com fundamento.

Siga-nos nas mídias sociais:
Facebook: @sapiosapiens
Instagram: @sapio.sapiens
Twitter: @sapiosapiens01

www.sapiosapiens.com.br

Sapio sapiens - um podcast bom para pensa‪r‬ Sapio sapiens

    • Educación

Pensar é sair do óbvio e as ciências humanas podem contribuir para a construção de um mundo melhor. Este é um podcast que pretende ajudar a valorizar o instrumental das Ciências Humanas e da Filosofia como ferramentas de análise crítica da realidade. Nosso objetivo é estimular as pessoas a formarem opiniões consistentes por meio da exercício do pensamento sério e criterioso, ajudando a debater ideias com fundamento.

Siga-nos nas mídias sociais:
Facebook: @sapiosapiens
Instagram: @sapio.sapiens
Twitter: @sapiosapiens01

www.sapiosapiens.com.br

    Ópera e Paixão: Medea

    Ópera e Paixão: Medea

    Nesta segunda temporada, o Sapio sapiens trará episódios que propõem pensar como as ferramentas das ciências humanas podem nos ajudar a aprimorar nossa experiência com a arte. 

    Começamos trazendo um projeto dos professores Pedro de Santi (graduado e doutor em psicologia e psicanalista) e Celso Cruz (dramaturgo e doutor em artes): Ópera e Paixão. No episódio de estreia, o Mito de Medea pensado a partir de várias de suas elaborações artísticas ao longo dos séculos: de Eurípedes, passando pela ópera de Luigi Boccherini (1797), ao filme de Píer Paolo Pasolini (1969), com Maria Callas no papel título, até o musical Gota d´água de Chico Buarque e Paulo Pontes (1975). 



    Referências: 

    Eurípedes. Medéia: Uma tragédia grega. Rio de Janeiro: Zahar Ed. 2001. 

    Chico Buarque de Holanda e Paulo Pontes. Gota d´Água. 



    Filme: 

    Medea. Pier Paolo Pasolini. 1969. 



    Ópera completa: 

    Medea. Luigi Boccherini. Estrelando Maria Callas (Medea). London. 1955. 



    Canções e recitativos: 

    Todos os áudios utilizados nesse episódio foram capturados de gravações disponibilizadas no YouTube. Este podcast tem fins totalmente didáticos, não financeiros. 

    Luigi Boccherini. Ária "Solo un pianto". Medea. Gravação extraída do YouTube. Intérprete: Teresa Berganza. 

    Chico Buarque de Holanda. Gota d´água. Excerto da versão da peça teatral de 1975. Intérprete: Bibi Ferreira. 

    Luigi Boccherini. Maria Callas - E Che? Io Son Medea! (Finale), Florence 1953. 

    Chico Buarque de Holanda e Paulo Pontes. "Flor da Idade", da peça Gota d´água. 1975. 

    Chico Buarque de Holanda e Paulo Pontes. "Monólogo de Joana a Jasão" interpretado  por Bibi Ferreira. Da peça Gota d´água. 1975. 

    Chico Buarque de Holanda e Paulo Pontes. "Monólogo do veneno". interpretado  por Bibi Ferreira. Da peça Gota d´água. 1975.

    Chico Buarque de Holanda. "Bem querer". Interpretado  por Bibi Ferreira. Da peça Gota d´água. 1975.

    Luigi Boccherini. Medea. "Coro final". Gravação extraída do YouTube. 

    • 1h 7 min
    Chico Buarque e o enigma Brasil (parte 3)

    Chico Buarque e o enigma Brasil (parte 3)

    No terceiro episódio sobre a obra de Chico Buarque de Holanda como intérprete do Brasil, Fred Lucio conversa com Pedro Meira Monteiro (professor em Princeton e especialista na obra de Sérgio Buarque de Holanda) e com Tiago Ferro (romancista premiado com o Jabuti em 2019 e especialista na obra de Chico Buarque). 

    Neste episódio, o foco da conversa será sobre o universo feminino na obra de Chico. Em se tratando de três homens falando sobre um compositor masculino a respeito do tema, claro que a temática do lugar de fala foi abordada, ainda que de forma tangencial porque não é o tom da conversa. 

    No mais, encerramos com uma reflexão geral sobre o sentido da obra do Chico como intérprete do Brasil. 

    Esperamos que vocês gostem. 

    Sigam o Sapiens nas redes sociais: 

    Facebook: @sapiosapiens

    Instagram: @sapio.sapiens



    Referências utilizadas. 

    Canções: 

    Carolina - do álbum "Chico Buarque de Holanda Vol. 3" (1968)

    Meu Guri - do álbum "Almanaque" (1981)

    Tua Cantiga - do álbum "Caravanas" (2017)

    Cantiga No. 5 · Chico Buarque de Holanda · Martin Codax, Sec. Xiii · Carlos Nuñes · Zé Miguel Wisnik - Sem Mim (Trilha Sonora Original do Espetáculo do Grupo Corpo).  

    Blues pra Bia - do álbum "Caravanas" (2017)



    Textos: 

    Djamila Ribeiro. Lugar de fala. São Paulo: Editora Jandaíra. 2019. 128p. 

    • 45 min
    Chico Buarque e o enigma Brasil (parte 2)

    Chico Buarque e o enigma Brasil (parte 2)

    O Malandro, o Homem Cordial, Familismo na máquina do Estado entre outros temas. 

    Em continuação ao bate-papo sobre a obra de Chico Buarque de Holanda como intérprete do Brasil, seguimos no nosso diálogo entre literatura e ciências sociais nas obras de Chico e Sérgio Buarque de Holanda. Continuam conosco Pedro Meira Monteiro, especialista na obra de Sérgio Buarque de Holanda, professor de literatura e cultura brasileiras  e diretor do Departamento de Português e Espanhol na Universidade de Princeton; e Tiago Ferro, especialista na obra de Chico Buarque de Holanda e escritor laureado com o Prêmio Jabuti de melhor romance em 2019 (O pai da menina morta). Neste segundo episódio sobre o tema, Pedro e Tiago aprofundam a análise das relações entre o homem cordial (da obra de Sérgio Buarque) e o malandro (na obra de Chico Buarque de Holanda) e como essa lógica perversa de ocupação do espaço público se manifesta de maneira explícita nesses tempos de bolsonarismo. 

    Participação Especial: Chico Buarque de Holanda, narrando um trecho do seu livro "Essa Gente". Agradecemos muito a generosidade e disponibilidade do Chico em nos enviar esse áudio. 



    Trechos de música: 

    Homenagem ao malandro (Chico Buarque de Holanda, do álbum "Ópera do Malandro", 1979)

    Phantasiestück II, para quinteto de sopros (Willy Correa de Oliveira do álbum "I Bienal de Música Brasileira Contemporânea - disco 2", 1975)

    As Caravanas (Chico Buarque de Holanda, do álbum "Caravanas", 2017)



    Referências: 

    Chico Buarque de Holanda. Essa gente. São Paulo: Companhia das Letras. 2019. 

    Lilia Schwarcz e André Botelho. Um enigma chamado Brasil: 29 intérpretes e um país. São Paulo: Companhia das Letras. 2009. 



    Canal do YouTube do Pedro Meira Monteiro: https://bit.ly/meiramonteiro

    • 37 min
    Chico Buarque e o enigma Brasil (parte 1)

    Chico Buarque e o enigma Brasil (parte 1)

    Em 2019, Chico Buarque de Holanda foi laureado com o Prêmio Camões, considerado o mais importante da literatura a premiar um autor de língua portuguesa pelo conjunto da sua obra. Entretanto, o grande público conhece o Chico apenas pela sua obra musical. Há um grande desconhecimento sobre sua produção literária (e até mesmo, teatral) e o quanto sua obra tematiza o Brasil e, de certo modo, reverbera a obra de seu pai, Sérgio Buarque de Holanda. 

    Neste episódio, o Sapiens faz uma deliciosa conversa com Pedro Meira Monteiro, professor de Literatura e Cultura Brasileiras na Universidade de Princeton (USA), diretor do departamento de Português e Espanhol naquela universidade e co-organizador (com Lília Schwarcz) da edição comemorativa dos 80 anos de Raizes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda; e com Tiago Ferro, crítico literário, colaborador das revistas Piauí e Cult (onde escreve sobre cultura), escritor premiado com o Prêmio Jabuti de melhor romance em 2019 (O pai da menina morta), além de pesquisador da obra do crítico literário Roberto Schwarz. A partir da extensa obra de Chico Buarque de Holanda, a prosa estabelece um duplo diálogo: de um lado,  entre as Ciências Sociais e a Literatura como ferramentas de análise da realidade; do outro,  entre as obras do pai,  Sérgio Buarque, e do filho, Chico. 

    Siga-nos no Instagram: @sapio.sapiens



    Trechos de canções (30")

    Pelas tabelas (do álbum Chico Buarque - 1984)

    Futuros Amantes (do álbum Paratodos - 1993)

    Bancarrota Blues (do álbum Francisco - 1987)



    Referências:

    Monteiro, Pedro Meira. Signo e desterro: Sérgio Buarque e a imaginação do Brasil. São Paulo: Hucitec Editora. 2015

    Ferro, Tiago. O pai da menina morta. São Paulo: Editora Todavia. 2018.

    • 1h 4 min
    Filosofia e pandemia

    Filosofia e pandemia

    O ano de 2020 tem-se revelado um marco importante na história da humanidade devido às consequências da pandemia do Sars-Cov2 (chamado de "novo coronavirus" ou "covid-19"). Muitas reflexões tem sido feitas, sob várias óticas das ciências humanas. Convidamos o Filósofo e Antropólogo Paulo Ramirez para conversar conosco sobre como ele enxerga esse momento e quais as reflexões que nós poderíamos fazer e lições poderíamos tirar desse momento. Condição humana, sociedade, política e economia são alguns dos assuntos tratados nesse bate-papo com o Paulo. 



    Siga-nos nas mídias sociais

    Facebook: @sapiosapiens

    Instagram: @sapio.sapiens

    Twitter: @sapiosapiens01



    www.sapiosapiens.com.br

    • 50 min
    A mente hiperconectada

    A mente hiperconectada

    Em outubro de 2018, a internet fez 50 anos! 

    Entre os muitos de seus aspectos relevantes, está a enorme alteração que a rede provocou no mundo, particularmente na microesfera de nossas vidas pessoais. O surgimento  de um novo espaço de existência contribuiu para redefinir as bases das nossas relações sociais e da construção da nossa subjetividade. Não bastasse a elevação de nossas relações a uma escala mundial, tudo isso foi exponencializado com a portabilidade da conexão: o mundo ficou na palma da nossa mão. E isso é bem mais do que força de expressão. Claro que tudo isso foi uma enorme conquista. Mas também, fazendo jus à ambiguidade característica da realidade, trouxe-nos novos problemas ou mesmo acentuando antigos e dando-lhes novas configurações e significados. Um deles é que ficamos muito mais conectados e dependentes da tecnologia do que, à primeira vista, percebemos (ou mesmo, gostaríamos). As consequências para a configuração de nossa subjetividade são inegáveis. 

    Pra discutir conosco algumas das consequências psíquicas da hiperconectividade, vamos conversar hoje com o psicanalista e filósofo Pedro de Santi. 

    • 41 min

Top podcasts de Educación

Otros usuarios también se han suscrito a