1 hr 9 min

🇧🇷 • 15 • Hugo Veiga - CCO, em São Paulo Como você foi parar aí?

    • Marketing

Apoie esse humilde produtor de conteúdo:

Apoia-se: https://apoia.se/comovocefoipararai

Patreon: https://www.patreon.com/comovocefoipararai

Opa, tudo tranquilo? Eu sou Caio Turbiani, criativo na Adam and Eve DDB de Londres e eu converso com publicitárias e publicitários espalhados pelo mundo para saber como eles foram parar lá. Bom, chegamos ao último episódio dessa primeira temporada. Eu queria agradecer todo mundo que c de olaborou: seja com grana, seja mandando mensagem, seja postando no instagram ou mostrando o podcast pra um amigo ou pra uma amiga. Muito obrigado. E um agradecimento especial pro Lucas Schuch, do podcast Propaganda Não é Só Isso Aí, e pro Bruno Leo Ribeiro, do Silêncio no Estúdio podcast. Se não fosse por eles, essa ideia teria ficado só no papel.

Eu vou tirar umas férias das entrevistas e, principalmente, da edição. O podcast volta em março. Nem preciso nem falar que deve atrasar. E se nesse meio tempo você tiver sugestão de convidados, manda no arrroba caioturbiani, tudo junto, em todas as redes.

Pra fechar a temporada eu decidi fazer uma coisa diferente. Trazer um estrangeiro pra contar como ele foi parar no Brasil.

O papo de hoje é com o Hugo Veiga, CCO global da AKQA e que atualmente trabalha a partir da AKQA de São Paulo. O Hugo nasceu no Porto, em Portugal e começou a sua carreira na McCann Erickson de Lisboa. De lá ele foi pra Strat, na época, uma das principais agências portuguesas, onde trabalhou para marcas como Super Bock e Audi. Depois, foi fazer um estágio de 6 meses no Brasil e então então voltou para Lisboa, dessa vez para trabalhar na TBWA. Mas não tinha jeito, ele queria mesmo era seguir no Brasil. Só faltava uma proposta. E ela veio. E dessa vez não era pra fazer só um estágio não. Era pra ficar de vez no Brasil.

Nesses quase 16 anos de Brasil, o Hugo passou por agências como Ogilvy, Leo Burnett, McCann, Ogilvy pela segunda vez e agora está na AKQA. E já criou para marcas como Dove, Nike, Netflix, Becks e Google só pra citar algumas.

A gente falou sobre se mudar sozinho, sem conhecer ninguém, mas sem ter nada a perder, falamos também sobre como essa mistura de caos e processo ajuda na criatividade das agências do Brasil, ele contou o porquê dos brasileiros e das brasileiras se destacarem lá e fora e, claro, falamos sobre pastéis de Belém.

Ficou curioso? Então escuta aí pra saber mais sobre como o Hugo Veiga foi parar em São Paulo.

Apoie esse humilde produtor de conteúdo:

Apoia-se: https://apoia.se/comovocefoipararai

Patreon: https://www.patreon.com/comovocefoipararai

Opa, tudo tranquilo? Eu sou Caio Turbiani, criativo na Adam and Eve DDB de Londres e eu converso com publicitárias e publicitários espalhados pelo mundo para saber como eles foram parar lá. Bom, chegamos ao último episódio dessa primeira temporada. Eu queria agradecer todo mundo que c de olaborou: seja com grana, seja mandando mensagem, seja postando no instagram ou mostrando o podcast pra um amigo ou pra uma amiga. Muito obrigado. E um agradecimento especial pro Lucas Schuch, do podcast Propaganda Não é Só Isso Aí, e pro Bruno Leo Ribeiro, do Silêncio no Estúdio podcast. Se não fosse por eles, essa ideia teria ficado só no papel.

Eu vou tirar umas férias das entrevistas e, principalmente, da edição. O podcast volta em março. Nem preciso nem falar que deve atrasar. E se nesse meio tempo você tiver sugestão de convidados, manda no arrroba caioturbiani, tudo junto, em todas as redes.

Pra fechar a temporada eu decidi fazer uma coisa diferente. Trazer um estrangeiro pra contar como ele foi parar no Brasil.

O papo de hoje é com o Hugo Veiga, CCO global da AKQA e que atualmente trabalha a partir da AKQA de São Paulo. O Hugo nasceu no Porto, em Portugal e começou a sua carreira na McCann Erickson de Lisboa. De lá ele foi pra Strat, na época, uma das principais agências portuguesas, onde trabalhou para marcas como Super Bock e Audi. Depois, foi fazer um estágio de 6 meses no Brasil e então então voltou para Lisboa, dessa vez para trabalhar na TBWA. Mas não tinha jeito, ele queria mesmo era seguir no Brasil. Só faltava uma proposta. E ela veio. E dessa vez não era pra fazer só um estágio não. Era pra ficar de vez no Brasil.

Nesses quase 16 anos de Brasil, o Hugo passou por agências como Ogilvy, Leo Burnett, McCann, Ogilvy pela segunda vez e agora está na AKQA. E já criou para marcas como Dove, Nike, Netflix, Becks e Google só pra citar algumas.

A gente falou sobre se mudar sozinho, sem conhecer ninguém, mas sem ter nada a perder, falamos também sobre como essa mistura de caos e processo ajuda na criatividade das agências do Brasil, ele contou o porquê dos brasileiros e das brasileiras se destacarem lá e fora e, claro, falamos sobre pastéis de Belém.

Ficou curioso? Então escuta aí pra saber mais sobre como o Hugo Veiga foi parar em São Paulo.

1 hr 9 min