74 集

O Simples Vinho é um espaço para aprender sobre vinhos sem complicação. Nos programas da Trilha do Sommelier eu ensino a teoria e técnica na produção de vinhos: estilos e regiões. Na Trilha do Enófilo eu comento as histórias, curiosidades e ícones do mundo dos vinhos, inclusive dicas de passeios. Na Trilha da Confraria provamos vinhos juntos e trocamos impressões.

Simples Vinho Fabiana Knolseisen

    • 教育

O Simples Vinho é um espaço para aprender sobre vinhos sem complicação. Nos programas da Trilha do Sommelier eu ensino a teoria e técnica na produção de vinhos: estilos e regiões. Na Trilha do Enófilo eu comento as histórias, curiosidades e ícones do mundo dos vinhos, inclusive dicas de passeios. Na Trilha da Confraria provamos vinhos juntos e trocamos impressões.

    SV#73 – Rota Romântica e vinhos na Alemanha (Franken)

    SV#73 – Rota Romântica e vinhos na Alemanha (Franken)

    Castelo Neuschwanstein na Rota Romântica - Foto: https://www.getyourguide.es/bavaria-l241/day-trip-to-neuschwanstein-castle-and-rothenburg-t207171/?utm_force=0















    Um passeio pela Rota Romântica entre vinhos e castelos. Aqui reina a uva branca Sylvaner e um sistema de qualidade basedo no peso do mosto na vendima. Preparese-se para a sopa de letrinhas e bóra conhecer!

























    Romantische Straße – A Rota RomânticaA Rota Romântica, no sul da Alemanha, liga Wurtzburg a Füssen: são 410 km percorrendo cidades medievais muradas, vinhedos e castelos de princesas.Neste podcast seguimos a narrativa de Milton Assumpção no livro Viagens Vinhos História.CidadesAo longo de seus 410km percorre-se 28 cidades, nem todas merecem uma parada. As cidades destacadas no livro e mencionadas no episódio são:

































    * Würzburg (é onde estão os vinhos!)* Rothenburg ob der Tauber* Dinkelsbühl* Nördlingen* Harburg* Donauwörth* Landsberg am Lech* Rottenbuch* Steingaden* Schwangau* FüssenOs vinhos das Rota Romântica e a Sylvaner (minuto 20)

























    A típica garrafa "cantil" - bocksbeutel





































    Para ir diretamente aos vinhos da Rota Romântica, avance o áudio até o minuto 20. Os vinhedos da região – chamada Franken ou Francônia – estão concentrados na primeira cidade da Rota: Wurtzburg. Os vinhos são majoritariamente brancos varietais da uva Sylvaner.

    Pouco explorada em outras regiões e propensa a produzir vinhos pouco interessantes, especialistas acreditam que aqui em Franken a uva alcança seu máximo, com vinhos concentrados, com bom corpo e potencial de guarda.

    A qualidade no vinho alemão

    Eu comento no áudio que o vinho alemão não é classificado de acordo com a região de produção, como ocorre no modelo francês, amplamente copiado. Os vinhos são classificados de acordo com o peso do mosto (ou seja: concentração de açúcar) na época da vendima.

    A “sopa de letrinhas” com a pirâmide da qualidade dos vinhos alemães está desenhada na figura.

    No nível DOP – Denominação de Origem Protegida – os Prädikatswein se subdividem em 6 classificações sendo que, a partir do Auslese, os vinhos são doces e necessariamente parte das uvas foi afetada pela Botritis.





































    Livro Viagens Vinhos História, do qual extraí a narrativa sobre a Rota Romântica

























    Confira também

    Aprenda sobre colheita tardia, Botritis e Icewine no episódio SV#23 – Doces e Divinos >>

    Confira a técnica de colheita uva a uva (e outras invencionices!), empregada pelo Marco Antonio Salton no a href="http://simplesvinho.

    • 34 分鐘
    SV#72 – Receitinha show com vinhos para harmonizar

    SV#72 – Receitinha show com vinhos para harmonizar

    J - o "Brunello rosé"















    Criando uma “tradição” no podcast, vamos encerrar o ano com uma receita simples e chique pra impressionar a galera e dicas de harmonização pra arrasar. Tintim!



     























    Receita Simples Vinho #02

    Mais um podcast com uma receita rápida e super simples de executar, mas que fica com cara de comida chique.

    E como aqui é podcast de vinho, caprichei nas sugestões de harmonizaçãoTempo de preparo 20 minutos.

    Ingredientes

    Para 2 pessoas:

    01 caixa de creme de leite (prefira o tipo fresco)

    01 limão siciliano

    100g presunto cru

    Melão Orange (só serão necessárias 3 fatias de aproximadamente 1,5cm cortada em cubos)

    Macarrão (prefiro o penne)

    Preparo

    Quem já domina bem a cozinha nem precisa de instruções pra preparar esse prato super fácil. Se esse não for o seu caso, confere o passo a passo no podcast.

    Vinhos para harmonizar



    Como eu disse no podcast, já “harmonizei” essa receita com vinho tinto várias vezes. Ninguém morreu.

    Hoje em dia, já tendo aprendido tudo que aprendi e estando na minha fase “vinhos brancos”, tenho outras sugestões que, acredito, casam melhor com a cremosidade e toque defumado do prato.

    Algumas sugestões a seguir.

    Espumantes – praticamente infalíveis e com ótimo custo x benefício

    Praticamente qualque espumante Brut ou mais seco (Nature ou Demi Sec – confira a escala de doçura dos espumantes nesse podcast >>) harmonizará bem com esse prato, mas aqui vão algumas sugestões que me agradam particularmente.

    Esupantes sem degorge

    Marco Antônio Salton, da Vinícola Valmarino, mostra as leveduras descansando na garrafa no processo sur lie

    Aparentemente estão na moda aqui no Brasil – pra nossa sorte! Considero especialmente interessantes pela proposta didática – a maioria das pessoas desconhece a diferença entre os métodos tradicional e Charmat, e esses espumantes oferecem uma ótima oportunidade para aprender na prática. Se você também não conhece como são produzidos esses vinhos incríveis, não deixe de conferir o podcast SV#12 – Borbulhas.

    Por terem tempo sur lie mais longo, esses espumantes são também mais complexos e interessantes para acompanhar pratos principais. Algumas sugestões:



    * Sur Lie – Família Valduga.  R$79,90 no site da vinícola >>

    * Lírica Crua – Vinícola Hermann. R$86,30 no site da vinícola >>

    * Cave Amadeu Rústico Nature – Cave Geisse. R$79,00 no site da vinícola >>

    * Nature Sur Lie 2015 (47 meses de autólise) – Vinícola Valmarino. R$97,00 no site da vinícola >>



    Espumante custo x benefício – super achados

    • 28 分鐘
    SV#71 – Tudo que aprendemos sobre taninos estava errado

    SV#71 – Tudo que aprendemos sobre taninos estava errado

    Foto: Rogério Gomes, da Quinta da Figueira













    Taninos nos vinhos: responsáveis pela estrutura e longevidade nos tintos. Devem ser cuidadosamente extraídos das cascas das uvas e então “arredondados”, através da polimerização em barrica, em longas e aveludadas moléculas que deixam uma sutil adstringência no paladar. Hummm… e se não for nada disso? Esse podcast de Natal está bombasticamente imperdível!





















    Taninos: quem são esses caras?



    Taninos são polifenóis presentes nas plantas. No caso da videira, os taninos podem ser encontrados nos frutos, sementes e partes verdes.

    Qual o papel dos taninos nos vinhos?

    Protagonistas nos vinhos tintos, são os responsáveis pela ‘espinha dorsal” que determina o corpo e potencial de guarda.

    Na boca, são os responsáveis pela famosa adstringência: aquela sensação de secura que “agarra” língua e gengivas e podendo também contribuir para o amargor às vezes sentido.

    O que diz a “cartilha tradicional” sobre os taninos nos vinhos?

    O que popularmente vemos – inclusive, aprendi assim na escola, é que os taninos devem estar maduros para serem toleráveis em nosso paladar. Enólogos tentar extrair o máximo de taninos das cascas das uvas evitando a todo custo extrair taninos das sementes. Taninos das sementes seriam mais adstringentes por terem cadeias poliméricas (moléculas) mais curtas.

    Além de evitar tais moleculas curtas na extração, enólogos domam os taninos dos vinhos fazendo com que tais moléculas fiquem mais longas durante o envelhecimento em barricas.

    Taninos de cadeias mais longas tornariam o vinho mais amável e menos adstringente. Durante o envelhecimento algumas dessas cadeias/moléculas se tornariam tão longas que passariam a ser insolúveis no vinho e precipitariam na forma dos cristais que costumam ser decantados em vinhos mais antigos.

    Tudo que sabemos sobre taninos está errado?

    Não tudo, mas boa parte sim! Algumas das afirmações acima são desmentidas pela ciência conforme eu comento no podcast.

    Saiba mais:



    * Confira como descrever taninos e outras características dos vinhos: SV#03: Aprecie vinhos como um profissional

    * Conheça como são feitos os vinhos: SV#04: VinificandoII –  tintos e vinhos de guarda

    * Conheça Rogério Gomes, o cara que não tem medo de tanino de semente, e seus vinhos disruptivos: SV#35 – 50 tons de vinho

    * Entenda as principais características dos vinhos na Trilha do Sommelier: entendendo vinhos – taninos, acidez, doçura e corpo 















































    Créditos e agradecimentos



    * Everything yoy know about tannins is wrong, Tim Patterson (2009) >>br ...

    • 35 分鐘
    SV#70 – Pisano: os vinhos da cara feia

    SV#70 – Pisano: os vinhos da cara feia

    Los Pisanos malos #sqn - esquerda para a direita: Gustavo, Daniel e Eduardo













    No episódio de hoje um passeio até o Uruguai para conhecer esses produtores com cara de mau – os Pisano. Não se assuste com as caras feias: os vinhos são dos mais delicados, elegantes e criativos del Paisito. De quebra falamos também em produção orgânica x sustentável, influência da pressão atmosférica no vinho e de urucubacas. Tintim!





















    Los Pisano malos: a história da fotoJá dizia o ditado: “quem vê cara não vê coração”. Pura verdade! Especialmente quando falamos dessa famosa foto dos “Pisanos malos”.Surgiu numa brincadeira expontânea, como nos conta Daniel Pisano no áudio, e hoje já é marca registrada dessa vinícola butique da região de Progreso, no Uruguai.Vinhos delicados e respeitosos 

























    Gustavo Pisano inspeciona a adega privada na bodega





































    Pisano Artesanía en Vinos – lê-se no letreiro na sede da vinícola – refletindo a filosofia adotada pela familía na criação e produção de seus vinhos.

    “99% orgânica”, como brinca Daniel – com foco em respeito ao meio-ambiente e ao consumidor, procurando a melhor expressão das variedades e do terroir.

    Pitadas de picardía

    Negro by Pisano

    A irreverência que se nota na foto de “cara feia” se combina à filosofia de mínima intervenção e produz vinhos inovadores não – mas sem perder a picardia, como se nota no famoso Verde Virgen – leve, refrescante e ligeiramente frisante ao estilo de Vinho Verde – e no espumante 100% Tannat – provavelmente único no mundo e um grande desafio enológico (o porquê do desafio eu explico no áudio).

    Também dignos de nota – e comentados no podcast – são os dois varietais de Torrontés produzidos, nas linhas Cisplatino e Río de los Pájaros. De perfil mais delicado que os produzidos na vizinha Argentina.

    Outro vinho que rendeu uma mini aula no podcast foi o blend de Tannat, Syrah e a uva branca Viognier.

    E qual não foi minha alegria ao descobrir que Pisano RPF Petit Verdot está disponível no Brasil? Não poderia deixar de falar nesse vinho, origem do meu amor pela casta.

    Eterno ícone

    Pisano Arretxea 2011

    Por fim, e como não poderia deixar de ser, tratando-se de uma bodega uruguaia, um vinho ícone da casta que popularizou o país. Os vinhos da linha Pisano Arretexea são produzidos apenas nos anos excelentes e, no geral, são blends à base de Tannat. Com a histórica safra 2011 foi possível produzí-lo quase 100% Tannat – com apenas 3% de Petit Verdot.

    Poderoso e ao mesmo tempo elegante, com apenas 13,5% de álcool e acidez delicada – perfeito para encarar uma bela pata de de cordeiro.

    Ouça também



    * SV#20 – Uruguai 2: a volta (com a mala cheia de vinhos)

    * SV#19 – Yo me voy a Uruguay

    • 35 分鐘
    SV#69 – Os Vinhos do Caminho de Santiago

    SV#69 – Os Vinhos do Caminho de Santiago

    Neste episódio seguimos os passos dos peregrinos que vão desde Saint jean Pied du Port, na França, até Santiago de Compostela na Espanha. Nessa caminhada, além do tal “papo com Deus”, atravessamos muitas regiões vinícolas como a famosa Rioja, a trendy Bierzo e a perigosa Ribera Sacra. Tintim!

























    A Origem do Caminho



    Neste episódio percorreremos o Caminho Francês, mas muitos são os caminhos que levam a Santiago de Compostela. Acredita-se que na catedral da cidade estejam enterrados os restos mortais do apóstolo Thiago (apesar de ninguém saber explicar como teriam chegado ali).

    Indícios sugerem que a origem desta peregrinação seja pagã, e seu objetivo originalmente fosse o templo celta Aras Solis, construído em homenagem ao sol. O templo ficava em Finisterre, onde o caminho termina. Mais detalhes no áudio.

    Os vinhos do Caminho

    Começando na França e terminando em Rías Baixas, estas são as regiões comentadas no áudio:



































    * AOC Irouleguy

    * D.O. Navarra

    * D.O.Ca Rioja

    * D.O. Tierra de León

    * D.O. Bierzo

    * D.O. Ribera Sacra

    * D.O. Rías Baixas



    Outras delícias do Caminho

    A ideia nesse programa era falar mais sobre passeios que sobre vinhos.

























    Em Roncesvalles, partindo de madrugada, rumo a Santiago





































    Uma pausa para vinhos e pintxos em Logroño

    Como o caminho pode ser percorrido em etapas, sugeri uma parada estratégica em Logroño, capital da Rioja, para conhecer algumas das bodegas por lá. No podcast falei sobre a Bodega Lopez Heredia e sua sala de egustação e forma de decanter, da Marqués de Riscal, projetada pelo mesmo arquiteto do Museu Guggenhein em Bilbao e do incrível Museo del Vino da Bodega Vivanco.

    Conforme prometido, o Airbnb super show que fiquei em Logroño, bem na calle San Juan quase em frente ao Tastevin – o boteco com pintxos estrelados pelo Guia Michelin acompanhados por uma bela taça de Viña Tononia 2006 por 5 Euros. Clique aqui >>

    Na famosa calle Laurel, a dica é o La Tavina: além de pintxos gourmetizados e vinhos de autor por taça, há o restaurante e a loja (com preços competitivos) no andar superior. Confira aqui >>

    Ainda não tenho posts sobre tudo que comentei no programa, mas algumas dicas já compartilhei no Instagram e deixo aqui para fácil visualização.





















    *** Participe da degustação com os vinhos do Caminho em 27/11. Mais informações >> ***

    • 42 分鐘
    SV#68 – PodPerguntar:Dicas para comprar vinho

    SV#68 – PodPerguntar:Dicas para comprar vinho

    Onde comprar vinhos na sua cidade ou online: algumas dicas de modelos diferentes de venda de vinhos (bom de mais pra ser verdade?) e uma proposta pra trocarmos dicas de boas lojas de vinho em todo país e de achados da Black Friday 2019. Bóra compartilhar as suas? Tintim!

























    Procurando dicas sobre onde comprar vinhos



    Muitas pessoas me pediram dicas de lojas de vinho no interior – no geral, as capitais têm boa oferta de lojas e são bem atendidas pelo serviço de entraga das lojas online. Coletei algumas dicas aqui – e comentei no podcast.

    Também convidei a todos para que deixem suas dicas nos comentários e apossamos assim criar um banco de dados para enófilos. Deixe as suas nos comentários.

    Compras online – quando o problema é o frete

    Pessoal nas capitais não sofre tanto com frete, mas nas cidades menores ele pode ser impeditivo: tanto por preço quanto pela entrega mesmo. Coletei algumas dicas de um enófilo expert em entregas impossíveis – o Fernando Filho, de Alenquer-PA. Confere no quadro e compartilhe as suas nos comentários.

    Modelos de compra de vinho diferentões

    Já que as compras online são a principal forma pela qual o brasileiro adquire seus vinhos, que tal explorarmos modelos diferentes de vendas online? Falei de 3 no podcast e aguardo mais contribuções!



    * Eniwine: um clube diferente, em que você é quem escolhe seus vinhos.

    * Vinumday: um rótulo diferente a cada dia – sempre fora da caixinha.

    * Vinhos Primeur: um modelo inovador, sem estoques e sem intermediários – será bom de mais pra ser verdade?



    Lojas físicas

    A ideia deste episódio é que este post funcione como coletor de dicas dos ouvintes de lojas legais e com bons preços nas diversas cidades por aí, sempre com o cuidado de evitar o famoso “vinho de descaminho” – aquele que não é formalmente importado e é injustamente mais barato que os oferecidos pelos estabelecimentos cumpridores da lei.

    Aproveitei a dica do José Antonio Duarte pra mostrar como é fácil saber quando um vinho foi importado como “manda o figurino”: é só conferir o contra-rótulo! Vide fotos abaixo.

    Black Friday de Vinhos – vale a pena?

    Pode valer sim, mas tem que ficar esperto, já que a famosa “black fraude” acontece aqui também!





















    Dicas do Fernando

    Endereços para compras de vinho online com frete em conta:



    * www.wine.com.br – Frete grátis para compras acima de 400 reais para todo o Brasil (baixou pra R$200!!). Para compras abaixo de 400 a taxa de entrega é bem em conta, varia de acordo com a região do país. Para a região norte (distante) por exemplo, a taxa é 50 reais.

    * vinhosdebicicleta.com.br – frete grátis para compras acima de 350 reais para todo o Brasil. Abaixo desse valor o preço de frete varia de acordo com a região.

    * www.costibebidas.com.br – A taxa de frete é muito em conta, vale a pena! Ex: em uma compra de nove rótulos para uma região distante como o norte do país, o valor de frete é de apenas 29 reais.

    * winerie.com – A taxa de frete é fixa no valor de 60 reais para todo o Brasil.

    • 30 分鐘

關於教育的熱門 Podcast

聽眾還訂閱了