12 episodes

Escolheram por mim, esse é o nome do meu programa, que irá tratar de assuntos como a auto-estima, a depressão, sobre escolhas, dentre outros temas importantes, de uma forma diferente e unida com músicas. Todos os programas serão feitos com base naquilo que eu aprendi durante as minhas experiências de vida, e no decorrer dele também buscarei convidar outras pessoas para compartilhar as experiências delas com todos os ouvintes. Espero que de alguma forma eu possa te ajudar a se ajudar ou a ajudar alguém. Logo digo que não sou médico, porém espero que os remédios que tomei te auxiliem a se reerguer assim como que me reergui.

Escolheram Por Mim Escolheram Por Mim

    • Health & Fitness
    • 5.0 • 1 Rating

Escolheram por mim, esse é o nome do meu programa, que irá tratar de assuntos como a auto-estima, a depressão, sobre escolhas, dentre outros temas importantes, de uma forma diferente e unida com músicas. Todos os programas serão feitos com base naquilo que eu aprendi durante as minhas experiências de vida, e no decorrer dele também buscarei convidar outras pessoas para compartilhar as experiências delas com todos os ouvintes. Espero que de alguma forma eu possa te ajudar a se ajudar ou a ajudar alguém. Logo digo que não sou médico, porém espero que os remédios que tomei te auxiliem a se reerguer assim como que me reergui.

    Escolheram Por Mim #12 – Inseguranças

    Escolheram Por Mim #12 – Inseguranças

    Precisamos desenterrar todas as coisas que existem dentro de nós que inconscientemente nos faz sermos pessoas inseguras, pessoas que vivem sob a custódia do medo.

    No nosso cotidiano, sempre poderá existir situações que despertarão em nós insegurança, seja no momento de tomar uma decisão, de lidar com a opinião do outro, de acreditar em si mesmo.

    A insegurança por vezes parte de algo que não temos ainda firmado em nós, de estados que ainda se encontram confusos, maleáveis, não firmes.

    Ela é como uma argila mole que a todo instante está sendo moldada, cutucada, pressionada, colocada em formatos diferentes em situações diferentes, molhada a todo momento a fim de não enrijecer e se tornar segurança.

    Talvez essa seja uma das coisas que mais nos desgastam e atrapalham no nosso crescimento, um dos estados que mais nos impede de progredir e de sermos mais seguros de nós mesmos (num sentido positivo do termo).

    Desde pequeno, as nossas inseguranças são alimentadas, em princípio não por nós, mas pelas pessoas que estão ao nosso redor, ela não é algo que já nasce conosco, é algo que nasce através das experiências externas, e por vezes, por ainda não termos as capacidades necessárias para lidar com elas quando pequenos, acabamos por carregá-las e alimentá-las ao longo das nossas vidas, e acabamos por nos tornar a principal fonte de alimento com o auxílio dos nossos medos.

    Crescemos aprendendo que devemos sempre valorizar a opinião dos outros, mas por vezes não nos ensinam que nem toda opinião é dada da forma devida, no momento devido, com a correta intenção, que nem todas as opiniões são construtivas, ou são dadas para nos fazer crescer, para nos dar um norte, para clarificar a escuridão pela qual por vezes estamos a passar.

    Todo ser humano é válido, mas nem todas as opiniões são, sejam elas partindo de uma pessoa desconhecida ou de uma pessoa que realmente apreciamos e/ou amamos. Não podemos confundir a pessoa que estamos vendo, com o que realmente ela está sentindo e pensando no momento.

    Opiniões são construídas a partir daquilo que estamos a sentir dentro de cada um de nós, a partir da coletânea de dados que acumulamos no nosso cérebro devido as experiências que tivemos, e que com base naquilo que estamos experimentando no momento, damos ao outro com uma mescla daquilo que achamos que ele precisa, ou deve, ou que queremos que saiba.

    Entretanto, nem sempre as opiniões são construídas de forma justa (sensata), e nem sempre elas chegam para ajudar, por isso é sempre bom saber quando é o momento certo que ela precisa ser dada ou se realmente ela é necessária, ou deve ser aceita.

    Diversas vezes a nossa segurança em coisas que construímos dentro de nós poderá vir a ser questionada e isso possui o poder de nos deixar inseguros (A argila mesmo depois de seca e sem nenhum tratamento, quando constantemente molhada, volta a se tornar mole depois de algum tempo).

    Por vezes, irão questionar a nossa aparência ou iremos questionar a aparência dos outros, menosprezar as nossas capacidades ou iremos duvidar das dos outros, não irão respeitar o nosso corpo como ele deve ser respeitado e vice-versa, as nossas ideias, as nossas escolhas.

    Por vezes, são as nossas inseguranças e medos que são alimentados, mas em outros casos quando não temos o cuidado de perceber, somos nós quem alimentamos as inseguranças e medos dos outros.

    Durante o processo de descoberta de nós mesmos, muitas vezes a nossa segurança será questionada, muitas vezes as nossas crenças (e não crenças) serão questionadas, muitas vezes aquilo que nós acreditamos ser correto será questionado, muitas vezes quem nós somos ou estamos tentando nos tornar será questionado e se não estivermos sólidos/firmes (de forma sábia) o suficiente nesses momentos, voltaremos a ter dentro de nós a ar

    • 27 min
    Escolheram Por Mim #11 – Cobranças

    Escolheram Por Mim #11 – Cobranças

    A todo instante nos é cobrada a perfeição estabelecida e delimitada pelo homem, mesmo sabendo de todas as imperfeições existentes em cada um de nós. Somos educados a agir de uma forma, por vezes a pensar de outra, a falsear nossos sentimentos a fim de não permitir que eles não nos “envergonhem”. Nos cobram coerência e coesão em um mundo que cada vez mais se encaminha para a incoesão e incoerência.

    Por vezes as cobranças em princípio vêm de fora para dentro e se enraízam no nosso interior de tal forma, que se revestem com a nossa própria voz interna.

    A grande questão é: Será que sabemos quando essas cobranças são de fato necessárias? Quando o efeito delas realmente é positivo? Quando são cobranças saudáveis e construtivas? Será que aprendemos a dizer não as cobranças descabidas e desnecessárias?

    Precisamos sempre lembrar que determinadas cobranças tem o poder de gerar e ocupar a grande sala da nossa mente com pensamentos realmente desgastantes e que quando não sabemos se de fato a cobrança é boa para nós, isso pode nos causar grandes transtornos, como nos deixar ansiosos, impacientes, raivosos, com o sentido de incapacidade e tantos outros; e isso não é nada bom.

    Existem cobranças que surgem ao longo das nossas vidas que não fazem sentido algum quando não adotamos posturas diferentes das habituais, como por exemplo cobrar de si notas mais altas e ao mesmo tempo passar o dia todo na cama, ou cobrar de si ser uma pessoa mais feliz, mas nem o espaço para experimentar novas coisas existe. Porém, já há outras que nos fazem crescer,  que nos fazem chegar a alcançar novos patamares em nossas vidas, como por exemplo, cobrar de si mais paciência, mais empatia, menos julgamento, mais resiliência, mais firmeza, mais determinação, menos preguiça, menos mentiras, menos intolerância, menos arrogância e diversas outras coisas.

    As cobranças sempre existirão, mas precisamos ter a capacidade de olhar para elas e entender quais de fato são válidas, e quais delas no momento não fazem sentido algum ou nunca farão. Se cobrar é essencial para o crescimento pessoal, profissional, espiritual, mas em demasiado acaba por se tornar algo insuportável em nossas vidas e sobrecarrega a nossa mente com pensamentos que só servem para sugar as nossas energias e causar revolta.

    Uma das coisas que percebi ao longo dos anos é que as cobranças por vezes se revestem com as vozes das pessoas que nos cobram dentro das nossas cabeças e acabam por se tornar parte das nossas vidas, e que podem acabar por se tornar os nossos piores pesadelos quando assim permitimos e não sabemos como lidar com elas.

    Quando nos cobram beleza, sinceridade, firmeza, disciplina, leveza, as vozes dos nossos pensamentos passam a não ser mais a nossa, mas sim das pessoas que nos cobram tudo isso, quando a mesma (a cobrança) não partiu de nós. Até certo ponto se torna algo muito bom, pois alguns tipos de cobranças podem se tornar aprendizado, mas em outros momentos não, quando elas se tornam desmedidas, ou quando não cabem em nós ou em nossas vidas, quando a cobrança não é do outro para ajudar a si, mas sim do outro para ele mesmo verbalizado para você.

    Por isso, se for para começar a cobrar algo…

    Cobre de si ser uma pessoa melhor, para si e para os outros.

    Cobre de si ser mais determinado, para ser mais realizado.

    Cobre de si mais amor-próprio, para ser menos carente e se sentir menos abandonado.

    Cobre de si mais força e coragem, para que na primeira queda você não venha a desistir de tudo.

    Cobre de si mais leveza em sua vida, para que o peso das cobranças deste mundo não te afunde no mar de tantas realidades.

    Cobre de si ser você e não os outros, pois já existem muitos outros neste mundo.

    Setlist:

    Fight Song– Rachel Platten

    Stronger– Kelly Clarkson

    Brave – Sara Bareilles

    Sh

    • 23 min
    Escolheram Por Mim #10 – Determinação

    Escolheram Por Mim #10 – Determinação

    Se você não acreditar em você, quem vai?

    O efeito da determinação é a mudança, a evolução, o amadurecimento, por isso não podemos ter medo de sermos pessoas mais determinadas, não podemos achar que isso só existe no outro e nunca em nós. A determinação é algo essencial, que precisamos nutrir diariamente.

    Talvez essa possa ser a parte mais difícil, parar e respirar, focar e tentar se reestabelecer, fazer crescer a determinação, mas isso não pode se tornar algo que nos impeça de realizar tudo aquilo que somos capazes de realizar. Isso não pode ser uma barreira que nos paralisa (assim como o medo) e que não nos deixa ir a lugar algum.

    Para que a determinação chegue, precisamos acreditar mais em nós mesmos, acreditarmos que podemos ir além, mas para isso acontecer, precisamos encontrá-la dentro de cada um de nós.

    O que irá acontecer contigo quando duvidarem dos teus sonhos? Dos teus objetivos? Quando duvidarem de você? O que acontecerá com a motivação que existe dentro de ti, quando o que houver na sua vida aparentar ser somente quedas?

    Ao longo da nossa caminhada, muitas coisas irão acontecer, muitas vezes duvidaremos de nós mesmos, duvidarão de nós, os outros não compreenderão os nossos sonhos e objetivos. E o que fará com que isso não nos tire do nosso caminho? Será a nossa determinação em trilhá-lo e compreendê-lo.

    A nossa determinação deve ser diretamente proporcional a desmotivação que pode surgir com o tempo, quanto maior for a desmotivação, mais intensa terá de ser a nossa determinação por não aceitar a ficar neste estado. Quanto maior for o número de quedas que nos desanimam, mais recorrentes terá de ser a existência da determinação em nossas vidas.

    Ela servirá como uma proteção contra tudo aquilo que nos faça estagnar ou duvidar de nós mesmos e da nossa capacidade. Ela será nossa saída, quando tudo na vida parecer não fazer sentido, quando tudo o que nos restara foram somente as dúvidas sobre para onde poderemos ir. Vai ser através dela que levantaremos as nossas cabeças e diremos não a tudo aquilo que nos aparece a fim de nos limitar.

    “Quando a anestesia tomar posse do teu corpo, torne-te ainda mais determinado a querer sentir.

    Quando o medo te paralisar, torne-te ainda mais determinado a enfrentá-lo e superá-lo.

    Quando todas as portas se fecharem, torne-te ainda mais determinado em abri-las.

    Quando o desânimo bater, torne-te ainda mais determinado a ser uma pessoa ainda mais cheia de vida.

    Quando a tristeza vier de forma sorrateira, torne-te ainda mais determinado a não sucumbir ao vazio que ela irá te propor.

    Quando o náufrago for iminente, torne-te determinado a nadar até o teu corpo não aguentar, sem pensar se você sabe ou não como nadar, apenas nade e não desista até você superar a si mesmo e sair do lugar.”

    Tenha determinação para viver uma vida nova, quando a velha já não se encaixar mais. Quando a velha não lhe trouxer paz ou não te proporcionar algo bom de novo. Tenha determinação por lutar pela sua valiosa vida.

    Esse é o primeiro episódio feito em parceria com o meu amigo Arthur Soenne, todo o texto e todas as músicas foi feito e escolhidas por ele. Espero que vocês gostem e se gostarem compartilhem e sigam nas plataformas.

    Setlist:

    Stop the train– Bob Marley

    Tubthumping– Chumbawamba

    Jukebox Hero – Foreigner

    Believer – Imagine Dragons

    Naâman –  Karma

     

    • 24 min
    Escolheram Por Mim #9 – Desespero

    Escolheram Por Mim #9 – Desespero

     



    “É como se eu tentasse sentir algo com a carne anestesiada. Como se ao feri-la de diversas formas tangíveis e intangíveis pudesse acabar com a dor que se encontra aparentemente nela, ou melhor dizendo na mente que a faz existir. Nessa hora me esqueço de que o meu corpo está todo anestesiado, e que por mais intensa que seja a tentativa de acordá-lo, nenhuma tentativa será válida antes de reverter esse estado através da mente.”

    Muitas coisas ao longo da nossa vida vai nos empurrando a sermos mais sensíveis e insensíveis, e quando chegamos ao ponto de somente produzir desespero dentro de nós, isso significa que algo errado está a acontecer, que precisamos de ajuda.

    Não podemos confundir o “pedir ajuda” com um sinal de fraqueza, pois ser frágil não quer dizer ser fraco.

    É importante entender que a sensibilidade que existe em cada um de nós, é uma das responsáveis por nos fazer interagir, por nos permitir sentir o outro e a nós mesmos, por isso não podemos nos envergonhar de pedir ajuda quando essa sensibilidade estiver fazendo o papel somente de intensificadora das nossas fragilidades.

    É importante perceber que mesmo quando estamos em um estado de completo desespero, quando nos encontramos sem saber mais o que fazer, para onde ir, o que sentir, como sentir, se ainda vale a pena existir, que para além de todos essas dúvidas que aos poucos vão criando raízes em nossos corações, não podemos perder o foco em nós e nas coisas que realmente importam (que são os nossos objetivos, mas principalmente a nossa vida).

    O interessante é que por vezes tentamos nos definir, encontrar quem somos ou o que somos em meio ao caos, quando o desespero por sair da situação atual está tão intensificado, que todos os sentimentos ruins que nos dizem que nada vai dar certo ou mudar se tornam a única opção. Permitindo assim que a nossa saúde mental dependa inteiramente daquilo que estamos sentindo e não daquilo de bom que realmente queremos de fato sentir.

    Não podemos permitir que esses momentos definam o rumo das nossas vidas, não podemos nos cegar ao ponto de não mais enxergar novas e reais possibilidades para nós, não devemos aderir a essa atmosfera perdida onde o desespero é o seu principal composto.

    Precisamos continuar a crescer, a se moldar, a se aperfeiçoar, a buscar sermos melhores em tudo aquilo que fazemos, começar a se desafiar e buscar fazer novas coisas (mesmo não sendo bom nelas no início), precisamos parar de duvidar da nossa capacidade de superação.

    Se não consegues sozinho, peça ajuda. Seja de seus irmãos, seja de seus pais, dos seus professores, do seu treinador (ou coach), de seus amigos, de um psicólogo (essa é uma ótima opção) que você se sinta confortável em conversar, de pessoas em que você confia e que sabe aconselhar. Pois, existem coisas na vida que somente quem está de fora consegue enxergar de forma mais ampla.

    Ser honesto com a nossa situação e perceber quando é preciso mudar, é fundamental para a nossa sobrevivência, por isso, não se permita ir morrendo aos poucos, mas sim continue a criar e sentir vida em si.

    Espero quem gostem deste mais novo episódio, e se gostarem, compartilhem, e se puderem, sigam nas plataformas. 🙂

    Setlist:

    Where Is the Love – Black Eyes Peas

    Amianto– Supercombo feat. Liniker e os Caramelows

    The A Team – Ed Sheeran

    I’ll Be There – Jackson 5

    Grow As We Go –  Ben Platt

    Perfect People –  The Walls Group

    • 28 min
    Escolheram Por Mim #8 – Consciência

    Escolheram Por Mim #8 – Consciência

     

    Todos nós diariamente somos expostos aquilo que mais queremos mudar, mas que ainda não conseguimos, somos colocados bem em frente ao espelho que nos cobra perfeição, e devido a isso por vezes nos cobramos como se fossemos perfeitos.

    Nos esquecemos ao cair, mesmo que por alguns segundos, de todas as coisas que já ultrapassamos, e durante esses mesmos segundos, surgem os sentimentos de frustração, de constrangimento, de arrependimento, de inutilidade, tonando quase que toda a nossa força interior inconsciente.

    E é na inconsciência que mora o perigo, pois muitas das armadilhas que existem dentro da nossa mente estão lá, influenciando a nós de forma silenciosa, nos enfraquecendo ao ponto de não conseguirmos compreender quem realmente somos. São ativadas de forma quase que instantâneas quando somos expostos aos medos, trazendo a tona o sentimento de impotência contra todos eles.

    Ao percebermos as nossas fraquezas, não estamos admitindo que somos fracos, mas sim dando a possibilidade para que cada um de nós tornemo-nos cada vez mais fortes.

    A importância não está nela (na fraqueza), mas sim em reconhecê-la e transformá-la, ao compreender as suas origens, passando a não deixar que ela nos governe.

    Para este episódio tentei algo um pouco diferente, uma conversa que estimula o despertar da consciência, que mostra aimportância de se tornar sensível as coisas que nos movem a sermos melhores. Espero que gostem, e se gostarem compartilhem com todos aqueles que vocês conhecem.

    Setlist:

    High Hopes – Panic! At The Disco

    Champagne Night – Lady Antebellum

    Cada Acidente – Fresno ft. Tuyo

    Last Hope – Paramore

    We need Love –  John Legend

    • 23 min
    Escolheram Por Mim #7 – Caos

    Escolheram Por Mim #7 – Caos

    Somos muito sensíveis ao que é externo e acabamos por não perceber o quanto isso abala o nosso interior. Cuidar da saúde mental, por vezes sempre vem atrás da vaidade nossa em querer cuidar do nosso exterior e é aqui onde erramos, pois não há beleza que se sustente quando se depara com a depressão, ansiedade, e até mesmo com a loucura.

    O nosso equilíbrio interior é algo que precisa ser diariamente cuidado e a nossa inteligência emocional exercitada, pois só assim aos poucos conseguiremos desenvolver ferramentas para estarmos sempre bem conosco (mesmo que em pleno caos) e com as pessoas ao nosso redor.

    Só assim conseguiremos de forma segura, interpretar corretamente tudo aquilo que acontece fora e que se interioriza em cada um de nós, entender como as pessoas, os momentos, os pensamentos e tantas outras coisas conseguem ter tanto poder sobre nós e afetar o nosso estado mental, emocional e até o espiritual, de forma positiva ou negativa.

    Por isso uma das frases que trago sempre comigo é essa:

    “Somos responsáveis por tudo aquilo que depositamos no mundo, e por tudo aquilo que permitimos que depositem em nós”

    Por vezes não conseguimos entender o porquê de o nosso interior está em desequilíbrio, mas a verdade é que ao longo das nossas vidas demos tanto poder a coisas negativas, que nos tornamos quase que inertes as positivas, indiferente as mudanças, quase que vivendo no puro comodismo.

     

    Se cuide, se proteja, FIQUE EM CASA!

    Be safe! STAY HOME!

    Setlist:

    Linda Bagunça – Priscilla Alcântara

    Clearly – Grace vanderwall

    Grown – Chloe and Halle

    False confidence – Noah kahan

    Blackbird –  Beatles

    • 21 min

Customer Reviews

5.0 out of 5
1 Rating

1 Rating

Top Podcasts In Health & Fitness