89 episódios

Podcast sobre Direito e Economia com a professora de Direito Privado da Universidade de Brasília, Ana Frazão.

Direito e Economia Ana Frazão

    • Ciência
    • 5,0 • 22 avaliações

Podcast sobre Direito e Economia com a professora de Direito Privado da Universidade de Brasília, Ana Frazão.

    EP#89: Economia da Família e do Gênero, com Lorena Hakak

    EP#89: Economia da Família e do Gênero, com Lorena Hakak

    No episódio, Ana Frazão conversa com Lorena Hakak, Professora da Fundaçao Getúlio Vargas e Presidente da Sociedade de Economia da Família e do Gênero.

    A professora Lorena esclarece a importância da Economia da Família e do Gênero, assim como os seus principais eixos e preocupações. Alguns dos pontos altos da conversa são a importância do contexto familiar para a tomada da decisão econômica, a questão do gênero no mercado de trabalho, a chamada penalidade da maternidade e a importância da autodeterminação reprodutiva das mulheres em suas vidas econômicas. A professora Lorena também explica a importância do Prêmio Nobel de Economia de 2023 ter sido concedido à Claudia Goldin, explorando também as principais contribuições da laureada na área de economia do gênero e do trabalho.



    Produção e trabalhos técnicos: José Jance Marques

    • 1h 4 min
    EP#88: Por uma economia menos ideológica, com André Lara Resende

    EP#88: Por uma economia menos ideológica, com André Lara Resende

    No podcast, Ana Frazão conversa com André Lara Resende, um dos principais economistas do país,  considerado um dos pais do Plano Real e autor dos livros “Consenso e contrassenso. Por uma economia não dogmática” e “Camisa de força ideológica. A crise da macroeconomia”.

    Na conversa, André explica por que foi se tornando mais crítico ao longo do tempo em relação a várias das posturas econômicas que, embora contrariadas por evidências, continuam a ser propagadas por muitos economistas e pela grande imprensa. O economista fala também sobre a animosidade que a sua postura crítica gerou entre seus amigos e colegas economistas.

    O fio condutor da conversa são as razões pelas quais a macroeconomia tradicional está em crise e vem sendo utilizada de forma ideológica para conter artificialmente a ação do Estado e gastos públicos que seriam necessários para o país. Mostrando os impactos da moeda fiduciária e do papel do Banco Central para regular as taxas de juros, André mostra novas perspectivas para que possamos compreender o gasto público, a inflação e as taxas de juros.

    Não obstante, o autor mostra que, ao contrário do que as evidências justificariam, macroeconomia neoclássica mantém-se intocada, razão pela qual se torna um verdadeiro garrote ideológico, na medida em que não possibilita distinguir entre gastos correntes e gastos de investimento e, com isso, impede que o Estado aja tanto em prol do interesse público como em prol do bom funcionamento do setor privado?

    Para André, "sem um estado competente e responsável não há como pensar em desenvolvimento, agora com a obrigação de ser socialmente inclusivo e ambientalmente sustentável.” Consequentemente, a ideia de livres mercados é uma fantasia, o que exige que pensemos em relações mais adequadas e realistas entre Estado e mercados.

    Outro ponto importante da conversa é a parte em que o autor critica o caráter científico, neutro e objetivo da teoria econômica e as tentativas de equipará-la a uma espécie de física social. Ao contrário, como contadores de histórias que são, os economistas também estão sujeitos a modismos e vieses. Daí avançar nas consequências da premissa de que “a teoria econômica é inevitavelmente ideológica. Suas histórias procuram ordenar a sociedade segundo valores e interesses não explícitos”. 

    Por fim, André Lara Resende ainda trata da necessária relação entre economia e política, explorando os impactos que teorias econômicas e suas aplicações podem ter para a democracia.

    • 1h 4 min
    EP#87: Os ricos e os pobres no Brasil, com Marcelo Medeiros, Professor Visitante da Columbia University

    EP#87: Os ricos e os pobres no Brasil, com Marcelo Medeiros, Professor Visitante da Columbia University

    No episódio, Ana Frazão conversa com Marcelo Medeiros, um dos maiores especialistas em desigualdade no Brasil e que já foi entrevistado no episódio 6, do Direito e Economia. O professor Marcelo volta ao podcast para falar  sobre o seu mais recente livro “Os ricos e os pobres. O Brasil e a desigualdade”, que foi lançado recentemente e já é um sucesso de público e de crítica, tendo sido destacado por todos os veículos de imprensa importantes do Brasil.

    O professor Marcelo explica por que, para entender a pobreza, é preciso olhar para o topo e por que não faz nenhum sentido separar a discussão da pobreza da desigualdade. Nesse sentido, faz um mapeamento da sociedade brasileira, mostrando que há um verdadeiro abismo entre 90% da população brasileira que congrega os extremamente pobres, os pobres e os que poderiam ser considerados classe média e os 10% mais ricos. Aliás, o professor questiona tais segmentações e aponta que, embora haja muita heterogeneidade entre os 10% mais ricos, há considerável homogeneidade entre os 90% restantes, que continuam dependendo de serviços públicos de qualidade.

    Prosseguindo na conversa, o professor Marcelo tenta definir o que é ser rico, em que medida a renda dos ricos é diferente e como as distinções entre riqueza, renda e consumo impactam sobre a discussão a respeito da desigualdade, inclusive no que diz respeito à tributação. Aliás, um dos pontos de preocupação do professor diz respeito a demonstrar que "a tributação da riqueza não é nada de outro mundo”e que "a fuga de capital não é certa”.

    Ao tratar dos pobres, o professor apresenta algumas definições de pobreza, as diversas desigualdades de renda e as razões pelas quais não podemos nos focar apenas nos pobres. Também mostra o quanto mesmo políticas públicas baseadas em evidências são também - e precisam ser - baseadas e escolhas políticas e valorativas. Mostra a importância da educação - especialmente a superior - para a redução de desigualdade, mas propõe que o problema não será resolvido sem que todas as políticas públicas considerem os conflitos distributivos e tentem equacioná-los. Ao final, propõe que todos nós sempre pensemos em quem perde e quem ganha com as soluções jurídicas e políticas que vêm sendo propostas nas mais diversas searas e em que medida podemos utilizar as ferramentas que ele propõe para soluções mais consentâneas com a redução da desigualdade no Brasil.



    Edição e trabalhos técnicos: José Jance Marques

    • 44 min
    EP#86: Economia, gênero e mercado de trabalho, com Cecilia Machado, Professora de Economia da FGV-RJ

    EP#86: Economia, gênero e mercado de trabalho, com Cecilia Machado, Professora de Economia da FGV-RJ

    No episódio, Ana Frazão conversa com Cecília Machado, Professora de Economia da FGV-RJ e Economista-Chefe do Bocon BBN, sobre economia, gênero e mercado de trabalho. A professora Cecília explica por que precisamos falar de gênero em questões econômicas e as razões pelas quais a diversidade leva a maior crescimento econômico. Também são explorados os temas relativos aos principais gargalos que as mulheres ainda enfrentam no mercado de trabalho, os problemas da maternidade e os impactos da autodeterminação reprodutiva das mulheres, incluindo o acesso a anticoncepcionais e ao aborto, nos mercados de trabalho.

    A professora Cecília ainda trata dos desafios das mulheres economistas e da importância do prêmio Nobel de Economia de 2023 ter sido dado a Claudia Goldin em razão da suas pesquisas sobre gênero e mercado de trabalho.
    Ao final, a professora explica como vê o diálogo entre direito e economia e por que acredita que a discriminação contra mulheres não pode ser resolvida apenas por obrigações cogentes impostas pela lei.

    • 1h 2 min
    EP#85: A privatização certa, com Sérgio Lazzarini

    EP#85: A privatização certa, com Sérgio Lazzarini

    No episódio, Ana Frazão conversa com Sérgio Lazzarini, Professor Titular do INSPER, sobre seu livro mais recente “A privatização certa. Por que as empresas privadas em iniciativas públicas precisam de governos capazes”. O autor explica como o livro encerra uma trilogia, iniciada com o “Capitalismo de laços” e continuada com o  “Reinventando o capitalismo de estado”, envolvendo também uma tomada de posição, da sua parte, sobre os temas discutidos nos livros. O professor Sérgio explica por que as reformas de liberalização e privatização não reduziram a importância dos governos, assim como o fato de que  a influência estatal na economia não é necessariamente boa nem ruim, uma vez que cada arranjo entre participação pública e privada costuma ter seus méritos e deméritos, como também condições que os fazem funcionar. Consequentemente, “[a] pergunta certa, portanto, não é se a privatização é melhor que a gestão pública, mas quando ela é superior e em quais condições”. Nesse sentido, o autor explica os desafios para a eficácia (qualidade dos serviços) e para a inclusão de serviços públicos, como lidar com a lógica privada de redução de custos.

    Dentre os pontos principais da conversa encontra-se aquele em que o autor explica o argumento central do livro: privatização não é forma de se livrar de governos ruins e programas de privatização bem sucedidos dependem de governos capazes. Daí a importância de se pensar nas competências governamentais para que as privatizações possam levar aos resultados esperados, bem como nos incentivos para assegurar os resultados sociais. Outro ponto relevante é a supervisão pública dos serviços privatizados, bem como o monitoramento, mensuração e avaliação da qualidade dos serviços, o que requer métricas adequadas e insuscetíveis de manipulação.

    O autor ainda trata do roteiro que ele propõe no livro para que as privatizações sejam bem sucedidas: a fase preparatória, a fase de implementação e a fase pós-privatização, cada uma delas orientada por uma análise de possíveis falhas, de ações necessárias para mitigar essas falhas e de etapas adicionais, a depender do tipo de privatização. 

    • 50 min
    EP#84: ECONOMIA DA EDUCAÇÃO, com Fernanda Estevan

    EP#84: ECONOMIA DA EDUCAÇÃO, com Fernanda Estevan

    No episódio, Ana Frazão conversa com Fernanda Estevan, Professora de Economia da FGV, sobre a Economia da Educação e suas interfaces com a Economia do Desenvolvimento e a Economia Pública. A Professora Fernanda explica suas visões sobre o desenvolvimento econômico e a importância da educação para o crescimento de um país. Ponto importante da conversa diz respeito ao papel do Estado para assegurar educação de qualidade, pelo menos no que diz respeito ao financiamento. A Professora também explica as diferenciações entre a educação básica e o ensino superior. Outro importante tópico da conversa diz respeito às ações afirmativas, oportunidade em que a Professora Fernanda explica a importância desse tipo de iniciativa, bem como as suas limitações.



    Link:


    https://koalendar.com/e/porta-aberta-estevan

    • 1h

Opiniões de clientes

5,0 de 5
22 avaliações

22 avaliações

Regi Schultz ,

Agradecimento!

Professora Ana, somente quero agradecer por compartilhar conhecimento, contribuir tanto para os meus estudos e pesquisas, e principalmente por ser inspiração! ☺️🙏🏻

Pri Lauande ,

Gratidão Ana!!!

Parabéns pelo brilhante trabalho! Agradeço imensamente por compartilhar todo esse
conhecimento conosco de forma acessível e didática! 🙏🏻

adriano jaques ,

Podcast de excelência !

Sensacional

Top podcasts em Ciência

Estúdios Flow
B9, Naruhodo, Ken Fujioka, Altay de Souza
Ciência Todo Dia
Ciência Suja
tadeclinicagem
Os três elementos / TocaCast

Você Também Pode Gostar de

Petit Journal
G1
Nexo Jornal
Estadão
Market Makers
InfoMoney