82 episódios

Fronteiras no Tempo é um podcast de História.



Mensalmente os historiadores “C. A.” e “Beraba” conversam sobre temas relacionados ao passado humano. A intenção é aproximar o público que gosta de História com a maneira como o conhecimento histórico é pensado e construído. Isso tudo de forma leve e descontraída.



Conversamos desde assuntos mais gerais como também abordamos temas específicos.

Fronteiras no Tempo Portal Deviante

    • História
    • 4.9, 58 avaliações

Fronteiras no Tempo é um podcast de História.



Mensalmente os historiadores “C. A.” e “Beraba” conversam sobre temas relacionados ao passado humano. A intenção é aproximar o público que gosta de História com a maneira como o conhecimento histórico é pensado e construído. Isso tudo de forma leve e descontraída.



Conversamos desde assuntos mais gerais como também abordamos temas específicos.

    Fronteiras no Tempo: Historicidade #29 Ação Integralista Brasileira

    Fronteiras no Tempo: Historicidade #29 Ação Integralista Brasileira

    A Ação Integralista Brasileira (AIB) foi um movimento político organizado que teve seu ciclo de vida original na década de 30 do século XX. Em seu período original de existência teve penetração em diferentes camadas sociais da sociedade brasileira, tendo adesão de intelectuais de diferentes áreas do saber, clérigos, líderes de movimentos populares, militares, entre tantos outros. É justamente sobre a trajetória histórica desde movimento, incluindo suas releituras, que recebemos pela segunda vez o Prof. Dr. Rodrigo Chistofoletti.

    Neste episódio:

    Entenda quais eram as principais bandeiras políticas e sociais da AIB, quem foram os intelectuais e líderes políticos que participaram de sua formulação e agiram politicamente. Descubra as relações entre os membros da AIB com o Fascismo italiano e, também, com Getúlio Vargas e, sobretudo, surpreende-se com as releituras e reorganizações da AIB ao longo do século XX e entenda a trajetória da direita conservadora no Brasil até os nossos dias.



    Arte da Capa





    Publicidade



    Ajude nosso projeto! Você pode nos apoiar de duas formas:

    PADRIM  – só clicar e se cadastrar (bem rápido e prático)

    PIC PAY – Baixe o aplicativo do PicPay: iOS / Android



    Saiba mais sobre o nosso convidado

    Rodrigo Christofoletti



     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Currículo Lattes



    Mencionado no Episódio

    Fronteiras no Tempo: Historicidade #2: Patrimônio Histórico e Cultural

    Fronteiras no Tempo #41 A Era Vargas parte 1: A Revolução de 1930

    Fronteiras no Tempo: Historicidade #28 História, Economia e Café

    Fronteiras no Tempo #48 A Era Vargas parte 2: 1930-1937



    Produção do convidado

    Livros e artigos 

    CHRISTOFOLETTI, Rodrigo. O integralismo do pós guerra: jornal de si mesmo?. In: Leandro Pereira Gonçalves e Renata Duarte Simões. (Org.). Entre tipos e recortes: histórias da imprensa integralista Vol 3. 1ed.Rio de Janeiro: Autografia, 2019, v. 1, p. 219-248.

    CHRISTOFOLETTI, Rodrigo. A ENCICLOPÉDIA DO INTEGRALISMO FRENTE A EDUCAÇÃO, ESTÉTICA E POÉTICA: CIÊNCIAS DA MENTE E DO CORPO. Domínios da Imagem, v. 10, p. 113-132, 2016.

    CHRISTOFOLETTI, Rodrigo. Rapsódia Verde: as comemorações do jubileu de prata integralista e a manutenção de seu passado / presente (1957-1958). Revista Brasileira de História (Impresso), v. 61, p. 98-124, 2011.

    CHRISTOFOLETTI, Rodrigo. ” Gumercindo Rocha Dórea: guardião controvertido da memória integralista no pós-guerra”. Revista Ágora (Vitória), v . 7, p. 01-26, 2011.

    CHRISTOFOLETTI, Rodrigo; GONCALVES, L.

    • 39 min
    Fronteiras no Tempo #48 A Era Vargas parte 2: 1930-1937

    Fronteiras no Tempo #48 A Era Vargas parte 2: 1930-1937

    Voltamos a falar da Era Vargas! Neste segundo episódio abordamos o período de 1930 a 1937, logo após o movimento que deu fim à primeira república e no qual Vargas se tornou presidente, primeiro provisório, depois constitucional. Foram anos conturbados em que os anseios de setores variados da sociedade estavam em jogo: operários em luta por direitos, militares em busca de modernização, classes médias, industriais, profissionais liberais, intelectuais, todos tinham um projeto de país que ansiavam ver realizado. Vargas se tornou a figura central nesse processo, fazendo as negociações com estes grupos tão distintos, mas também perseguindo e prendendo oponentes, fazendo alianças odiosas com quem quer que lhe pudesse garantir o poder, inclusive com os fascistas brasileiros da década de 1930. Venham conhecer essa história intrigante e refletir conosco sobre seus impactos no Brasil até hoje.

    Neste episódio:

    Descubra como se deu o processo de estabelecimento do governo provisório e como ele foi, aos poucos, deixando marcas indeléveis na estrutura política nacional pós-1930. Surpreenda-se com as movimentações políticas que desembocaram em uma guerra civil entre os paulistas e o resto do país em 1932. Conheça os principais grupos daquela época e suas formas de atuação: comunistas, liberais e integralistas. Compreenda como Vargas consolidou seu poder e se tornou presidente oficial em 1934, mesmo ano em que começou a valer uma nova constituição. Por fim, entenda como ele conseguiu criar condições para dar um golpe em 1937, quem ele perseguiu, com quais argumentos e quais as consequências. Venham nessa viagem no tempo para conhecer esta que é das mais importantes e controversas épocas da nossa história.



    Arte da Capa



    Publicidade



    Ajude nosso projeto! Você pode nos apoiar de duas formas:

    PADRIM  – só clicar e se cadastrar (bem rápido e prático)

    PIC PAY – Baixe o aplicativo do PicPay: iOS / Android



    Redes Sociais Twitter, Facebook, Youtube, SPOTIFY, Instagram

    Contato fronteirasnotempo@gmail.com



    Expediente Produção Geral e Hosts: C. A e Beraba, Recordar é Viver: Willian Spengler. Vitrine:  Augusto Carvalho, Edição: Adriano João



    Material Complementar

    Livros e Artigos Acadêmicos

    RAMOS, Graciliano. Memórias do Cárcere. Rio de Janeiro: Record, 2020.

    CANDIDO, Antonio. A revolução de 1930 e a cultura. Novos estudos CEBRAP, v. 2, n. 4, p. 27-35, 1984.

    CARONE, Edgar. A República Velha no Brasil II (evolução política). São Paulo: Difusão Europeia do livro,

    • 1h 17 min
    Fronteiras no Tempo: Historicidade #28 História, Economia e Café

    Fronteiras no Tempo: Historicidade #28 História, Economia e Café

    A cultura do café foi, e ainda é, uma das mais importantes na história econômica brasileira, tendo marcado lugar central, desde meados do século XIX e por quase toda a primeira metade do século XX, como principal produto de exportação do país. O café foi tema de obras clássicas e ainda atrai interesse de pesquisadores de diversas áreas. Neste episódio conversamos com o professor Leandro Salman Torelli sobre sua pesquisa a respeito da política econômica de valorização do café, ocorrida durante as primeiras décadas do século XX.

    Nesta entrevista:

    Entenda quem era e quais os objetivos da elite cafeeira, seu alcance e influências políticas. Conheça os debates parlamentares sobre a criação da legislação federal que visava valorizar o preço do café no mercado internacional e impedir o prejuízo dos fazendeiros nacionais. Entenda as políticas de valorização do câmbio e como isso trazia impactos para as dinâmicas de relação do Brasil com o mundo e também entre as elites locais dos diversos estados da federação recém criada. Reflita conosco sobre a importância da história econômica e da política para conhecermos melhor nosso país e como chegamos ao contexto atual dos debates sobre nossa situação econômica. Venham conosco nessa viagem pelo mundo da história e da economia!



    Arte da Capa





    Publicidade



    Ajude nosso projeto! Você pode nos apoiar de duas formas:

    PADRIM  – só clicar e se cadastrar (bem rápido e prático)

    PIC PAY – Baixe o aplicativo do PicPay: iOS / Android



    Saiba mais da nossa convidada

    Leandro Salman Torelli



     

     

     

     

     

     

     

     

    Currículo Lattes

    e-mail: leandro.salman.torelli@gmail.com



    Produção do convidado

    Livro

    A política econômica de defesa do café: os debates parlamentares (1898-1920). São Paulo: Chiado Editorial, 2019. Opções de compra: direto da editora,  link 1, link 2

    Artigos na Revista Leituras de História

    “Sal nosso de cada dia”. Revista Leituras de História. São Paulo. n. 132. Novembro de 2019.

    “Estado-Nação x políticas sociais”. Revista Leituras de História. São Paulo. n. 131. Outubro de 2019.

    “Parlamentarismo à moda brasileira”. Revista Leituras de História. São Paulo. n. 127. Junho de 2019.

    “Os últimos dias de Dilma”. Revista Leituras de História. São Paulo. n. 126. Maio de 2019.

    “(Re)Construção democrática”. Revista Leituras de História. São Paulo. n. 124. Março de 2019.

    “Anos da ditadura: 1964-1985”. Revista Leituras de História. São Paulo. n. 123. Fevereiro de 2019.

    “Quase democráticos”. Revista Leituras de História. São Paulo. n. 122. Janeiro de 2019.

    “O mal-entendido da democracia”. Revista Leituras de História. São Paulo. n.

    • 57 min
    Fronteiras no Tempo #47 Os Piratas

    Fronteiras no Tempo #47 Os Piratas

    O Fronteiras no Tempo saiu em viagem pelos mares e deu de cara com a Jolly Roger, a bandeira pirata! Os temidos piratas, cujos valores e comportamento tantas dores de cabeça causaram por onde passaram, são o tema deste episódio.  Estes personagens foram representados de muitas maneiras na literatura, no cinema, nos quadrinhos… as pessoas se fantasiam de piratas, as crianças brincam, há diversos jogos e canções populares que tratam destas figuras. O termo pirataria significa até hoje uma ação que dispensa explicação. Em resumo, piratas estão por toda parte e, como não poderia deixar de ser, têm história, e uma das mais interessantes! Sobre tudo isso falaremos neste episódio que conta com a participação especial do nosso amigo historiador Rodolfo Neto (Unicentro/PR). 

    Neste episódio:

    Descubra como se estabeleceram as atividades que deram origem à pirataria, entenda o contexto do seu crescimento e, especialmente, as diferenças entre corsários e piratas. Entenda como a pirataria se tornou atividade essencial na constituição dos Estados Nacionais europeus e posterior fortalecimento do sistema econômico capitalista a partir do século XVI. Conheça quem eram os piratas, como eram suas embarcações, o que cada um fazia, como viviam. Por fim, divirta-se conosco neste papo leve a respeito destes que são, sem dúvida, personagens históricos dos mais interessantes.



    Arte da Capa





    Publicidade

    Seja nossa Madrinha ou Padrinho.

    www.padrim.com.br/fronteirasnotempo



    Conheça nosso convidado

    Rodolfo Grande Neto



    Perfil do Rodolfo na Unicentro

    Twitter

    Currículo Lattes



    Redes Sociais Twitter, Facebook, Youtube, SPOTIFY, Instagram

    Contato fronteirasnotempo@gmail.com



    Expediente Produção Geral e Hosts: C. A e Beraba, Recordar é Viver: Willian Spengler. Vitrine:  Augusto Carvalho, Edição: Adriano João



    Mencionado no Episódio

    Fronteiras no Tempo #15 – História e Cultura Pop

    Fronteiras no Tempo #18 – Grandes Navegações

    CHAPOLIN COLORADO – Os Piratas do Caribe Completo ( Pirata Alma Negra)

    • 1h 35 min
    Fronteiras no Tempo: Historicidade #27 Amazônia, Estado e História

    Fronteiras no Tempo: Historicidade #27 Amazônia, Estado e História

    O Historicidade, programa de entrevistas do Fronteiras no Tempo, neste episódio vai conversar com o Prof Dr Tassio Franchi da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), sobre Amazônia, Estado e História.

    Nesta entrevista o professor Tassio nos explica como os historiadores trabalham com o meio ambiente enquanto objeto de pesquisa. Nessa investigação, pergunta-se como os homens percebem o meio ambiente no tempo, como interagem e, ainda, de que forma os diversos biomas influenciam as relações sociais, políticas e econômicas. Ele também nos ajuda a refletir sobre a Amazônia e seu papel no desenvolvimento do Estado nacional brasileiro, especialmente ao abordar como foi pensada pelos seus agentes, quais políticas de ocupação e desenvolvimento empregadas ao longo do tempo e, também, quais foram os problemas que isso trouxe, e ainda traz. Por fim, pudemos conhecer suas análises sobre a ação do Exército Brasileiro na região amazônica durante o século XX e de que maneira essa atuação se relaciona com questões brasileiras mais amplas, como os modelos de desenvolvimento econômico, dentre outros.



    Arte da Capa





    Publicidade



    Ajude nosso projeto crescer cada vez mais. Seja nossa Madrinha ou Padrinho.

    www.padrim.com.br/fronteirasnotempo



    Saiba mais da nossa convidada

    Tassio Franchi



     

     

     

     

     

     

     

     

    Currículo Lattes

    e-mail: tasfranchi@gmail.com



    Produção do convidado e indicações bibliográficas sobre o tema abordado

    FRANCHI, Tássio; BURSZTYN, Marcel; DRUMMOND, José Augusto Leitão. A questão ambiental e o adensamento da presença do Exército Brasileiro na Amazônia Legal no fi nal do século XX. Novos Cadernos NAEA, v. 14, n. 1, 2011.

    DE ALMEIDA PAIM, Rodrigo; FRANCHI, Tássio; FRANÇA, Rodrigo Lima. OPERAÇÕES DE GARANTIA DA LEI E DA ORDEM E DE FAIXA DE FRONTEIRA. Revista da Escola Superior de Guerra, v. 34, n. 72, p. 141-166, 2020.

    FRANCHI, Tássio. Medo e Miscigenação: a visão dos povos da floresta nos relatos dos militares brasileiros no século XX. Revista Silva, v. 1, p.48-65, 2017.

    FRANCHI, Tássio; MIGON, E. X. F ; JIMÉNEZ, R. X. V. . Taxonomy of interstate conflicts: is South America a peaceful region?. BRAZILIAN POLITICAL SCIENCE REVIEW, v. 11, p. e0008 – 1/23-e0008 – 23/23, 2017.   

    MAIA, João Marcelo Ehlert. As ideias que fazem o Estado andar: imaginação espacial, pensamento brasileiro e território no Brasil Central. Dados, v. 53, n. 3, p. 621-655, 2010.

    Buzan, B., Wæver, O., Wæver, O., & De Wilde, J. (1998). Security: A new framework for analysis. Lynne Rienner Publishers. 

    LE PRESTRE, Philippe; GORENDER, Jacob. Ecopolítica internacional. Senac, 2000.

    MEDEIROS FILHO, Oscar. Desafios do Exército Brasileiro nas fronteiras amazônicas. Coleção Meira Mattos: revista das ciências militares, v. 14, n. 49, p. 77-97, 2020.

    RONDON, Cândido. Missão Rondon: apontamentos sobre os trabalhos realizados pela Commissão de Linhas Telegraphicas Estrategicas de Matto-Grosso ao Amazonas. Editora do Senado: Brasília, 2003.

    MENDONÇA, Belarmino. Reconhecimento do rio Juruá (1905). Editora Itatiaia, 1989.

    SANTANA, José Carlos Barreto de. Euclides da Cunha e a Amazônia: visão mediada pela ciência. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 6, p. 901-917, 2000.

    DA CUNHA, Euclides. Um paraíso perdido: reunião dos ensaios amazônicos. Editora Vozes, 1976.



    Expediente 

    Arte da vitrine: Augusto Carvalho; Edição:  a href="http://www.talkncast.com.

    • 57 min
    Fronteiras no tempo #46 Cavalaria Medieval

    Fronteiras no tempo #46 Cavalaria Medieval

    A Cavalaria Medieval

    O que foi a Cavalaria Medieval? Alvo de muitas interpretações midiáticas contemporâneas, esta classe de guerreiros está no imaginário social ocidental desde há muitos séculos, na literatura e na história, despertando curiosidade. Ser um cavaleiro implicava seguir um conjunto de normas e cultivar um conjunto de valores, algo digno daquilo a que poderíamos chamar de um herói, aquele que protege os fracos e desamparados em nome de uma causa sempre tida como justa. Para que vocês possam entender os significados destes personagens ontem e hoje, neste mês em que #oPodcastÉdelas, o Fronteiras no Tempo traz como convidada a professora Doutora Cláudia Bovo (UFTM), especialista em contos de cavalaria medievais.

    Neste episódio:

    Descubra o que foi a cavalaria medieval e conheça os debates que os historiadores travaram a respeito desta classe guerreira. Entenda suas origens e composição social, como se tornaram guerreiros e nobres bem antes do período medieval. Conheça a relação da cavalaria com as cruzadas e com a Igreja. Entenda o papel social e político que desempenharam naqueles séculos e como isso ajudou a deixá-los em altas posições sociais. Reflita conosco sobre como os cavaleiros se transformaram em personagens importantes dos mais populares contos e romances medievais, com protagonismo mesmo séculos depois. Por fim, ouça nosso debate e se surpreenda com a força da imagem que o cavaleiro carrega ainda hoje e o quanto é importante conhecermos esta história para nos deixarmos enganar por quem quer usar essa figura para fins políticos torpes.

     

     



    Acesse o site da campanha: http://opodcastedelas.com.br/campanha/

    #OPodcastÉDelas2020





    Arte da Capa





    Publicidade

    Seja nossa Madrinha ou Padrinho.

    www.padrim.com.br/fronteirasnotempo



    CONHEÇA MELHOR NOSSA CONVIDADA

    Claudia Bovo



    Professora Cláudia Bovo no site Academia.edu



    Redes Sociais Twitter, Facebook, Youtube, SPOTIFY, Instagram

    Contato fronteirasnotempo@gmail.com



    Expediente Produção Geral e Hosts: C. A e Beraba, Recordar é Viver: Willian Spengler. Vitrine:  Augusto Carvalho, Edição: Adriano João



    Mencionado no Episódio

    Fronteiras no Tempo #17 – História Medieval

    a href="https://www.

    • 1h 27 min

Opiniões de clientes

4.9 de 5
58 avaliações

58 avaliações

nityara ,

Mt bom!!!

Como graduanda em História, o podcast me ajuda muito. Sempre após ler um texto eu procuro se o tema já foi discutido por aqui, pra eu poder complementar nos meus estudos.

Marcelo_Letsroll ,

O melhor em história!

O melhor em história! Fica melhor e mais profissional a cada episódio!

Elaine Chaves ,

Ótima didática

São ótimos. Parabéns!

Top podcasts em História

Ouvintes também assinaram