51 min

#34 Future Enterprise Show com Madalena Talone Future Enterprise Show

    • Tecnologia

O presente e o futuro da Caixa Geral de Depósitos (CGD) – e da banca em geral – numa economia cada vez mais digital deu o mote à conversa com Madalena Talone.  A administradora executiva da CGD falou com Fernando Bação, professor na Nova IMS e Gabriel Coimbra, Group Vice President and Country manager da IDC em mais uma edição do Future Enterprise Show.

Com uma carreira longa no setor da banca, Madalena Talone é atualmente responsável pelos pelouros da tecnologia, das operações, da banca digital e da transformação na CGD. Uma tarefa desafiante, mas que não assusta: “Algo que pautou o meu percurso foi fazer sempre aquilo de que gosto realmente.” Por outro lado, a administradora executiva da CGD lembra que teve também a capacidade de “ir fazendo muitas coisas diferentes o que permitiu experimentar e trabalhar áreas dispares, mas sempre com o mesmo entusiasmo e vontade de modernizar”. Mas a sorte não é alheia a todo o percurso: “Estar no sítio certo à hora certa e ser convidada para desafios que tive o mérito de saber aceitar foi relevante”. Madalena Talone assegura que se rege pela máxima “faz todos os dias uma coisa que te assuste”, algo que a tem ajudado a evoluir e a crescer pessoal e profissionalmente.

E, tendo em conta a sua experiência na banca, importa perceber de que forma as TI têm vindo a mudar este setor: “Em primeiro lugar há algo que na banca vamos tendo claro e que é perceber que o normal é não haver normal, ou seja, o mundo muda muito e cada vez mais depressa e não sabemos verdadeiramente o que vai acontecer a seguir.”

No relacionamento com o cliente, Madalena Talone considera determinante saber usar a tecnologia como parte central do negócio “para garantir uma resposta efetiva a todas as necessidades”. Igualmente fundamental é a forma como se lida com a segurança dos dados e dos sistemas “já que vai continuar a ser muito importante ter certeza que a nossa informação sensível e muito privada está totalmente segura”.

A importância dos canais

Nos dias que correm, Madalena Talone sabe que os canais na banca já são muito mais digitais do que eram há uns anos atrás: “A Caixa tem hoje dois milhões de clientes digitais e que são uma parte importante da base de clientes que interagem mais com o banco.” Na verdade, o canal digital permite ao cliente ter mais e melhor acesso ao banco e permite ainda ao próprio banco ter uma maior interação com o cliente. A “interligação entre todos é o segredo” do sucesso.

Transformar digitalmente a CGD não será tarefa fácil, mas o banco segue no bom caminho: “O plano estratégico da Caixa já está em curso e termina em 2024, assumindo um grande foco na transformação de forma transversal dentro da organização. E as TI devem ser entendidas menos como um enabler e mais como parte importante do próprio negócio.”

O presente e o futuro da Caixa Geral de Depósitos (CGD) – e da banca em geral – numa economia cada vez mais digital deu o mote à conversa com Madalena Talone.  A administradora executiva da CGD falou com Fernando Bação, professor na Nova IMS e Gabriel Coimbra, Group Vice President and Country manager da IDC em mais uma edição do Future Enterprise Show.

Com uma carreira longa no setor da banca, Madalena Talone é atualmente responsável pelos pelouros da tecnologia, das operações, da banca digital e da transformação na CGD. Uma tarefa desafiante, mas que não assusta: “Algo que pautou o meu percurso foi fazer sempre aquilo de que gosto realmente.” Por outro lado, a administradora executiva da CGD lembra que teve também a capacidade de “ir fazendo muitas coisas diferentes o que permitiu experimentar e trabalhar áreas dispares, mas sempre com o mesmo entusiasmo e vontade de modernizar”. Mas a sorte não é alheia a todo o percurso: “Estar no sítio certo à hora certa e ser convidada para desafios que tive o mérito de saber aceitar foi relevante”. Madalena Talone assegura que se rege pela máxima “faz todos os dias uma coisa que te assuste”, algo que a tem ajudado a evoluir e a crescer pessoal e profissionalmente.

E, tendo em conta a sua experiência na banca, importa perceber de que forma as TI têm vindo a mudar este setor: “Em primeiro lugar há algo que na banca vamos tendo claro e que é perceber que o normal é não haver normal, ou seja, o mundo muda muito e cada vez mais depressa e não sabemos verdadeiramente o que vai acontecer a seguir.”

No relacionamento com o cliente, Madalena Talone considera determinante saber usar a tecnologia como parte central do negócio “para garantir uma resposta efetiva a todas as necessidades”. Igualmente fundamental é a forma como se lida com a segurança dos dados e dos sistemas “já que vai continuar a ser muito importante ter certeza que a nossa informação sensível e muito privada está totalmente segura”.

A importância dos canais

Nos dias que correm, Madalena Talone sabe que os canais na banca já são muito mais digitais do que eram há uns anos atrás: “A Caixa tem hoje dois milhões de clientes digitais e que são uma parte importante da base de clientes que interagem mais com o banco.” Na verdade, o canal digital permite ao cliente ter mais e melhor acesso ao banco e permite ainda ao próprio banco ter uma maior interação com o cliente. A “interligação entre todos é o segredo” do sucesso.

Transformar digitalmente a CGD não será tarefa fácil, mas o banco segue no bom caminho: “O plano estratégico da Caixa já está em curso e termina em 2024, assumindo um grande foco na transformação de forma transversal dentro da organização. E as TI devem ser entendidas menos como um enabler e mais como parte importante do próprio negócio.”

51 min

Top de podcasts em Tecnologia

Lex Fridman
Observador Lab
Nuno Luz, Ricardo Fernandes
Cal Newport
a16z crypto, Sonal Chokshi, Chris Dixon
Pushkin Industries and iHeartPodcasts