55 episódios

Um minipodcast sobre literatura e cultura em pílulas de 5 minutos sobre a cultura, suas curiosidades e seu impacto em nosso cotidiano.Baseado na minha coluna semanal da CBN Amazônia 98.5 MHz que vai ao ar todas às segundas e terças-feiras.

Universo Literário Edkallenn

    • Artes
    • 5,0 • 5 avaliações

Um minipodcast sobre literatura e cultura em pílulas de 5 minutos sobre a cultura, suas curiosidades e seu impacto em nosso cotidiano.Baseado na minha coluna semanal da CBN Amazônia 98.5 MHz que vai ao ar todas às segundas e terças-feiras.

    Tom Clancy, um midas na literatura, no ciname e nos videogames

    Tom Clancy, um midas na literatura, no ciname e nos videogames

    TEMA: Tom Clancy, um midas na literatura, no ciname e nos videogames
    ============================

    Estes tempos estranhos e inéditos de isolamento social (cada vez mais importante pela escalada da Covid no Brasil), nos leva a ter, de fato, um tempo livre a mais. Há muitas coisas e hábitos que podemos exercitar nesse período. Sem dúvida, um dos que intelectualmente mais nos engrandecem é a leitura. O brasileiro, contudo, lê pouco. Em média, somente dois livros por ano, o que é uma das menores médias do mundo. Nessa época de pandemia, diversos países do mundo viram um aumento na venda de livros.Reino Unido, Itália e Espanha são exemplos de países em que as vendas de livros aumentaram durante a pandemia. No Brasil, infelizmente, o cenário não é o mesmo. Segundo dados do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, houve uma queda  de 4% no ano passado e que tende a ser ainda maior este ano.

    Para tentar mudar um pouco este quadro e incentivar você, ouvinte, a se deliciar nos prazeres da leitura a coluna apresenta, esta semana, um campeão de vendas, um best-seller tanto de livros quanto de filmes e até de videogames. Falamos de Tom Clancy que faria aniversário de nascimento neste dia 12 de abril e é um dos escritores com mais livros vendidos no mundo inteiro. 

    Thomas Leo Clancy Jr nasceu em 12 de abril de 1947, na cidade de Baltimore, Maryland – Estados Unidos. Frequentou a Universidade de Loyola, em Baltimore, onde estudou literatura inglesa. Ainda na universidade, Clancy se candidatou para trabalhar no Corpo de Treinamento de Oficiais da Reserva do Exército, no entanto por problemas de visão, a deficiência o tornou inelegível. Trabalhou também para uma companhia de seguros antes de entrar de vez no mundo literário em 1982 quando iniciou a escrever o romance “The Hunt For Red October” ( A Caçada ao Outubro Vermelho), que foi concluído em 1984. O livro introduziu o personagem fictício de Jack Ryan e foi um sucesso mundial de vendas e deu origem ao filme homônimo. Clancy é considerado o inventor do "techno-thriller", um gênero híbrido literário que funde ação e aventura militar, ficção de espionagem e ficção científica com realismo social, incluindo uma quantidade desproporcionada de detalhes técnicos. Dezessete dos seus romances foram sucessos de venda e venderam mais de 100 milhões de cópias impressas. 

    Clancy era um dos autores mais adaptados para o cinema — onde suas histórias, inspiradas pelo contexto da Guerra Fria, repetiam o sucesso que já faziam nas livrarias. São de sua auroria vários livros que se tornaram filme como o já citado "caçada ao outubro vermelho", além de "A soma de todos os medos", "jogos patrióticos", "perigo real e imediato" e "dívida de honra" e outros com o personagem Jack Ryan. Clancy não parou suas adaptações no mundo do cinema. Em 1996, o autor montou uma empresa de videogames, comprada mais tarde pela Ubisoft Entertainment. Entre os jogos de maior sucesso baseados na obra de Clancy estão "Rainbow six", uma série que já teve mais de 20 títulos desde 1998; "Ghost-recon", desde 2001; e "Splinter cell", que já rendeu vários lançamentos desde 2002. Tom Clancy morreu em 2013, mas seu legado continua vivo seja em filmes, livros ou videogames. Conheça-o e se encante.

    • 4 min
    E-books, os livros virtuais

    E-books, os livros virtuais

    TEMA: E-books, livros virtuais
    ============================

    O tempo é, sabidamente, um recurso escasso nesses nossos dias loucos. Para qualquer pessoa hoje em dia, os muitos afazeres e as múltiplas formas de entretenimento existentes, certamente o tempo dedicado a leitura diminui bastante.

    A tecnologia da Informação veio com a ideia de nos poupar tempo e de forma contrária, acabou nos roubando ainda mais tempo. Mas, há algumas tecnologias que nos ajudam a ganhar tempo, como o é a que vamos falar nessa semana, os e-books, os livros virtuais.

    Um eBook é, basicamente, um livro eletrônico. Ele é distribuído sob a forma de arquivo eletrônico para ser acessado em computadores, tablets, smartphones ou dispositivos específicos de leitura. O eBook pode ser comercializado ou oferecido gratuitamente. 

    Vantagens e-books:- biblioteca facilmente transportável com centenas de livros gratuitos (espaço); livros facilmente acessíveis; tamanhos de texto ajustáveis; dicionários integrados; pesquisa rápida e fácil; facilidade com notas e destaques. leitura sem luz ambiente; durabilidade; ler em qualquer lugar e em qualquer hora;

    livros, normalmente, mais baratos que os físicos.

    Desvantagens e-books: Sem troca; livros lidos nos celulares e tablets tem o problema das distrações; em celulares e tablets há também o problema da iluminação e, claro, sem bateria, sem livros; 

    Principais formatos: Há dois formatos principais: O ePUB e o MOBI.

    O ePub (o MP3 dos e-Books), é um padrão livre e aberto criado pelo International Digital Publishing Forum (CICOM).  É o formato oficial do Fórum Internacional de Publicações Digitais (IDPF). O outro formato é o MOBI (ou o AZW). Este formato é derivado do Mobipocket e é um formato fechado e proprietário. A dona do formato (A Amazon) o utiliza em seus dispositivos de leitura de ebooks.

    Principais dispositivos: Basicamente qualquer dispositivo eletrônico, seja celular, tablet, notebook ou computador aceitam os formatos citados acima.

    Todas principais plataformas móveis, como Android e o iOS possuem aplicativos gratuitos para a leitura dos dois formatos. No caso do Android existe o Play Livros (entre outros apps da loj+a de aplicativos). No caso do iOS há o antigo iBooks que virou apenas "Livros" nas novas versões do sistema operacional da Apple.

    Estes citados são para a leitura de livros em ePUB. Para o MOBI há o app do Kindle para as duas plataformas (e para computador). Ele também é gratuito.

    Se o leitor é voraz, como eu, pode-se partir para um dispositivo específico de leitura de ebooks (os e-readers).

    No Brasil, os principais são o Kindle, dispositivo da Amazon (que além do formato proprietário, MOBI, aceita, TXT, PDF e, mais recentemente, até o EPUB.

    E para o formato livre, ePUB há o Kobo e o Lev que são dois dispositivos que além de lerem ePUB, aceitam também diversos outros formatos de arquivos como DOC, PDF, TXT entre outros. O custo é mais alto, mas vale a pena, principalmente pela comodidade de ter um dispositivo específico e também pela tela que usa uma tecnologia diferente dos displays dos celulares e tables e não cansa a vista, podendo ser visível sob o sol ou até no escuro.

    Você não precisa abandonar o livro em papel mas é possível conviver com os dois mundos perfeitamente em sintonia tirando o melhor de ambos. Os leitores digitais, por exemplo, tem tradução, dicionário, pesquisa, sincronização de leitura entre diversos dispositivos, marcações, notas, enfim, praticamente tudo o que precisamos para nos deliciar por esse universo.

    • 4 min
    Formatos dos livros digitais - 2022

    Formatos dos livros digitais - 2022

    TEMA: formatos dos livros digitais - 2022
    ================================

    Eu sempre gosto de lembrar a todos que me pedem indicações de leitura ou mesmo como ler mais da praticidade dos e-books, os livros digitais, como plataforma de leitura e, por que não, popularizadores dos livros e do hábito de ler, afinal, todos temos um celular ou algum outro dispositivo digital, certo?

    Um eBook é, basicamente, um livro eletrônico. Ele é distribuído sob a forma de arquivo eletrônico para ser acessado em computadores, tablets, smartphones ou dispositivos específicos de leitura. O eBook pode ser comercializado ou oferecido gratuitamente.

    Algumas vantagens dos ebooks são: - biblioteca facilmente transportável com centenas de livros gratuitos (em pouco espaço); livros facilmente acessíveis; tamanhos de texto ajustáveis; dicionários integrados; pesquisa rápida e fácil; facilidade com notas e destaques. leitura sem luz ambiente; durabilidade; ler em qualquer lugar e em qualquer hora; livros, geralmente, mais baratos que os físicos.

    Há algumas desvantagens também como o problema das distrações durante a leitura (para quem lê no celular, por exemplo), da bateria e da iluminação dos celulares e tablets.

    Dito isto, foi citado que há alguns formatos de arquivos de ebooks que não foram comentados naquela ocasião. Hoje falaremos sobre eles.

    Existem DOIS formatos principais: O ePUB e o MOBI.

    O ePub (o MP3 dos e-Books), é um padrão livre e aberto criado pelo International Digital Publishing Forum (CICOM). O ePUB é a abreviação para Electronic Publication (Publicação Eletrônica), foi um formato que foi projetado para ter um conteúdo fluido, ou seja, a tela do texto pode ser otimizada de acordo com o dispositivo usado para leitura. É o formato oficial do Fórum Internacional de Publicações Digitais (IDPF).

    O outro formato é o MOBI (ou o AZW). Este formato é derivado do Mobipocket e é um formato fechado e proprietário. A dona do formato (A Amazon) o utiliza em seus dispositivos de leitura de ebooks.

    Existem milhões de livros em ambos os formatos. Boa parte disponibilizada de forma gratuita. Há também os dispositivos específicos de leitura, os ebook readers, mas estes deixaremos para outro programa.

    Mas, basicamente qualquer dispositivo eletrônico, seja celular, tablet, notebook ou computador aceitam os formatos citados acima.

    Todas principais plataformas móveis, como Android e o iOS possuem aplicativos gratuitos para a leitura dos dois formatos. No caso do Android existe o Play Livros (entre outros apps da loja de aplicativos). No caso do iOS há o antigo iBooks que virou apenas "Livros" nas novas versões do sistema operacional da Apple.

    Estes citados são para a leitura de livros em ePUB. Para o MOBI há o app do Kindle para as duas plataformas (e para computador). Ele também é gratuito. Ou seja: não há mais a desculpa de não ter tempo para leitura. Instale os apps (alguns já vem pré-instalados), baixe alguns livros gratuitos e mergulhe nesse universo composto por letras e histórias maravilhosas. Este universo feito de livros.

    • 4 min
    Miguel de Cervantes, autor do primeiro romance moderno

    Miguel de Cervantes, autor do primeiro romance moderno

    Miguel de Cervantes, autor do primeiro romance moderno
    =====================O tema de nossa semana é aquele que é considerado do homem que inventou a ficção através de um dos livros mais importantes e mais influentes já escritos. O tema de nossa semana é o escritor espanhol, Cervantes que tem uma história tão interesante quanto seu livro. Miguel de Cervantes Saavedra, nasceu na Espanha, no dia 29 de setembro de 1547, provavelmente em Alcalá de Henares, filho de Rodrigo e Leonor de Cortinas, que além de Miguel, tiveram mais seis filhos. Em 1563 a família mudou-se para Sevilha, onde Miguel iniciou seus estudos em gramática e latim, aprendendo com os padres jesuítas.Em 1566, aos 19 anos, mudou-se com a família para Madri, onde viveu apenas três anos. Segundo alguns estudiosos, ele teve que deixar a cidade porque havia ferido um homem por acidente. Passou a viver em Roma, na Itália, onde fez carreira como soldado e lutou na Batalha de Lepanto, contra os turcos, em 1571. Nesse combate, foi ferido e perdeu os movimentos da mão esquerda. Segundo alguns pesquisadores, na verdade ele perdeu o braço inteiro.Na volta à Espanha, em 1575, a embarcação em que Cervantes viajava foi tomada por piratas turcos. Os bandidos o mantiveram prisioneiro durante cinco anos; só foi libertado quando sua família pagou um resgate. De volta à Espanha, trabalhou como coletor de impostos do reino. Casou-se em 1583 com Catalina de Palacios Salazar, com quem viveu apenas um ano. Antes do casamento, teve uma filha. Edita na cidade de Madri, em 1585, “La Galatea”, que foi sua primeira novela. Teve contato com grandes literatos da época, e escreveu os poemas dramáticos “Los Tratos de Argel” e “La Mumancia”.A obra mais famosa de Cervantes é Dom Quixote — o nome completo é O engenhoso fidalgo Dom Quixote de La Mancha —, publicado em duas partes: a primeira em 1605 e a segunda em 1616. O livro conta a divertida história de Dom Quixote, cavaleiro ingênuo e bem-intencionado, que sai pelo mundo para combater as injustiças. Dom Quixote apronta muitas confusões e acaba sempre se dando mal.O livro é uma paródia das histórias de cavalaria, que narram os feitos heroicos dos cavaleiros. Eles enfrentam monstros, combatem exércitos inimigos e defendem os mais fracos. O livro fez tanto sucesso, que uma pessoa, fazendo uso de um nome falso, publicou uma segunda parte do romance. Por conta da revolta com tal falsificação, em 1615, Cervantes publicou sua própria segunda parte, escrevendo também diversas obras ao longo deste período. “Dom Quixote” foi traduzido em mais de 60 idiomas, e de geração em geração vem conquistando de crianças a adultos.Miguel de Cervantes, considerado um dos quatro gênios da literatura ocidental, morreu no dia 23 de abril de 1616, na cidade de Madri, Espanha. Deixando grande inspiração em diversos níveis, ultrapassando séculos. De forma que romancistas, contistas; poetas; escritores; pintores; escultores; ensaístas; cartunistas; quadrinistas; dentre outros, ainda hoje encontram em suas obras um referencial artístico.O seu trabalho é considerado entre os mais importantes em toda a literatura, e sua influência sobre a língua castelhana tem sido tão grande que o castelhano é frequentemente chamado de La lengua de Cervantes (A língua de Cervantes). A dica é, portanto, conhecer Cervantes (e a língua de Cervantes) seja por suas obras literárias, ou pelas muitas obras que ele inspirou.

    • 4 min
    Baudelaire e as flores da modernidade

    Baudelaire e as flores da modernidade

    TEMA: Baudelaire e as flores da modernidade
    ===================================

    Nesta semana, ouvintes, ainda vivendo as restrições de movimentação e isolamento por conta da Covid-19 e sabendo das dificuldades que a quarentena nos traz, a coluna lembra do nascimento de um dos maiores escritores franceses de todos os tempos, um poeta que foi um dos precursores do simbolismo e o fundador da tradição moderna em poesia, infelizmente pouco estudado no Brasil, o poeta francês Charles Baudelaire.

    Charles-Pierre Baudelaire, nasceu em 9 de abril de 1821, há 199 anos, portanto, na cidade de Paris e faleceu na mesma cidade, dia 31 de agosto de 1867, com apenas 46 anos. Ele foi  um poeta, teórico e crítico francês. Foi um dos precursores do movimento simbolista na França e também o fundador da poesia moderna. Ainda criança, Baudelaire perde o pai e a mãe casa-se novamente com um padrasto com que ele terá muitos problemas.  

    A sua obra, de fato, se situa entre o romantismo e o realismo, apresentando um primeiro momento de ruptura com os padrões então aceitos e personificados, por exemplo, em Victor Hugo.

    A experiência poética de Baudelaire transforma, pela primeira vez, Paris em objeto de poesia lírica. Uma cidade onde se exalta uma burguesia abastada e também atravessada pelas suas figuras decadentes: a prostituta, o jogador, o moribundo, o mendigo, entre outras figuras que exprimem a degradação moral, encarnando a figura do mal, do inferno da experiência citadina e do tedium vitae, le mal du siècle.

    A poesia de Baudelaire é, assim, mergulhada na agitação da metrópole, além de amarga e até mesmo, cruel. A Obra prima de Baudelaire é o livro de poemas publicado em 1857, com o título, “As Flores do Mal”, com cem poemas e dividido em seções. O autor do livro é acusado, no mesmo ano, pela justiça, de ultrajar a moral pública. Os exemplares são apreendidos e uma multa foi paga. A censura ocorreu por causa de 6 poemas. O poeta aceita a sentença, escreve seus novos poemas e lança o livro novamente.

    Baudelaire também escreveu magníficos poemas em prosa além de críticas e sobre a teoria literária. Os chamados “poetas malditos”, Arthur Rimbaud, Paul Verlaine e Stéphane Mallarmé, sofreram enorme influência de Baudelaire. São os herdeiros franceses do poeta em mais de um sentido, constituindo o momento áureo do século XIX que rivaliza com o classicismo francês, da época de Molière, Racine e La Fontaine. Os modernos, porém, tem a vantagem de falar mais de perto conosco e com uma sensibilidade que ainda hoje nos identifica.

    Baudelaire é lido, comentado e influencia escritores até os dias de hoje. Devemos a Baudelaire também a difusão da obra de Edgar Allan Poe que já foi tema de nossa coluna. Baudelaire traduziu e comentou as obras do escritor americano.

     Nesta semana lembramos, claro que no dia 07 de abril é o dia mundial da saúde. Gostaria de encerra a coluna desejando muita saúde a todos os ouvintes, familiares, e a todas as pessoas do mundo neste momento de pandemia que passamos. Com muita fé, força, coragem e foco vamos vencer e, logo, logo, poderemos nos reunir para contar as histórias que vimos em filmes ou lemos em livros.

    • 5 min
    José de Anchieta, padre, missionário, escritor e Santo Católico

    José de Anchieta, padre, missionário, escritor e Santo Católico

    José de Anchieta
    =============================

    Nesta semana de março nós lembramos os nascimentos ilustres do escritor e sociólogo pernambucano, Gilberto Freire, os poetas Mallarmé e Ovídio, o escritor Henrik Ibsen, o grande músico Johann Sebastian Bach e o filósofo Slavoj Žižek

    Mas nossa coluna tem o prazer de homenagear outro ilustre nascido Nesta Semana de março, o padre, missionário, escritor e Santo católico, José de Anchieta 

    São José de Anchieta nasceu dia 19 de março de 1534, há 418 anos na ilha de Tenerife, em San Cristóbal de La Laguna, nas ilhas Canárias, na Espanha e morreu dia 9 de junho de 1597, aos 63 anos, em Iriritiba, estado do Brasil sob o império Português.

    Anchieta ingressou aos 17 anos na Companhia de Jesus, congregação religiosa fundada no século 16 e responsável pelo processo de evangelização na América Latina.

    Foi Beatificado em 1980 pelo papa João Paulo II e canonizado em 2014 pelo papa Francisco, é conhecido como o Apóstolo do Brasil, por ter sido um dos pioneiros na introdução do cristianismo no país. Em abril de 2015 foi declarado copadroeiro do Brasil pela CNBB

    Foi o primeiro dramaturgo, o primeiro gramático e o primeiro poeta nascido nas Ilhas Canárias. Foi o autor da primeira gramática da língua tupi, e um dos primeiros autores da literatura brasileira, para a qual compôs inúmeras peças teatrais e poemas de teor religioso e uma epopéia

    É o patrono da cadeira de número um da Academia Brasileira de Música.

    José de Anchieta chegou ao Brasil com 19 anos, ansioso para trabalhar com indígenas. Em 1554, participou da fundação de São Paulo.

    Aprendeu a língua nativa (o tupi) e, com a ajuda de curumins (crianças índias) que exerciam o papel de tradutores, escreveu o livro "Arte de grammatica da lingoa mais usada na costa do Brasil", que ajudava outros religiosos a entender a língua indígena durante o processo de catequização do Brasil-Colônia

    Ao longo da vida, Anchieta ficou conhecido por sua característica de conciliador. Exerceu papel fundamental durante o conflito entre índios tamoios (ou tupinambás) e tupiniquins, chamado de Confederação dos Tamoios em meados do século XVI 

    Na época, os tamoios, apoiados pelos franceses, se rebelaram contra os tupiniquins, que recebiam suporte dos portugueses. Para apaziguar os ânimos, Anchieta se ofereceu para ficar de refém dos tamoios na aldeia de Iperoig (onde atualmente fica Ubatuba, no litoral norte de SP), enquanto outro jesuíta, o padre Manoel da Nóbrega, seguiu para o litoral paulista para negociar a paz.

    Enquanto esteve "preso", a devoção de Anchieta à Virgem Maria o fez escrever na areia da praia a obra "Poema à Virgem", com quase 5 mil versos.

    Em 1565, entrou com Estácio de Sá na baía de Guanabara, onde estabeleceram os fundamentos do que viria a ser a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Dali, Anchieta seguiu para Salvador, onde foi ordenado sacerdote. Por ocasião dessa viagem, novamente pisou em terras capixabas. Em 1567, voltou para o Rio e para São Vicente. Nessa última, permaneceu dez anos, quando foi nomeado provincial (supervisor) dos jesuítas no Brasil.Em 1585, fundou a aldeia de Guaraparim (hoje Guarapari), no Espírito Santo. Morreu aos 63 anos em Reritiba, atual Anchieta. Os índios levaram seu corpo numa viagem de 80 quilômetros até Vitória, onde foi sepultado.

    Entre suas obras, destacam-se, destacam-se as Poesias redigidas em português, castelhano, latim e tupi. 

    Os poemas envolvem tanto temas religiosos como sociais e humanitários, advindos da experiência de décadas com a população indígena. Entre esses escritos, o mais célebre é o Beata Virgine, poema dedicado à Virgem. 

    Em 1954, na comemoração do IV centenário da cidade, os poemas de Anchieta são traduzidos e transcritos pela pesquisadora Maria de Lourdes de Paula Martins, sendo posteriormente editados e publicados. 

    Além das poesias, destaca-se também a obra

    • 5 min

Opiniões de clientes

5,0 de 5
5 avaliações

5 avaliações

Top podcasts em Artes

Folha de S.Paulo
Uol
Denise Gomes
Quatro cinco um
Livraria Megafauna
Embaixada da França, Goethe-Institut e Quatro Cinco Um