20 episodes

Welcome to Slow Portuguese!
Trying to learn a new language is never easy. You can read books, use online courses and programs to practice your reading and writing, day and night. But then you travel to Brazil, and people start speaking to you in their native tongue.
No matter how well you know our grammar or how correct your spelling is, to understand a person speaking a language at any pace, can be a challenge if you don't get the chance to practice.
Here you have the opportunity to listen very clear and slow Portuguese to improve your studies.

Vamos começar? instagram.com/slowportuguese

Slow Portuguese - Learn Portuguese Alice Ferreira

    • Education
    • 4.9 • 33 Ratings

Welcome to Slow Portuguese!
Trying to learn a new language is never easy. You can read books, use online courses and programs to practice your reading and writing, day and night. But then you travel to Brazil, and people start speaking to you in their native tongue.
No matter how well you know our grammar or how correct your spelling is, to understand a person speaking a language at any pace, can be a challenge if you don't get the chance to practice.
Here you have the opportunity to listen very clear and slow Portuguese to improve your studies.

Vamos começar? instagram.com/slowportuguese

    #20 A distinção entre gênero social e gramatical na Língua Portuguesa

    #20 A distinção entre gênero social e gramatical na Língua Portuguesa

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese - PayPal Donation
    A distinção entre gênero social e gramatical na Língua Portuguesa
    Gênero é uma categoria linguística inerente aos substantivos, mas em apenas um subconjunto desses substantivos está relacionado a "sexo”.
    Nos últimos tempos, vem se disseminando a tese da proposição de um suposto gênero neutro na língua portuguesa. O tema é complexo, ainda mais quando se ignoram questões caras para a ciência linguística, como a distinção entre gênero social e gênero gramatical, a função da escrita enquanto sistema representacional que se relaciona com a fala e, mais do que tudo isso, a dinamicidade em se tratando de línguas naturais.
    Para exemplificar, recuperamos os argumentos apresentados em artigo publicado no caderno PrOA de 4 de outubro, em que a historiadora Ana Maria Colling defende o uso de caracteres, @ ou ‘x’, para conferir às palavras um gênero não marcado. A distinção de gênero em português seria sexista e reproduziria preconceitos de gênero ao desqualificar um dos pares. Segundo o artigo, formas como "todos" e "eles" se referem apenas aos homens. Não se reconhece ali, portanto, que o gênero masculino simplesmente coincide com o não marcado, isto é, o gênero que inclui tanto o masculino quanto o feminino. O texto apresenta também algumas soluções para chegar à linguagem sexualmente neutra. Uma delas seria seguir o exemplo do Colégio Pedro II e colocar ‘x’ no lugar de ‘a’ e ‘o’.  Uma solução que só funciona na língua escrita, já que na fala esses ‘x’ são impronunciáveis. Outra, seria usar de torneios de linguagem, evitando os pronomes flexionados; por exemplo, em vez de dizer "boa tarde a todos", usar "boa tarde a todas as pessoas". O fato de essa expressão substituta empregar "todas" e "as" não é visto como um problema.
    Conceito de identidade de gênero enfrenta novas resistências
    O empenho para "higienizar" a língua de seu suposto preconceito é tanto que "@" é empregado até em sintagmas como "pessoas agredid@s", esquecendo que, no caso de "agredidas", o gênero é determinado por concordância, assim como seria em "indivíduos agredidos". Veja que a questão não é de uma norma externa, ditada por uma gramática prescritiva. Embora os falantes do português nem sempre realizem a concordância, nenhum falante do português diria "pessoas agredidos".
    Algumas observações das pesquisas linguísticas podem ajudar a esclarecer essas confusões. Em primeiro lugar, é preciso dizer que nem todas as línguas têm gênero. Por exemplo, o guarani não distingue gênero em substantivos e pronomes. Outras línguas têm gênero, mas não relacionado à categoria semântica "sexo" e sim a categorias como "animado/inanimado", ou "humano/não humano" (por exemplo, as línguas sul-americanas Macuxi e Hixkariana). Frise-se que o próprio termo "gênero" vem do latim "genus" e significava originalmente "tipo", "espécie".
    (CHARACTER LIMIT)
    More in: https://gauchazh.clicrbs.com.br/porto-alegre/noticia/2015/12/por-que-a-distincao-entre-genero-social-e-gramatical-na-lingua-portuguesa-e-necessaria-ao-idioma-4928930.html

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese - PayPal Donation

    ---

    Send in a voice message: https://podcasters.spotify.com/pod/show/slowportuguese/message

    • 11 min
    #19 Literatura de Cordel Brasileiro

    #19 Literatura de Cordel Brasileiro

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese - PayPal Donation :D

    Literatura de Cordel

    Literatura de Cordel é uma literatura popular, feita com base na cultura popular, em relatos da tradição oral. Ilustradas com técnica de xilogravuras, as obras eram impressas em folhetins de produção barata, sendo destinadas ao grande público. Teve grande preponderância no nordeste brasileiro.

    O nome literatura de cordel tem sua origem em Portugal, onde os livros eram vendidos pendurados em cordéis, ou seja, fios de barbante. As cantigas dos trovadores medievais, que transmitiam notícias através de versos, estão na base da literatura de cordel.

    Características da literatura de cordel


    Utilizavam uma linguagem informal, com rimas fáceis de cantar e decorar.
    Relatavam temas cotidianos, históricos e religiosos, bem como lendas do folclore brasileiro.
    Falavam sobre o relacionamento entre as pessoas, quer amoroso, quer social.
    Faziam críticas sociais e políticas, recorrendo ao humor, sarcasmo e ironia.
    Os autores exprimiam suas opiniões nas suas obras.

    Autores de literatura de cordel


    Leandro Gomes de Barros;
    Francisco das Chagas Batista;
    João Martins de Athayde;
    Cuíca de Santo Amaro;
    Apolônio Alves dos Santos;
    Firmino Teixeira do Amaral;
    João Ferreira de Lima.

    Obras de literatura de cordel


    A seca do Ceará, de Leandro Gomes de Barros;
    O Justiceiro do Norte, de Rouxinol do Rinaré;
    Epopeia do Boi Corisco, de José Vidal dos Santos;
    O cachorro dos mortos, de Leandro Gomes de Barros;
    História das Sete Cidades da Serra da Ibiapaba-Ce, de Apolônio Alves dos Santos;
    Peleja de Pinto com Milanês, de Severino Milanês da Silva;
    A história emocionante de Celeste e Bitião, de Gonçalo F. da Silva;
    Antônio Silvino, o Rei dos Cangaceiros, de Leandro Gomes de Barros.

    Poesia de cordel

    E Tudo Vem a Ser Nada

    Tanta riqueza inserida
    Por tanta gente orgulhosa
    Se julgando poderosa
    No curto espaço da vida
    Oh! que idéia perdida
    Oh! que mente tão errada
    Dessa gente que enlevada
    Nessa fingida grandeza
    Junta montões de riqueza
    E tudo vem a ser nada
    [...]
    (Silvino Pirauá)

    A Discussão do Carioca com o Pau-de-Arara

    [...]
    Certo dia feriado
    sendo o primeiro do mês
    fui tomar uma cerveja
    no bar de um português
    lá assisti uma cena
    agora pego na pena
    para contar pra vocês

    Quando eu estava sentado
    chegou nessa ocasião
    um velho pernambucano
    daqueles lá do sertão
    com a maior ligeireza
    foi se sentando na mesa
    pediu uma refeição

    O português logo trouxe
    um prato grande sortido
    o nortista vendo aquilo
    ficou logo enfurecido
    com um gesto carrancudo
    começou mexendo tudo
    depois falou constrangido

    Patrício não me leve a mal
    nem me queira achar ruim
    toda espécie de comida
    que você tem é assim?
    desculpe minha expressão
    mas a sua refeição
    não vai servir para mim
    [...]
    (Apolônio Alves dos Santos)

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese - PayPal Donation


    ---

    Send in a voice message: https://podcasters.spotify.com/pod/show/slowportuguese/message

    • 5 min
    #18 Brasília, the Capital of Brazil

    #18 Brasília, the Capital of Brazil

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese

    Brasília, a capital do Brasil

    A cidade de Brasília, é a atual e 3ª (terceira) capital do Brasil, foi inaugura no dia 21 de abril de 1960. A ideia de construir uma nova capital partiu do presidente Juscelino Kubitschek (o JK), que queria povoar o centro do Brasil e também deixar a capital longe de possíveis ataques marítimos.

    50 anos em 5:

    O presidente JK tinha um lema que era “50 anos em 5”; ou seja, ele pretendia fazer o Brasil crescer em apenas 5 anos (tempo de duração de seu mandato) o que cresceria em 50 anos. Para isso, ele tomou várias medidas, como a construção de estradas, abertura de indústrias de carro e eletrodomésticos (fogão, geladeira etc) e investimento em energia elétrica. Mas, com certeza, a “cereja do bolo”, isto é, a meta mais ambiciosa de Juscelino era a construção de Brasília.

    Em 1956, o governo lançou um concurso para escolher o melhor projeto para a construção de Brasília. O ganhador foi o urbanista Lúcio Costa, que desenhou Brasília com a forma de avião e que deu o nome de Plano Piloto. Para concretizar o projeto, foi chamado o arquiteto Oscar Niemeyer. Com os desenhos dos principais prédios prontos, trabalhadores vindos de várias regiões do Brasil, principalmente do Nordeste, começaram a construção de Brasília. No dia 21 de abril de 1960, estava pronta a terceira capital do Brasil.

    Hoje, as decisões políticas mais importantes do País acontecem em Brasília, nos três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.

    Terceira capital? E quais foram as outras?

    O Brasil já trocou de capital três vezes! A primeira foi Salvador, na Bahia. A cidade foi fundada em 1549 por Tomé de Souza, um português enviado ao Brasil para ser o primeiro governador-geral do País. Na época, o Brasil ainda fazia parte de Portugal. Os prédios de Salvador imitavam os prédios das grandes cidades portuguesas, como Porto e Lisboa (capital de Portugal).

    Ouro e nova capital

    Por volta de 1700, descobriram ouro na região Sudeste. Com isso, várias pessoas começaram a migrar para as cidades da região, principalmente para o Rio de Janeiro. Porém, a grande riqueza da região causou a cobiça de outros países. Em 1711, uma esquadra com 17 navios e 6 mil homens franceses invadiu o Rio de Janeiro e levaram tudo! Com medo de novos roubos, o governo português decidiu, em 1793, transferir a capital de Salvador para o Rio de Janeiro - para poder tomar conta da cidade mais de perto e evitar novas invasões.

    Em 1808, chega ao Brasil a corte portuguesa comandada por Dom João. Esse fato ajudou o Rio a se modernizar e se consolidar como coração (político, econômico e cultural) do Brasil. Porém, já nesse período, José Bonifácio de Andrade defendia que o Brasil deveria ter uma capital no interior do País para garantir a segurança da corte contra possíveis ataques marítimos.

    No entanto, esse desejo só foi realizado mais de cem anos depois, com a inauguração da moderna Brasília.

    Capital estrangeira

    Os portugueses chegaram aqui em 1500. Salvador, primeira capital do Brasil, só foi inaugurada em 1549, ou seja, muitos anos depois da chegada dos portugueses. Nesse período, como fazia parte do império português, a capital do Brasil ficava na cidade de Lisboa, lá em Portugal!

    More: in: https://www.ebc.com.br/infantil/voce-sabia/2014/07/brasilia-e-a-terceira-capital-do-brasil

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese


    ---

    Send in a voice message: https://podcasters.spotify.com/pod/show/slowportuguese/message

    • 7 min
    #17 Taking a bus

    #17 Taking a bus

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese

    PEGANDO UM ÔNIBUS

    Hoje vamos aprender expressões que podem ser utilizadas quando você precisa pegar um ônibus:

    1 – Pegar um ônibus. – Take a bus.

    2 – Entrar no ônibus. – Get on the bus.

    3 – Descer do ônibus. – Get off the bus.

    4– Horários dos ônibus. – Bus schedule.

    5 – Andar de ônibus. – Ride the bus.

    6 – Ele pega o ônibus escolar para ir à (para a) escola. – He takes the school bus to go to school.

    7 – Ele pega um ônibus (qualquer ) para ir à (para a) escola. – He takes a bus to go to school.

    8 – Passagem de ônibus. / Bilhete de ônibus – Bus ticket.

    9 – Passagem de ida. – One way ticket.

    10 – Passagem de ida e de volta. – Round trip.

    11 – Passe de ônibus / Bilhete de ônibus – Bus pass.

    12 – Transferência livre. / Integração(De ônibus para ônibus.) – Free transfer.

    13 – Estacione e pegue o ônibus. – Park and ride.

    14 – Onde é a estação de ônibus? – Where is the bus station?

    15 – A estação de ônibus é logo ali. – The bus station is over there.

    16 – Onde posso comprar uma passagem? – Where can I buy a ticket?

    * – Você pode comprar naquela janela. / Você pode comprar naquele guinche. – You can buy it at that window.

    17 – Eu preciso de uma passagem para Ribeirão Preto, por favor? – I need a ticket to Ribeirão Preto, please?

    18 – Quanto é a passagem? / Quanto custa (a passagem)? – How much is the ticket? / How much is it?

    19 – A que horas sai o ônibus? What time does the bus leave? –

    *O ônibus sai às dez da manhã. – The bus leaves at ten (10) AM.

    20 – Que horas sairá o primeiro ônibus? – What time is the first bus?

    O primeiro ônibus sairá às seis da manhã. – The first bus is at six (6) AM.

    21 – Que horas passa o último ônibus? – What time is the last bus?

    O último ônibus passa às oito da noite. – The last bus is at eight (8:00) PM .

    22 – Quando vai passar o próximo ônibus? – When is the next bus?

    O próximo ônibus vai passar em quinze minutos. – The next bus is in fifteen minutes.

    FALANDO COM O MOTORISTA –TALKING TO THE DRIVER

    23 – Eu preciso ir para o aeroporto. – I need to go to the airport.

    24 – Você pode me avisar quando chegarmos próximo ao Museu? – Can you tell me when we get close to the Museum?

    25 – Eu quero descer em São Paulo(Nome de uma cidade). – I want to get off in (City).

    26 – Eu quero descer aqui, por favor. – I want to get off here.

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese


    ---

    Send in a voice message: https://podcasters.spotify.com/pod/show/slowportuguese/message

    • 4 min
    #16 Reading News: Bus trips in Brazil

    #16 Reading News: Bus trips in Brazil

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese


    Viagens de ônibus no Brasil estão entre as mais demoradas do mundo

    Estudo global avaliou a duração de viagens em transportes públicos de 99 metrópoles de 25 países. As viagens de ônibus em algumas cidades brasileiras estão entre as mais demoradas do mundo.

    Isso é o que mostra levantamento realizado pela empresa de aplicativos de transporte público Moovit, divulgado nesta quarta-feira (15/1). O Rio de Janeiro aparece em 3º lugar num ranking que inclui 99 cidades de 25 países. Brasília é a 11ª onde os passageiros ficam mais tempo nos ônibus.

    A capital da Turquia, Istambul (Ops! Ankara is the capital! Sorry!), , fica em primeiro lugar com 1 hora e 11 minutos de tempo médio de deslocamento por ônibus. A Cidade do México fica em segundo com 1 hora e 9 minutos. No Rio de Janeiro, segundo o estudo, passageiros ficam, em média, 1 hora e 7 minutos dentro do ônibus.

    A capital federal, além de aparecer no cenário global em 11º lugar, com viagens de 1 hora e 1 minuto, teve recentemente um ajuste nas passagens de ônibus que deixou vários brasilienses revoltados.

    As tarifas passaram de R$ 2,50 (circular interno) para R$ 2,85. Ligações curtas de R$ 3,50 para R$ 3,85. Metrô, ligações longas e integração, de R$ 5,00 para R$ 5,50.

    Para a doutora em transporte público pela Universidade de Brasília, Adriana Modesto, o estudo sobre a duração do tempo de viagem pecou em não levar em consideração uma distância precisa. Para ela, para se ter um melhor diagnóstico da duração, seria melhor que tivessem feito esse cálculo para se chegar a uma solução.

    Dez regiões metropolitanas brasileiras fazem parte do relatório feito pela Moovit. Depois do Rio, Recife (PE) fica em segundo com 1 hora e dois minutos. A maior cidade do Brasil, São Paulo, fica em terceiro com o mesmo tempo dos pernambucanos. Brasília fica em quarto. Belo Horizonte (1 hora), sendo seguida por Salvador (55 minutos), Curitiba (54 minutos), Fortaleza (53 minutos), Campinas (SP, com 51 minutos) e Porto Alegre (46 minutos).

    Além de ter o maior tempo de viagem, o Rio de Janeiro apresenta o maior percentual de pessoas que levam entre uma e duas horas para fazer uma viagem longa. Segundo o estudo, são 36%. Em seguida, são 34,26% dos brasilienses ficam na mesma situação. E 5,1% mais de duas horas. O tempo médio de espera em uma parada de ônibus na capital federal é de 23 minutos, ficando em segundo lugar no Brasil. Em Recife, que ficou em primeiro, é de 24 minutos.

    O estudo ainda mostra que em Brasília, cerca de 27% dos usuários percorrem mais de 1km no trajeto que engloba caminhada até a parada de ônibus/estação nas baldeações até o destino final. Os dados possuem os mesmos percentuais de Lisboa (Portugal). E menor que Nova York (25%), Curitiba (22%), Campinas (20%) e Recife (19%).

    Mais da metade dos brasilienses fazem duas baldeações por viagem. O estudo revela que são 53%. Outros 11% fazem três ou mais trocas. Nesse aspecto, Brasília surge em segundo lugar. A distância média das viagens gira em torno de 14,29km. Sendo assim, Brasília é a primeira cidade brasileira a aparecer na categoria.

    More in: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2020/01/15/interna-brasil,820614/viagens-de-onibus-no-brasil-estao-entre-as-mais-demoradas-do-mundo.shtml

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese


    ---

    Send in a voice message: https://podcasters.spotify.com/pod/show/slowportuguese/message

    • 7 min
    #15 Five Curiosities about Brazil

    #15 Five Curiosities about Brazil

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese - We send an amazing E-book gift to our Supporters!


    5 Curiosidades sobre o Brasil

    5a Nos rios da bacia Amazônica corre um quinto de toda a água doce do Planeta

    A grandeza da Bacia Amazônica é assustadora até para os brasileiros. Além do gigantesco rio Amazonas, maior rio do mundo (segundo certos parâmetros, ele é mais longo até do que o rio Nilo) alguns de seus afluentes, como os rios Negro e Solimões, também estão entre os maiores rios do mundo. Para se ter uma ideia do tamanho da bacia (que tem cerca de 60% de seu tamanho no Brasil): com 7,5 milhões de quilômetros quadrados, é maior que a soma de todos os países da União Europeia.

    4a O português é uma das 180 línguas faladas no Brasil

    O português é o idioma oficial e você provavelmente nunca ouviu alguém falando outra língua “brasileira”. Mas estima-se que existam mais de 180 línguas faladas no país, por aproximadamente 160 mil pessoas. Segundo disse à revista “Superinteressante” Aryon Rodrigues, linguista da UnB, quase todas estas línguas de origem indígena estão ameaçadas de extinção.

    3a O Brasil produz mais de um terço de todo o café do mundo

    Reconhecido por ter alguns dos melhores cafés do mundo, o Brasil também coloca o grão em boa parte das xícaras do mundo. Segundo dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), 36% da produção mundial de café em 2018 saiu do País. Eram daqui 58 milhões das 160 milhões de sacas produzidas no planeta.

    2a O Brasil é o país com mais japoneses morando fora do Japão

    De acordo com o Consulado Geral do Japão em São Paulo, existe cerca de 1,5 milhão de japoneses vivendo no Brasil, mais de 400 mil deles na cidade. Existe até um bairro paulistano, o bairro chamado Liberdade, cuja origem é totalmente ligada aos japoneses, mas que hoje também representa chineses e coreanos. Entre os presentes trazidos pelos imigrantes no começo do século passado e agregados hoje à cultura brasileira estão o judô, o budismo e o chá — ah, e a comida japonesa, é claro.

    1a A mais antiga árvore conhecida no Brasil nasceu cerca de 1.000 anos antes de Cristo

    Um jequitibá-rosa na cidade paulista de Santa Rita do Passa Quatro é a mais antiga árvore do Brasil e tem idade estimada em mais de 3.000 anos. Seus números são impressionantes: são 40 metros de altura, equivalente a um prédio de 13 andares, mais de 11 metros de diâmetro e raízes que chegam a 18 metros de profundidade. Seu peso foi calculado em 264 toneladas.

    E você, ficou surpreso com estas curiosidades sobre o meu País?

    (Character limit)

    Support the Podcast: bit.ly/SlowPortuguese - We send an amazing E-book gift to our Supporters!




    ---

    Send in a voice message: https://podcasters.spotify.com/pod/show/slowportuguese/message

    • 10 min

Customer Reviews

4.9 out of 5
33 Ratings

33 Ratings

MaoLopezs ,

Amazing podcast 👏🏻

Mil gracias por tu valioso tiempo y esfuerzo para realizar este podcast!. He escuchado otros pero la verdad que no se enfocan en ningún tema y hablan muy rápido. La cual es muy difícil entender para un principiante.

Obrigado!

HOK1968 ,

Slow Portuguese

Muito Obrigado Alice, esse podcast é bem útil e muito bom. Vou te dar uma contribuição.

Top Podcasts In Education

The Mel Robbins Podcast
Mel Robbins
The Jordan B. Peterson Podcast
Dr. Jordan B. Peterson
Mick Unplugged
Mick Hunt
The Rich Roll Podcast
Rich Roll
TED Talks Daily
TED
The Skinny Confidential Him & Her Podcast
Lauryn Bosstick & Michael Bosstick / Dear Media

You Might Also Like

Coffee Break Portuguese
Coffee Break Languages
Portuguese Lab Podcast | Learn European Portuguese
Susana Morais
Practice Portuguese
Rui Coimbra / Joel Rendall
Learn Portuguese | PortuguesePod101.com
PortuguesePod101.com
Learn Brazilian Portuguese - LinguaBoost
LinguaBoost
Learn Portuguese
Travel and Learn