91 episódios

Em cada episódio, uma investigação jornalística. Com uma hora de duração, os episódios são um mosaico de entrevistas inéditas, gravações em campo e áudios de arquivo, costurados pela narração do jornalista Tomás Chiaverini. Os temas são os mais variados e a abordagem é sempre profunda, irreverente e inusitada.

Rádio Escafandro Tomás Chiaverini

    • Sociedade e cultura
    • 4,9 • 160 avaliações

Em cada episódio, uma investigação jornalística. Com uma hora de duração, os episódios são um mosaico de entrevistas inéditas, gravações em campo e áudios de arquivo, costurados pela narração do jornalista Tomás Chiaverini. Os temas são os mais variados e a abordagem é sempre profunda, irreverente e inusitada.

    77: A constelação familiar e o pseudodireito

    77: A constelação familiar e o pseudodireito

    Criada pelo ex-padre alemão Bert Hellinger, a constelação familiar une hipóteses pseudocientíficas, como a existência dos campos mórficos ou campos morfogenéticos, a supostas tradições ancestrais dos povos Zulu. A prática nasceu como uma piscoterapia esotérica voltada a resolver sobretudo questões intrafamiliares.

    No Brasil, contudo, a constelação familiar foi além. Em 2006, o juiz de direito Sami Storch começou a aplicar a prática de maneira informal em um fórum no interior da Bahia. Em pouco tempo, ele criou uma nova marca. O direito sistêmico. Que ganhou apoio de comissões da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do  Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

    Mas, ao mesmo tempo em que se popularizam, a constelação familiar e o direito sistêmico são alvo crescente de críticas. Para além da falta de comprovação científica, especialistas apontam para o conservadorismo inerente à prática, que leva a posicionamentos machistas; a revitimização de mulheres e a relativização de crimes como violência doméstica e estupro de vulnerável.

    Mergulhe mais fundo

    Hundredth monkey effect (Wikipedia em inglês)

    Rupert Sheldrake (Wikipedia em inglês)

    Constelação familiar no judiciário (podcast Ciência Suja)

    Constelação familiar: fraude e pseudociência (no canal Física e Afins, de Bibi Bailas.

    Casal pede à Justiça para terminar união estável, mas acaba se casando: ‘ninguém esperava’ (G1)

    Entrevistados do episódio

    Bibi Bailas

    Fisica, pesquisadora, divulgadora científica, titular do canal Física e Afins.

    Letícia Junqueira

    Especialista em constelação familiar com cavalos.

    Mateus França

    Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Mestre e doutorando em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Membro do Grupo de Pesquisa Direito e Sociedade (GPDS), vinculado ao Laboratório de Pesquisa Empírica em Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (LaPED-UFRGS)

    Sami Storch

    Juiz titular da 2ª Vara da Família de Itabuna (BA), criador do direito sistêmico.

    Ficha técnica

    Trilha sonora tema: Paulo Gama,

    Mixagem: João Victor Coura

    Design das capas: Cláudia Furnari

    Concepção, roteiro, e edição: Tomás Chiaverinii

    • 1h 13 min
    76: Os últimos comunistas

    76: Os últimos comunistas

    Acompanhamos um dia de campanha dos principais candidatos do Partido Comunista Brasileiro (PCB). Como o partido não teve acesso ao fundo eleitoral, a presidenciável, Sofia Manzano; e o candidato ao governo paulista, Gabriel Colombo, têm de se desdobrar para colocar a campanha na rua.

    Isso inclui viagens de metrô, hospedagem na casa de militantes, panfleto em preto e branco e almoços pagos do próprio bolso.

    Entrevistados do episódio

    Sofia Manzano

    Economista, professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e candidata à presidência pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB).

    Gabriel Colombo

    Agrônomo e pesquisador, candidato ao governo do estado de São Paulo pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB).

    Aline Marcondes Miglioli

    Economista, professora, candidata a vice-governadora de São Paulo pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB).

    Ficha técnica

    Locução adicional: Priscila Pastre

    Trilha sonora tema: Paulo Gama,

    Mixagem: João Victor Coura

    Design das capas: Cláudia Furnari

    Concepção, roteiro, e edição: Tomás Chiaverini

    • 59 min
    75: Caminhando pela São Paulo invisível

    75: Caminhando pela São Paulo invisível

    Uma caminhada pela pela São Paulo que ninguém vê.

    Durante a pandemia, a população em situação de rua de aumentou 31% em São Paulo. São pessoas que vivem nas calçadas, em barracas armadas em praças, embaixo de viadutos e em albergues.

    Neste episódio, você vai conhecer um pouco da vida dessas pessoas que a maioria dos paulistanos faz de tudo para não ver, numa caminhada ao lado de um especialista em encontrar pessoas desaparecidas.

    Entrevistado do episódio

    Darko Hunter

    Responsável pela Divisão de Localização Familiar e Desaparecidos da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, da Prefeitura de São Paulo.

    Mergulhe mais fundo

    Censo da população em situação de rua (2021)

    Cama de Cimento - Uma reportagem sobre o povo das ruas (Tomás Chiaverini)

    Episódios relacionados

    74: De volta para São Paulo

    50: Gente invisível não estraga parede

    Ficha técnica

    Trilha sonora: Marianna Romano, Paulo Gama, e Blue Dot.

    Mixagem: João Victor Coura

    Design das capas: Cláudia Furnari

    Concepção, roteiro, e edição: Tomás Chiaverini

    • 56 min
    74: De volta para São Paulo

    74: De volta para São Paulo

    Depois de mais de dois anos de pandemia, as pessoas estão voltando à vida normal e retomando as cidades. Para celebrar este momento, fizemos um episódio em homenagem a São Paulo. Três convidados escolheram o itinerário para três caminhadas em três momentos diferentes do dia.

    Entrevistados do episódio

    Chico Felitti

    Jornalista e escritor é autor dos livros Ricardo e Vânia, A Casa, e Elke: Mulher Maravilha (Todavia). Está a frente dos podcasts A Mulher da Casa Abandonada, produzido para a Folha de S.Paulo, e  Além do Meme, produzido para o Spotify.

    Heloisa Lupinacci

    Heloisa Lupinacci é jornalista especializada em cerveja. Foi editora do site Panelinha e assinou a coluna Só de Birra, no Paladar Estadão, sobre cervejas. Foi editora assistente do Paladar-Estadão, do Link-Estadão e do caderno de Turismo da Folha. É formada em moda, mãe do Lalo e do Tomé.

    Marianna Romano

    É produtora de podcasts e compositora. Dirigiu o podcast Pistoleiros, da Globoplay; compôs as trilhas do Reply All, da Gimlet Media. Colaborou com diversos podcasts da Rádio Novelo. É artista plástica e compôs o álbum Romance Modelo.

    Mergulhe mais fundo

    A Mulher da casa abandonada (Chico Felitti)

    "Fofão da Augusta? Quem me chama assim não me conhece"

    Episódios relacionados

    22: Suco de São Paulo

    Ficha técnica

    Trilha sonora: Marianna Romano, Paulo Gama, e Blue Dot.

    Mixagem: João Victor Coura

    Design das capas: Cláudia Furnari

    Concepção, roteiro, e edição: Tomás Chiaverini

    • 1h 19 min
    73:A morte do crítico

    73:A morte do crítico

    Os cadernos e guias gastronômicos estão entre as principais vítimas da crise no jornalismo. Com a migração da publicidade para as redes sociais, as redações encolheram e o dinheiro foi canalizado para áreas de maior interesse, como política, cidades e economia.

    Os jornalistas que escreviam sobre comida tiveram de se adaptar, mudando o jeito de fazer crítica, criando novas abordagens ou brigando de igual pra igual com influenciadores digitais.

    Os restaurantes também se adaptaram, investindo em pratos "instagramáveis", na relação direta com os clientes e em estratégias para atrair gente famosa que compartilhe pratos nas redes.

    Neste episódio, mergulhamos nas dores e delícias do ofício de crítico gastronômico, falamos sobre o que motivou o declínio da profissão, e destrinchamos o curioso caso do Paris 6 - um restaurante que é sucesso de público, mesmo tendo sido eleito o pior restaurante de São Paulo.

    Entrevistados do episódio

    Mauro Marcelo Alves

    Jornalista, foi correspondente do Jornal da Tarde-SP em Paris, crítico de restaurantes de Veja, editor de Playboy, diretor-adjunto do Guia 4 Rodas, e, diretor da revista Gula. É autor de “Vinhos, A Arte da França”, “Vinho do Porto, Muito Prazer!” e “O Espírito da Cachaça”.

    Isaac Azar

    Empresário, criador do restaurante Paris 6.

    Marcos Nogueira

    Jornalista especializado em gastronomia, assina a coluna Cozinha Bruta, na Folha de S.Paulo. Apresenta também o programa de TV homônimo, no canal Sabor & Arte. Já trabalhou no caderno Cotidiano e nos jornais Notícias Populares e Agora São Paulo.

    Mergulhe mais fundo

    Pesquisa: Melhores e Piores (Veja SP)

    Azaït oferece bom mostruário da cozinha do Mediterrâneo (Folha de S.Paulo)

    Transformei meu barracão no restaurante mais bem avaliado do TripAdvisor em Londres

    Ficha técnica

    Pauta, produção e reportagem: Priscila Pastre e Tomás Chiaverini.

    Trilha sonora tema: Paulo Gama

    Mixagem: João Victor Coura

    Design das capas: Cláudia Furnari

    Trilha incidental: Blue Dot

    Concepção, roteiro, e edição: Tomás Chiaverini

    • 1h 6 min
    72: Camming e o amor sob demanda

    72: Camming e o amor sob demanda

    Camming é a prática de usar uma câmera ligada à internet para interações que quase sempre têm um cunho sexual, mas que muitas vezes envolvem afetos que vão além disso. Na forma mais comum, mulheres se exibem para homens espectadores. Mas, como quase tudo que envolve sexo e internet, a prática tem poucos limites e há relatos dos mais diversos. Do homem que quer que assistam ele dar banho em patinhos de borracha, ao soldado do front na Ucrânia que só precisa de alguém para conversar.

    Além disso, em algumas plataformas, mulheres têm usado o camming como uma forma de ganhar dinheiro vendendo sexo virtual ou shows eróticos.

    Entrevistados do episódio

    Thany Sanches

    Pintora e artista visual, mestre e doutoranda em comunicação e semiótica pela PUC de São Paulo.

    Mergulhe mais fundo

    A reinvenção dos corpos femininos nas plataformas de camming: uma aproximação indisciplinar entre pornografia, arte e outras impossibilidades

    Episódios relacionados

    Amor de pixel

    Ficha técnica

    Pauta, produção e reportagem: Gabriela Mayer

    Trilha sonora tema: Paulo Gama

    Mixagem: João Victor Coura

    Design das capas: Cláudia Furnari

    Trilha incidental: Blue Dot

    Concepção, roteiro, e edição: Tomás Chiaverini

    • 1h 2 min

Opiniões de clientes

4,9 de 5
160 avaliações

160 avaliações

fhmolina ,

O melhor de todos: Escafandro

A Rádio Escafandro é o tipo de podcast que deveria ser obrigatório todos ouvirem (uma pena que isso não existe “ainda”). O trabalho que o Tomás faz é de uma qualidade absurda, passa por temas pesados e leves de um jeito que cativa o ouvinte. Pautas muito bem apuradas e contadas com maestria. Se você chegou agora, ouça qualquer um dos episódios e se apaixone, é o melhor podcast do Brasil.

Clovis Ch ,

Excelente!!!

Indispensável esta discussão sobre cotas no Brasil. Derrubar tabus e opiniões rasas são fundamentais para a continuidades desta política de inclusão tão bem sucedida Parabéns Equipe Escafrando!!! 👏🏻👏🏻👏🏻

Fernando Souza Puga ,

Obrigado

Agradeço pelo trabalho. Criativo e meticuloso.

Top podcasts em Sociedade e cultura

Estúdios Flow
Jovem Nerd
GNT
Globoplay
Cláudio Moreno & Filipe Speck
Folha de S. Paulo

Você Também Pode Gostar de

revista piauí
Folha de S.Paulo
Central 3 Podcasts
Rádio Novelo e Tiago Rogero
revista piauí
Petit Journal

Mais de B9

Regina Giannetti, B9
B9
B9
B9, Naruhodo, Ken Fujioka, Altay de Souza
B9
B9