23 episodes

Podcast sobre o que videogames são e o que podem ser, envolvendo tópicos sobre filosofia e história da arte, game design e crítica de jogos (principalmente RPGs).

Editado e apresentado por Vítor M. Costa — ou "Vivi" (@thegamelogicist)—, incluindo composições de sua autoria e arranjos seus de composições de outros autores. Nos quadros Party do Vivi e Mesa Quadrada há também participantes adicionais: Marcos, João, Ivanir, Matheus, Andrezza e Erick.

Mais detalhes sobre os participantes e os quadros do MetaQuestCast (MQC) encontram-se nas descrições de cada episódio.

MetaQuestCast Vítor "Vivi" Costa

    • Leisure

Podcast sobre o que videogames são e o que podem ser, envolvendo tópicos sobre filosofia e história da arte, game design e crítica de jogos (principalmente RPGs).

Editado e apresentado por Vítor M. Costa — ou "Vivi" (@thegamelogicist)—, incluindo composições de sua autoria e arranjos seus de composições de outros autores. Nos quadros Party do Vivi e Mesa Quadrada há também participantes adicionais: Marcos, João, Ivanir, Matheus, Andrezza e Erick.

Mais detalhes sobre os participantes e os quadros do MetaQuestCast (MQC) encontram-se nas descrições de cada episódio.

    MetaQuest 10 - A diferença entre coesão e coerência em videogames

    MetaQuest 10 - A diferença entre coesão e coerência em videogames

    Este é o décimo episódio do MetaQuest, quadro do MetaQuestCast sobre o que os videogames são e o que podem fazer. Com base em seu ensaio The Difference Between Cohesion and Coherence in Video Games (2022) para a SUPERJUMP, Vítor "Vivi" Costa fala sobre a diferença entre os conceitos de "coesão" e "coerência" de um ponto de vista linguístico e semiótico da mídia dos videogames, partindo de uma dicotomia entre "sintaxe" vs. "semântica" para o game design, ou seja, uma dicotomia entre o conjunto de elementos de game design (texto, sons, mecânicas, imagens etc.) e o conjunto de significados atribuídos a eles pelos desenvolvedores e pelos jogadores.

    Neste contexto, para o background conceitual de sua abordagem, Vivi adota a teoria de sentido e significado de Peirce como uma forma possível para explicar como podemos entender diferentes tipos de relações de significados (alguns mais diretos e superficiais do que outros). Neste episódio, é dado exemplos de Dragon Quest vs. Final Fantasy, para coesão e incoesão; e de Shin Megami Tensei: Devil Survivor, Shin Megami Tensei III e Live A Live para falar sobre coerência vs. incoerência.

    No episódio de hoje, há várias referências bibliográficas, todas elas podem ser encontradas no texto original (em inglês) ou em "Outras Referências" abaixo. Há ainda dois episódios do MetaQuest diretamente relacionados a esse assunto que também são recomendáveis: MetaQuest 9 - A diferença entre complexidade e profundidade em videogames e MetaQuest 2 - A definição de Design por Subtração.

    Composição das músicas introdutórias por Koichi Sugiyama e por Nobuo Uematsu; ensaio, edição, apresentação, arranjos e demais músicas por Vítor M. Costa.

    Indicação cultural:

    Filme: Rashomon (Akira Kurosawa, 1950)

    Contato (Twitter):

    MQC: @metaquestcast
    Vivi: @thegamelogicist

    Análises do Vivi de jogos mencionados:

    - Live A Live (NBlast)

    Outras referências:

    - Live A Live (Switch) e sua pré-história sem palavras (Vítor M. Costa, 2022)
    - Shin Megami Tensei: Devil Survivor (DS/3DS) e o experimento mental do Demônio de Laplace (Vítor M. Costa, 2022)
    - Shin Megami Tensei III: Nocturne como um experimento de Filosofia Política (Vítor M. Costa, 2021)

    • 38 min
    MesaQuadrada 2 - O retorno de Valkyrie e Star Ocean

    MesaQuadrada 2 - O retorno de Valkyrie e Star Ocean

    Segundo episódio do quadro MesaQuadrada. O quadro consiste em uma conversa entre quatro quadradistas sobre suas experiências, conhecimentos e expectativas a respeito da Square Enix, a mais importante desenvolvedora e publicadora de JRPGs. O assunto de hoje é o retorno de duas notáveis franquias tradicionalmente publicadas pela Enix (antes da união com a Square), Valkyrie e Star Ocean. Vivi, Matheus, Andrezza e Erick conversam sobre a história e o futuro dessas IPs, bem como sobre suas expectativas para o spin-off Valkyrie Elysium (PC/PS5/PS4) e a sexta entrada de Star Ocean, Star Ocean: The Divine Force (PC/PS5/PS4/XBX/XBO), cujos lançamentos estão previstos para setembro-outubro de 2022.

    Composição da música de introdução por Koichi Sugiyama; algumas outras composições de Nobuo Uematsu, Yasunori Mitsuda, Yoko Shimomura e Keiichi Okabe; edição por Jackson Theus; apresentação e arranjos das músicas em chiptune por Vítor "Vivi" Costa. Outros apresentadores: Matheus Furtado, Andrezza Barbosa e Erick Figueiredo.

    Contato (twitter):

    MQC: @metaquestcast
    Vivi: @thegamelogicist
    Matheus: @SoMatheusFurtad
    Andrezza: @andrezzabplays
    Erick: @Carinhaquejoga
    Theus: @JacksonTheus_

    Análises e impressões dos participantes de jogos mencionados:

    - Live A Live (NBlast)
    - Final Fantasy VII Remake Intergrade (GBlast)
    - Lives de Final Fantasy VII Remake e Live A Live (AndrezzaBPlays)

    Outras referências:

    - Mesa Quadrada 1 (MQC)
    - tri-Ace (Wiki)
    - Star Ocean: The Divine Force (Square Enix)
    - Valkyrie Elysium (Square Enix)

    • 1 hr 58 min
    MetaCrítica 8 - Chrono Cross: The Radical Dreamers Edition

    MetaCrítica 8 - Chrono Cross: The Radical Dreamers Edition

    Episódio 8 do quadro MetaCrítica. Este cast consiste em uma crítica das críticas de Chrono Cross: The Radical Dreamers Edition (Multi), mais especificamente uma crítica proporcional das análises agregadas até 19/07/2022 no Open Critic. Outros episódios do MQC mencionados foram MetaQuest 9 e MetaQuest 3. Outra indicação foi a duologia Chrono Trigger/Cross e Ontologia Temporal (NBlast, 2022).

    As análises são dos autores listados abaixo. Composições introdutórias por Koichi Sugiyama e Nobuo Uematsu; composição das demais músicas por Yasunori Mitsuda; edição por Jackson Theus; apresentação, comentários e arranjo das músicas por Vítor M. Costa.

    Firômetro: 2/3🔥

    Análises geralmente favoráveis

    Nota: 76/100 (OC) [críticas: 69 (Multi)]; 74~83/100 (MC) [críticas: 37 (PS4), 23 (Switch), 5 (PC), 4 (XBO)]
    Ano: 2022

    • 12 críticas muito positivas
    • 25 crítica positivas
    • 15 críticas mistas
    • 8 críticas não quantitativas
    • 9 críticas negativas

    69 ÷ 7 = 9,85 = 10

    • 1,7 = 2 críticas muito positivas
    • 3,57 = 4 críticas positivas
    • 2,1 = 2 críticas mistas
    • 1,1 = 1 crítica não quantitativas
    • 1,2 = 1 crítica negativa

    OBS: Chrono Cross (PS), de 2000, ficou com 94/100 (MC), com 17 reviews (nenhuma hoje disponível online).

    Análises selecionadas:

    • Jenni Lada (10/10, Siliconera)
    • Vítor M. Costa (8.5/10.0, Nintendo Blast), PT
    • Marco Patrizi (8.3/10.0, Tom’s Hardware Italia), IT
    • Pedro Pérez Cesari (8.0/10.0, LevelUp), ES
    • Michelle Schulte (7.5/10.0, XGN.nl), holandês
    • Ray Remigio (7.5/10.0, Sirus Gaming)
    • Cullen Black (7/10, RPGsite)
    • Luis Guilherme Machado Camargo (70%/100%, PSX BR), PT
    • Zoey Handley (6.0/10.0, Destructoid)
    • Edwin Evans-Thirlwell (Recommended, Eurogamer)

    Contato:

    MQC (Twitter): @metaquestcast
    Vivi (Twitter): @thegamelogicist
    Theus (Twitter): @JacksonTheus_

    • 1 hr 30 min
    MetaQuest 9 - A diferença entre complexidade e profundidade em videogames

    MetaQuest 9 - A diferença entre complexidade e profundidade em videogames

    Este é o nono episódio do MetaQuest, quadro do MetaQuestCast sobre o que os videogames são e o que podem fazer. Com base em seu ensaio The Difference Between Complexity and Depth in Video Games (2022) para a SUPERJUMP, Vítor "Vivi" Costa fala sobre a diferença entre os conceitos de "complexidade" e "profundidade" de um ponto de vista linguístico e semiótico da mídia dos videogames, partindo de uma dicotomia entre "sintaxe" vs. "semântica" para o game design, ou seja, uma dicotomia entre o conjunto de elementos de game design (texto, sons, mecânicas, imagens etc.) e o conjunto de significados atribuídos a eles pelos desenvolvedores e pelos jogadores.

    Neste contexto, para o background conceitual de sua abordagem, Vivi adota a teoria de sentido e significado de Frege como uma forma possível para explicar como podemos entender a relação entre esses dois domínios (sintaxe e semântica) nos jogos. Em paralelo, também é utilizada a distinção de Christopher Langton entre "sistemas fixos", "sistemas cíclicos", "sistemas complexos" e "sistemas caóticos". O episódio (assim como no respectivo texto) conclui distinguindo e exemplificando a independência entre esses dois conceitos (complexidade e profundidade) em: (1) jogos simples e profundos; (2) jogos complexos e profundos; (3) jogos complexos e rasos/superficiais; (4) jogos simples e rasos/superficiais.

    No episódio de hoje, foram mencionados várias referências bibliográficas, todas elas podem ser encontradas no texto original (em inglês). No episódio foi mencionado como exemplo a franquia Kingdom Hearts, podendo ser útil conferir o MetaCrítica 7 - KingdomHearts 358/2 Days (2022) para saber mais dessa série. Também pode interessar ao ouvinte conferir o MetaQuest 4 - A definição de design por Subtração (2021), no qual são abordados bons exemplos do tipo (1), ou seja, simples e profundos.

    Composição das músicas introdutórias por Koichi Sugiyama e por Nobuo Uematsu; ensaio, apresentação, arranjos e demais músicas por Vítor M. Costa; edição por Jackson Theus.

    Twitter: @metaquestcast
    Vivi (Twitter): @thegamelogicist
    Theus (Twitter): @JacksonTheus_

    • 40 min
    MetaCrítica 7 - Kingdom Hearts 358/2 Days

    MetaCrítica 7 - Kingdom Hearts 358/2 Days

    Episódio 7 do quadro MetaCrítica. Este cast consiste em uma crítica das críticas de Kingdom Hearts 358/2 Days (DS), mais especificamente uma crítica de 12 das 53 análises agregadas no Meta Critic entre os anos de 2009 e 2010. Composições introdutórias por Koichi Sugiyama e Nobuo Uematsu; composição das demais músicas por Yoko Shimomura; apresentação, arranjos em chiptune e composição das demais músicas por Vítor M. Costa; edição de Jackson Theus.

    Firômetro: 2/3🔥

    Análises geralmente favoráveis

    Nota: 75/100 (MC) [53 críticas (DS)]
    Ano: 2009

    • 34 críticas positivas
    • 18 críticas mistas
    • 1 crítica negativa

    53 ÷ 5 = 10,6 = 11(+1) críticas selecionadas
    • 6,8 = 7 críticas positivas
    • 3,6 = 4 críticas mistas
    • 0,2 (+ critério de representação) = 1 crítica negativa

    Análises selecionadas:

    • Carlos Piñeiro (8.8/10,0, Vandal), ES
    • Jason Nimer (87%/100%, Gamers’ Temple)
    • Christian Colli (8.3/10.0, Multiplayer.it), IT
    • Shiva Stella (8/10, GameSpot)
    • Tracy Erickson (4/5, PocketGamer)
    • Amanda L. Kondolojy (3.9/5.0, Cheat Code Central)
    • Solomon Lee (7.5/10.0, GameOver)
    • Chris "Atom" DeAngelus (7.3/10.0, WorthPlaying)
    • Henry Stockdale (7/10, Nintendo Life)
    • Jaime San Simón (7/10, Eurogamer Spain), ES
    • Lorenzo "Kobe" Fazio (6.5/10.0, everyeye), IT
    • Sparky Clarkson (4.0/10.0, GameCritics)

    Contato:

    Twitter: @metaquestcast
    Vivi (Twitter): @thegamelogicist
    Theus (Twitter): @JacksonTheus_

    • 1 hr 47 min
    MetaQuest 8 - História e Teoria Política em RPGs

    MetaQuest 8 - História e Teoria Política em RPGs

    Este é o oitavo episódio do MetaQuest, quadro do MetaQuestCast sobre o que os videogames são e o que podem fazer. Com base em seu ensaio Realpolitik and Political Theory in Role-Playing Games (2022), publicado originalmente na SUPERJUMP, Vítor "Vivi" Costa fala sobre como a política em si (real/histórica) e as teorias políticas relacionam-se com videogames, mais especificamente com RPGs. Vivi aponta três principais razões que tornam o estudo da política real/histórica extremamente útil para desenvolvedores de jogos: (I) background de ficção histórica; (II) exemplos para aumentar a verossimilhança de eventos políticos; e (III) a inspiração para a mecânica. Em paralelo, também teorias políticas são úteis para: (i) experimentos ficcionais em jogos com temática política; (ii) exemplos de argumentos a serem usados em linhas de diálogo; e (iii) inspiração para criar personagens. Para esses fins, a argumentaçãoa do podcast discute vários RPGs com temática política, em termos de audivisual, narrativa ou mecânicas; RPGs como Dragon Age, Final Fantasy Tactics, Tactics Ogre, Disco Elysium, Shin Megami Tensei III, Disgaea, Triangle Strategy, entre outros.

    No episódio de hoje, foram mencionados textos e jogos cujas referências encontram-se no texto original, em inglês; também em sua versão em português do artigo, disponível no Nintendo Blast: História e Teoria Política em role-playing games (2022). Para saber mais sobre RPGs, recomendamos também o episódio MetaQuest 3 - Qual a diferença entre RPGs japoneses e ocidentais? (2021).

    Composição da música de introdução por Koichi Sugiyama; composições introdutórias por Nobuo Uematsu; ensaio, apresentação, arranjos e demais músicas por Vítor M. Costa; edição por Jackson Theus.

    Twitter: @metaquestcast

    Vivi (Twitter): @thegamelogicist

    Theus (Twitter): @JacksonTheus_

    • 31 min